Hazard brilha, Bélgica goleia Hungria e avança às quartas da Eurocopa

Com direito a show, os belgas conquistam placar elástico e mostram do que são capazes diante dos húngaros; o confronto das quartas será contra o País de Gales

Hazard brilha, Bélgica goleia Hungria e avança às quartas da Eurocopa
Foto: Pascal Pavani/Getty Images
Hungria
0 4
Bélgica
Hungria: Gábor Király; Roland Juhász (Dániel Böde), Richard Guzmics, Tamás Kádár, Ádám Lang; Gergo Lovrencsics, Ádám Nagy, Zoltán Gera (Ákos Elek), Balázs Dzsudzsák, Ádám Pintér (Nemanja Nikolic); Ádám Szalai.
Bélgica: Thibaut Courtois; Thomas Meunier, Toby Alderweireld, Thomas Vermaelen, Jan Vertonghen; Axel Witsel, Radja Nainggolan, Eden Hazard (Marouane Fellaini), Kevin De Bruyne, Dries Mertens (Yannick Ferreira Carrasco); Romelu Lukaku (Michy Batshuayi).
Placar: 0-1, min. 9, Alderweireld. 0-2, min. 77, Batshuayi. 0-3, min. 79, Eden Hazard. 0-4, min. 89, Carrasco.
ÁRBITRO: Mirolad Mazic (SER). Amarelos: Kadar 34', Lang 47', Elek 61', Vermaelen 67', Batshuyi 89', Szalai 90+2', Fellaini 90+2'
INCIDENCIAS: Partida válida pelas oitavas de final da Eurocopa 2016, disputada no Estádio Municipal de Toulouse, em Toulouse, na França.

O favoritismo venceu por sua qualidade. No confronto que valia a vaga para as quartas de final da Eurocopa neste domingo (26), a Bélgica bateu a Hungria pelo placar de 4 a 0, com gols de AlderweireldBatshuayiHazard e Carrasco, no Estádio Municipal de Toulouse. Destaque da partida, Eden Hazard brilhou, fazendo sua melhor partida até então, com direito a um gol de sua autoria e uma assistência, além de outras brilhantes jogadas. 

Com o resultado, a Bélgica segue viva na Euro, e encontrará pela frente a Seleção do País de Gales, que venceu a Irlanda do Norte no sábado, e também conquistou vaga para as quartas. A partida acontecerá na próxima sexta (1), ás 16 horas, no Stade Pierre-Mauroy. Já a Hungria voltara para casa, levando consigo a bela campanha construída na primeria fase da competição. 

Bélgica sufoca, mas Hungria se esforça para não deixar barato 

O início da partida foi tomado de pressão belga e, aos quatro minutos, veio o primeiro lance de maior perigo. De Bruyne recebeu na entrada da área e soltou uma bomba. A bola subiu e passou por cima da meta de Király, resultando em tiro de meta para a Hungria. A equipe do treinador Bernd Storck ainda tentou responder aos ataques da Bélgica, mas não chegou nem perto de demonstrar perigo já que, dois minutos após o tiro de meta, os Red Devils recuperaram a bola e voltaram a pressionar. De Bruyne levantou na área, Lukaku ganhou de dois e tentou a finalização de direita, mas ela saiu com desvio. Na jogada seguinte, mais uma vez De Bruyne, de frente para o gol, levou a bola para o pé esquerdo e bateu rasteiro. Király caiu bem e ficou com a bola sem dar rebote.  

Mas a defesa não conseguiu segurar por mais muito tempo, e aos nove minutos, o gol da Bélgica veio. De Bruyne cobrou falta da esquerda, Alderweireld apareceu no segundo pau, livre de marcação, e cabeceou para o fundo do gol. Era a recompensa para o esforço belga. Mas mesmo coma vantagem, os Red Devils continuaram as investidas contra a meta húngara. A Hungria só conseguiu chegar efetivamente a seu campo de ataque com 22 minutos, em jogada de Dzsudzsák, que arriscou de fora da áres, mas parou nas mãos de Courtois. No minuto seguinte, ao recuperar a bola, Mertens recebeu nas costas de Kádár, invadiu a área pela direita com liberdade, mas na hora do cruzamento jogou nas mãos de Király, que defendeu. No minuto 29, outra chance belga. Lukaku saiu da área, dominou na direita e levantou para De Bruyne. O camisa 7 antecipou a marcação e resvalou de cabeça. Király, atento, fez a defesa com tranquilidade.  

