Em reedição da última final, Itália e Espanha duelam pelas oitavas da Eurocopa

Italianos buscam pôr fim à freguesia recente ante espanhóis em combate por vaga na próxima etapa do torneio

Em reedição da última final, Itália e Espanha duelam pelas oitavas da Eurocopa
Itália
Espanha
Itália: Buffon; Barzagli, Bonucci e Chiellini; Florenzi, Parolo, De Rossi e Darmian; Giaccherini, Pellè e Éder. Treinador: Antonio Conte.
Espanha: De Gea; Juanfran, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets e Fàbregas; David Silva, Iniesta, Nolito; Morata. Treinador: Vicente Del Bosque.
ÁRBITRO: Cuneyt Çakir (TUR)
INCIDENCIAS: Partida válida pela oitavas de final da Eurocopa, a ser realizada em Stade de France, em Saint-Denis, na França.

Às 13h desta segunda-feira (27), Itália e Espanha medem forças no Stade de France, em Saint-Denis, pelas oitavas de final da Eurocopa. A partida será um reencontro da final da Euro 2012, onde a Roja goleou a Azzurra por 4 a 0, em Kiev, na Ucrânia, e se sagrou bicampeã do torneio.

Além de estar em jogo a vaga para a próxima etapa da Eurocopa, os italianos lidam com uma indesejável freguesia para os espanhóis. Tudo começou na Eurocopa de 2008, quando a Espanha venceu a Itália, em Viena, na Áustria, nos pênaltis, após empate sem gols no tempo normal, e se classificou à semifinal. Quatro anos depois, veio o passeio por 4 a 0 na final da Euro 2012. Em 2013, outra queda nos pênaltis: depois de o 0 a 0 persistir no placar, a Fúria levou a melhor na semifinal da Copa das Confederações, em Fortaleza.

A Itália terminou a primeira fase da Eurocopa 2016 na liderança do Grupo E, com seis pontos. Os azzurri venceram Bélgica e Suécia, mas sucumbiram diante da Irlanda. Por sua vez, a Espanha encerrou sua participação no Grupo D na segunda posição, com seis pontos – ficou atrás da Croácia, que somou sete. Os espanhóis superaram República Tcheca e Turquia; perderam para a Croácia.

Sem Candreva, Conte pode mudar esquema tático da Itália

O meia Antonio Candreva não conseguiu se recuperar de uma lesão no músculo adutor da coxa direita, sofrida na vitória sobre a Suécia, na segunda rodada do Grupo E, e acabou vetado para a partida contra a Espanha. Devido à ausência do camisa 6, Antonio Conte pode acabar mudando o esquema tático da Azzurra.

O técnico poderia abrir mão do 3-5-2 e introduzir um 3-4-3. Com isso, Giaccherini deixaria a ala esquerda para atuar na ponta direita. Darmian ocuparia o corredor esquerdo, enquanto Florenzi seria o dono da ala direita. Parolo e De Rossi ficariam como meias centrais. Éder seria o ponta esquerda; Pellè, o atacante referência.

Em entrevista coletiva, Conte exaltou a adversária desta segunda-feira e afirmou que a Itália está pronta para o jogo. “Temos um grande respeito pela Espanha, que é uma das melhores equipes do mundo e um dos favoritos à conquista do título. Trabalhamos e estamos preparados para tudo o que possa acontecer. Não devemos sentir arrependimentos”, disse.

Toda mundo fala sobre a defesa, mas quero que a Espanha fique preocupada com aquilo que vamos fazer. Há organização na nossa defesa, mas também há organização no ataque. Temos de conseguir provocar uma surpresa”, observou. “Não quero voltar para casa e os nossos atletas também não querem. Não vamos entrar em campo derrotados, por tudo o que aconteceu em confrontos anteriores. Basta a Espanha provar que é melhor que nós”, completou.

Conte pode ter problemas para montar a Itália em caso de vitória sobre a Fúria e, consequentemente, avanço às quartas de final. Isso porque dez jogadores estão pendurados, sendo que quatro são os atletas da defesa titular: Buffon, Barzagli, Bonucci e Chiellini.

Del Bosque convicto no modo de jogar da Espanha

Nos últimos dias, houve especulações em torno variáveis táticas que Vicente Del Bosque, treinador da Espanha, poderia executar no jogo contra a Itália, que atua num esquema (3-5-2) que não é muito propício a equipes como a Seleção Espanha, adepta da marcação sob pressão na saída de bola do adversário.

O treinador não revelou se irá promover alterações táticas na Espanha para o duelo diante da Itália. “Temos uma ideia clara sobre a forma como pretendemos jogar em função das características dos jogadores, e agora é colocar as nossas ideias em prática”, avaliou o treinador, que ainda relembrou os combates ante os italianos durante a Euro 2012.

O nosso primeiro jogo na última Eurocopa foi contra a Itália. Eles eram melhores, mas conseguimos empatar, e depois acabamos os encarando na final e vencemos”, afirmou.

Caso não faça mudanças, Del Bosque deve mandar a campo a mesma equipe que iniciou os três jogos da fase de grupos. Assim, Morata permanece como atacante fixo no sistema 4-2-3-1, auxiliado por três meais: David Silva, Iniesta e Nolito. O único atleta pendurado para a partida é zagueiro Sergio Ramos.