Polônia bate Suíça nos pênaltis após tempo normal movimentado e avança na Eurocopa

Com 100% de aproveitamento nos tiros penais, os poloneses levam a melhor e esperam vencedor de Croácia e Portugal; suíços são eliminados invictos, assim como na Copa do Mundo de 2006

Polônia bate Suíça nos pênaltis após tempo normal movimentado e avança na Eurocopa
Foto: Alex Livesey/Getty Images
Suíça (4)
1 1
Polônia (5)

Neste sábado (25), em Saint-Étienne, as surpresas Suíça Polônia se enfrentaram no Geoffroy-Guichard. Em um confronto movimentado, as equipes empataram em 1 a 1 no tempo normal, com gols marcados por Shaqiri e Blaszczykowski. A igualdade permaneceu também na prorrogação, porém os poloneses levaram a melhor nos pênaltis por 5 a 4, avançando às quartas de final da Eurocopa 2016.

Com a classificação, as Águias Brancas agora esperam o vencedor de Croácia e Portugal, que se enfrentarão às 16h deste sábado. Os suíços se despedem da competição continental com somente uma vitória e três empates, terminando invicta, assim como na Copa do Mundo de 2006.

Bem como em todo jogo de caráter decisivo, Suíça e Polônia fizeram um início intenso e com chances para os dois lados. Antes mesmo de um minuto de bola rolando em Saint-Étienne, os poloneses tiveram a melhor oportunidade de abrir o placar, mas não aproveitaram. Após uma lambança da defesa adversária, Milik experimentou da entrada da área e levou muito perigo.

Mesmo mais acuados, os helvéticos não se intimidaram e foram para cima buscando ir às redes, porém repetindo o erro dos rivais. Shaqiri fez jogada individual pela esquerda e serviu Dzemaili, que bateu de primeira e fraco, acertando a rede no lado de fora, sem assustar o gol da Polska.

A falta de criatividade, em meio à intensidade, não foi suficiente para o ritmo ofensivo baixar na etapa inicial, com a Polônia levando mais sustos. Em um desses lances, Milik cobrou escanteio e Krychowiak subiu livre de marcação, cabeceando próximo à meta. Pouco depois, foi o próprio Milik que ficou com o rebote, no entanto arrematou mal e não teve eficiência.

Na reta final, os dois times puderam ficar em vantagem e o prêmio foi aos poloneses. Após cobrança de escanteio, Schär subiu livre para cabecear, contudo sem força e Fabianski fez a defesa tranquilo. Logo em seguida, entretanto, o zero saiu do marcador em favor da Águia Branca. Em contra-ataque mortal, Grosicki avançou pela esquerda e serviu Blaszczykowski, que finalizou na saída de Sommer e, em falha no posicionamento de Djourou, correu para o abraço.

No segundo tempo, a movimentação do ataque seguiu intensa e com as duas seleções criando boas chances. Em desvantagem no placar, a Suíça foi quem começou assustando, quando Shaqiri bateu escanteio fechado e a defesa cortou somente dentro da pequena área. Depois, Lewandowski recebeu sem espaço entre os marcadores e conseguiu chutar em direção à meta, mas Sommer defendeu.

Com oportunidades sendo criadas pelos dois lados, o embate mostrou bom nível, empolgando o torcedor. Em uma dessas, Rodríguez bateu falta colocada e Fabianski afastou com a ponta dos dedos, impedindo o empate. Em sequência, depois de um bate-rebate na pequena área, Shaqiri ficou com o rebote e chutou com força, acertando o travessão polonês.

A pressão helvética, motivada pela torcida, foi tanta que nem mesmo a solidez defensiva da Polônia resistiu. Após tentativa de cruzamento no meio da área, a bola caiu com Shaqiri. Da intermediária, o camisa 23 da Suíça mandou um voleio espetacular e marcou uma pintura em Saint-Étienne, igualando e a decisão indo à prorrogação.

Nos 30 minutos decisivos, a partida permaneceu bastante truncada e com poucos momentos ofensivos, porém foram os suíços que tiveram a melhor oportunidade de impedir a definição sair após os pênaltis. Shaqiri virou garçom e lançou para Derdiyok, que cabeceou bem e o camisa 1 polonês interveio.

Nos tiros penais, o equilíbrio também foi a tônica do jogo, com boas cobranças dos dois times. Na segunda série, Xhaka bateu muito mal e deixou a Polônia confiante. As últimas três tentativas foram tiveram 100% de aproveitamento, das duas seleções, com os poloneses indo às quartas de final.