Eles foram titulares no primeiro semestre da China, mas hoje estão nos times reservas de suas equipes

Jogadores foram deixados nas equipes reservas da China por causa de contratações de outros estrangeiros

Eles foram titulares no primeiro semestre da China, mas hoje estão nos times reservas de suas equipes
(Fotomontagem: Hugo Alves/VAVELBrasil)

Muitas transferências rondaram a Super Liga Chinesa na última janela de verão. E por causa da política "4+1" em relação aos estrangeiros, os times chineses são obrigados a "se livrarem" de um ou mais quando contratam jogadores de fora. Quando não há tempo de encontrar possíveis compradores, grande parte desses jogadores são enviados para o time reserva dessas equipes. Na China há uma liga reserva, mas uma vez registrado, o jogador não é obrigado a disputar o torneio.

Também existem casos de jogadores que se machucam por muito tempo e precisam ser substituídos para que o time não tenha significativas perdas técnicas. Aqui vai uma lista de quatro atletas que iniciaram a temporada na China como titulares, mas pararam nos times reservas de suas equipes por variados motivos.

EZEQUIEL LAVEZZI: contratado em fevereiro junto ao Paris Saint-Germain por € 5,5 milhões, o argentino de 31 anos machucou o ombro durante a disputa das semifinais da Copa América Centenário, nos Estados Unidos. A estimativa é que Lavezzi se recupere da lesão no final de agosto, entre a 23ª e 24ª rodadas. Além do argentino, o Hebei sofreu com as recentes lesões de Gervinho e Stéphane M'Bia, sendo obrigado a ir ao mercado e contratar o brasileiro Aloísio, do Shandong Luneng. Assim, o argentino foi deslocado para o time reserva. Lavezzi tem contrato com o Hebei até o final de 2017, e em dez jogos pela equipe deu quatro assistências e nenhum gol.

DIEGO TARDELLI: o atacante é, dos que estão na lista, quem está mais tempo na China. Tardelli chegou no país no início de 2015, ao ser contratado por € 5,5 milhões junto ao Atlético Mineiro. Depois do terceiro lugar conquistado na primeira temporada, 2016 começou com quatro gols em quatro jogos na Liga dos Campeões da Ásia. Se no torneio continental Tardelli ainda faria mais dois gols e veria o Shandong avançar até as quartas de final, na Super Liga Chinesa o brasileiro faria apenas três gols em 12 jogos. Após as chegadas do italiano Graziano Pellè e do senegalês Papiss Cissé, Diego Tardelli foi o escolhido para deixar o elenco. O atacante de 31 anos tem contrato com o Shandong Luneng até janeiro de 2019.

: o atacante brasileiro chegou ao Jiangsu em janeiro após ser contratado por € 2 milhões junto ao Al-Shabab, dos Emirados Árabes. Em 23 jogos na temporada, fez 11 gols; o atacante foi o artilheiro da equipe na Liga dos Campeões da Ásia (quatro gols) e é o jogador do Jiangsu com mais gols na Super Liga Chinesa (seis gols em 17 jogos). Mesmo assim, a equipe foi atrás do colombiano Roger Martínez e deslocou o brasileiro para a equipe reserva. tem contrato com o Jiangsu Suning até o final do ano.

WAGNER: em julho de 2015 o meia foi contratado junto ao Fluminense. Em sua primeira temporada, Wagner disputou nove jogos de 12 possíveis, com um gol e quatro assistências. Em 2016 foram 11 jogos em 17 possíveis, novamente com um gol e quatro assistências. Depois de ficar fora dos últimos três jogos, o meia viu o Tianjin Teda contratar o atacante gabonês Malick Evouna. Assim, Wagner foi para o time reserva do Tianjin. Seu contrato com o clube vai até o final de 2017.

A lista poderia ser ainda maior se contabilizado o atacante ganês Asamoah Gyan. Um dos mais altos salários da China, Gyan não foi titular na temporada, perdendo 13 dos 27 jogos do Shanghai SIPG em 2016. Quando retornou ao time, perdeu posição para o marfinense Jean Evrard Kouassi. Após a contratação de Hulk, o ganês foi parar no time reserva do SIPG, onde seu contrato acaba em junho de 2017.