Euro 2016: RX - Islândia

A Islândia foi, sem dúvida, uma das grandes surpresas deste Campeonato da Europa. Começou no Grupo F, juntamente com Portugal, e, para já, eliminou a Inglaterra, rumando aos quartos-de-final. Eis uma análise mais detalhada do percurso desta selecção.

Euro 2016: RX - Islândia
A Islândia tem-se revelado promissora ao longo deste Europeu // Foto: dailymail.co.uk

A Islândia começou o Euro 2016 inserida no Grupo F, juntamente com Portugal, Hungria e Áustria. A equipa da Islândia era vista como o «patinho feio» do grupo e, até, do Europeu. Contudo, a surpresa não tardou a chegar e, aquando do primeiro jogo da fase de grupos, frente a Portugal, a Islândia conseguiu a proeza de «arrancar» um empate à selecção das quinas, favorita do grupo.

Seguiu-se o embate frente à Hungria, que passou no 1º lugar do grupo. Tal como no jogo anterior, a Islândia voltou a surpreender, terminando a partida com mais 1 ponto somado, fruto de um novo empate a uma bola (1-1). Contudo é de relembrar que, se não fosse o auto-golo de Saevarsson ao minuto 88, a Islândia teria vencido a partida.

O último jogo da fase de grupos foi frente à Áustria. A equipa nórdica só consolidou a vitória para lá do minuto 90 (90+4'), quando os portugueses já festejavam o 2º lugar do grupo. No entanto, foram mesmo os islandeses a segurar a 2ª posição, rumando aos oitavos-de-final.

A Islândia fez História neste Europeu ao estrear-se em fases finais, e mais histórica é esta participação com a passagem aos quartos de final // Foto: Facebook UEFA EURO 2016
A Islândia fez História neste Europeu ao estrear-se em fases finais, e mais histórica é esta participação com a passagem aos quartos de final // Foto: Facebook UEFA EURO 2016

Nesta fase da competição os empates já não eram suficientes e o adversário não era de desvalorizar. O embate foi frente à Inglaterra, e a Islândia presenteou os adeptos com a maior surpresa do Euro, ao eliminar a poderosa selecção britânica, quando a vantagem e o favoritismo estavam do lado inglês. Wayne Rooney converteu uma grande penalidade ao minuto 4, mas a euforia britânica durou pouco tempo, já que Ragnar Sigurdsson empatou a partida ao minuto 6. Tudo em aberto, especialmente as bocas dos adeptos, com toda a admiração e surpresa possível, e o segundo golo acabou por aparecer, ao minuto 18, por intermédio de Bodhvarsson. O improvável aconteceu e a Islândia ditou o fim da participação da Inglaterra no Euro 2016.

Os quartos-de-final serão disputados frente à França, anfitriã do Campeonato da Europa de 2016. A Islândia apresentou, ao longo da competição, uma grande capacidade defensiva. A aposta verificou-se sempre mais a nível defensivo do que ofensivo e com um esquema tático assente num 4-4-2. Outra característica da selecção islandesa é a força do colectivo, deixando de lado as individualidades.

A Figura: Gylfi Sigurdsson

Sigurdsson quer continuar a ajudar a Islândia nesta surpreendente caminhada.   |   Photo: telegraph.co.uk
Sigurdsson quer continuar a ajudar a Islândia nesta surpreendente caminhada | Foto: telegraph.co.uk

Gylfi Sigurdsson é a figura da Islândia. O médio de 26 anos actua pelo Swansea City e é o jogador mais caro do plantel da selecção islandesa. O médio islandês disputou 36 partidas na Premier League, apontando 11 golos ao serviço da sua equipa. Para além da sua boa capacidade técnica, Sigurdsson é uma peça importante no meio campo islandês, contribuindo ao longo deste europeu com exibições positivas em todas as partidas. Além de fundamental no meio campo, o camisola 10 também já fez um golo neste Euro 2016, frente à Hungria.