Rumo à Olimpíada: seleção feminina de futebol do Canadá

Medalhista de bronze na última Olimpíada e com uma experiente equipe, a seleção canadense buscará surpreender novamente em solo brasileiro.

Rumo à Olimpíada: seleção feminina de futebol do Canadá
Atletas canadenses com a medalha de bronze, conquistada na Olimpíada de 2012. (Foto: csiontario.ca)

A Seleção Canadense de Futebol Feminino possuí uma enorme tradição dentro da modalidade no cenário internacional. Atual 10ª colocada no atual ranking da FIFA, com participações em seis edições da Copa do Mundo (na qual a melhor colocação foi em 2003 nos Estados Unidos, onde ficaram na quarta colocação) e que foi sede do último mundial feminino, no ano passado. Sua primeira partida oficial em 1986 diante das tradicionais rivais norte-americanas, tendo sido derrotadas pelo placar de 2 a 0. Nessa Olimpíada, estão no Grupo F, ao lado da Austrália, Alemanha e Zimbábue.

O Canadá foi medalhista de bronze na última Olimpíada após vencer a França na disputa da terceira colocação. Sede da última Copa do Mundo, as canadenses foram eliminadas nas quartas de final para a Inglaterra e para essa Olimpíada chegam com uma equipe renovada em relação a do último mundial, mantendo claro jogadoras experientes importantes e que podem fazer a diferença para a equipe no torneio. 

Christine Sinclair: A alma da seleção canadense

Com 162 gols em 243 partidas com a seleção canadense, Sinclair é a maior artilheira a nível internacional do futebol feminino em atividade, sendo superada em número de gols apenas por Abby Wambach, aposentada no ano passado. (Foto: quotesgram.com)
Com 162 gols em 243 partidas com a seleção canadense, Sinclair é a maior artilheira a nível internacional do futebol feminino em atividade, sendo superada em número de gols apenas por Abby Wambach, aposentada no ano passado. (Foto: quotesgram.com)

Impossível não lembrar de Christine Sinclair ao se referir ao futebol feminino do Canadá. Atualmente defendendo o Portland Thorns pela NWSL, a jogadora de 33 anos é a atual capitã, jogadora com maior número de partidas e também a maior artilheira da história da história da equipe. Com quatro edições de Copas do Mundo disputadas (2003, 2007, 2011 e 2015) e chega a sua terceira Olimpíada. Vale lembrar que ela foi a artilheira da última edição dos Jogos, tendo marcado seis gols, com direito a um hat trick na polêmica partida das semifinais em Manchester diante dos Estados Unidos, na qual as norte-americanas venceram pelo placar de 4 a 3 na prorrogação, com um gol de Alex Morgan nos acréscimos. 

Sinclair se notabiliza por ser uma finalizadora precisa e uma goleadora altamente prolífica, líder, versátil e que é capaz de jogar tanto como uma atacante de referência, como atuando pelos lados de campo e até mesmo como armadora no meio-campo, devido a sua capacidade de ler o jogo e criar chances para as companheiras de equipe. Além de características ofensivas, ela se notabiliza por sua força física e pelo trabalho defensivo que desempenha em inúmeras ocasiões pela seleção. 

John Herdman: Um inglês acostumado a grandes desafios

Aos 41 anos, John Herdman tentará sua segunda medalha olímpica no comando da seleção do Canadá. (Foto: fifa.com)
Aos 41 anos, John Herdman tentará sua segunda medalha olímpica no comando da seleção do Canadá. (Foto: fifa.com)

John Herdman iniciou sua carreira como treinador bem distante de sua terra natal, mais especificamente na Nova Zelândia no ano de 2003. O grande objetivo era trabalhar no desenvolvimento do futebol feminino no país, trabalhando em escolas em busca de novas atletas que pudessem representar o país a nível de seleções de base, podendo posteriormente aproveitadas na seleção principal. Foi exatamente o que ocorreu e após sucesso nas seleções sub-20 do país, Herdman foi efetivado em 2007 no comando da seleção principal feminina da Nova Zelândia, treinando a equipe nos mundiais de 2007 e 2011, além das Olimpíadas de 2008. 

Em 2011, um novo desafio foi feito ao treinador: recolocar a seleção do Canadá no cenário do futebol feminino internacional, após péssima Copa do Mundo em 2011, na qual a seleção foi eliminada com 3 derrotas e a última colocação no torneio. Iniciando um lento e gradual processo de renovação, mantendo atletas experientes como Christine Sinclair, Sophie Schmidt e Diana Matheson, o resultado foi quase que imediato com a conquista do ouro nos Jogos Pan-Americanos em 2011. No ano seguinte, a seleção canadense faria história com a medalha de bronze olímpica. O trabalho de Herdman continuou e mesmo com uma eliminação nas quartas de final da última Copa do Mundo, manteve-se no comando da equipe e tentará novamente levar a equipe a uma medalha olímpica. 

A estreia da seleção canadense será no dia 3 de agosto, diante da seleção da Austrália. A partida será realizada na Arena Corinthians em São Paulo, a partir das 15h, pelo horário de Brasília.