A pressão da Bélgica parecia não ter fim, e eram raros os momentos em que a Seleção Húngara encontrava espaços para atacar. Aos 38', Lovrencsics dominou fora da área e soltou uma pancada de direita. A bola passou muito perto do travessão de Courtois. Novamente aos 40 minutos, Gera cruzou, Witsel cortou de cabeça, e Dzsudzsák pegou a sobra, bateu da entrada da área e por muito pouco não empatou o jogo. Em resposta, um minuto depois, Mertens recebeu na grande área, livre pela direita, e bateu cruzado. Király fez um grande defesa. Na sequência, Witsel achou o mesmo Mertens, que finalizou em cima da marcação. Sem dar tempo adicional, o árbitro encerrou a primeira metade da partida, com o placar em 1 a 0 para a Seleção Belga. 

Show de Eden Hazard e festa digna da geração de ouro 

No início do segundo tempo, a Hungria já veio com sua primeira substituição: saiu Gera para a entrada de Elek. Apesar do primeiro ataque belga, que parou mais uma vez nas mãos de Király, os húngaros foram que passaram a pressionar na nova etapa que se iniciou. Aos 50', Szalai fez boa tabela com Elek, recebeu na área pela direita, mas bateu direto pra fora. Em seguida, Dzsudzsák cruzou da esquerda, Szalei subiu de cabeça, desviou, a bola bateu em Vermaelen e por muito pouco não entrou. O jogo parecia o inverso do que fora na etapa inicial. No minuto 58, a Bélgica conseguiu encontrar algum espaço na defesa adversária e, em cruzamento da esquerda, Lukaku tentou de letra, a bola passou, e Mertens mandou por cima do gol. O próximo lance perigoso viria novamente da Hungria, aos 65 minutos, quando Pintér dominou na entrada da área, levou para o pé esquerdo e arriscou. A bola desviou, e Courtois se esticou para salvar a Bélgica no tapinha. 

Aos 24 minutos, Wilmots decidiu fazer sua primeira alteração, mandando para o jogo Carrasco, no lugar de Mertens. Timidamente, o jogo voltava ao domínio dos belgas. Com 75 minutos, as duas equipes voltaram a  fazer alterações. Na Hungria, Pintér saiu para dar lugar a Nikolics e, na Bélgica, Batshuayi entrou para substituir Lukaku. Para a alegria belga, foram as alterações de Wilmots que surtiram o melhor efeito, de forma bem rápida. Aos 77 minutos, Hazard pegou sobra fora da área, avançou pela esquerda e cruzou rasteiro. Batshuayi, no primeiro toque na bola, desviou para o fundo da rede. E não satisfeito, o melhor jogador da partida, Eden Hazard ainda quis deixar a sua marca. Dois minutos após dar passe para o segundo gol, o camisa 10 foi para cima da marcação, levou a bola para o meio e bateu no cantinho. A Bélgica concretizava sua vitória por 3 a 0 e já havia praticamente garantido a ida ás quartas de final.  

Depois de fazer sua melhor partida na Eurocopa até então, Hazard ainda deixou o campo para dar lugar a Fellaini. Os húngaros ainda tentaram ameaçar, mas já não havia mais esperança alguma para a classificação. Três minutos antes do fim, veio o decreto de qual seleção merecia a vaga. Pelos pés de Carrasco, a Bélgica encontrou seu quarto e último gol. A talentosa geração belga conquistou um placar digno de sua qualidade, e conseguiu avançar na competição, ainda sonhando em sagrar-se campeã europeia.