Guia VAVEL SPL 2016/2017: A ascensão do Aberdeen de Alex Ferguson na década de 1980

Como o treinador levou o clube a conquistar o campeonato nacional depois de quase 25 anos

Guia VAVEL SPL 2016/2017: A ascensão do Aberdeen de Alex Ferguson na década de 1980
(Foto: Hugo Alves/VAVEL.com)

Alex Ferguson, em meados dos anos 70, mais precisamente no final daquela década, ainda não era nem sombra do que se tornaria alguns anos depois. Era o começo de uma carreira promissora como treinador de futebol. Após pendurar as chuteiras, em 1974, ele já treinou o seu primeiro clube, o East Stirlingshire.

Em 1978, o quinto ano de carreira como comandante, Ferguson acertou a transferência para o Aberdeen, clube tradicional escôces à época. O treinador assumiu o clube para preencher a vaga deixada por Billy McNeill, que foi seduzido por uma proposta do Celtic.

Ferguson tinha um grande desafio pela frente. Um treinador inexperiente que assumia um clube importante da Escócia e que não ganhava a Liga Escocesa há mais de 20 anos. O último título havia sido conquistado na temporada de 1955. O principal objetivo, claro, era voltar a figurar entre os campeões nacionais.

Porém, os grandes resultados não apareceram de imediato. Na primeira temporada, um quarto lugar na Liga, apesar de ter alcançado a semifinal da Scottish FA Cup (Copa da Escócia).

Em dezembro de 1979 começava o processo de ascensão. O time, apesar de não ter começado muito bem a temporada 79-80, conseguiu chegar ao tão sonhado título. Foi a primeira vez, em 15 anos, que a Liga não era vencida por dois de seus mais famosos e tradicionais clubes: Rangers e Celtic. E, também, a primeira vez depois de quase 25 anos, que o Aberdeen sagrava-se campeão nacional.

Dois anos depois, em 1982, Ferguson levou o Aberdeen a mais uma conquista: dessa vez, o clube venceu a Copa da Liga. Com esse triunfo, o técnico fez com que seu clube deixasse de ser apenas um clube nacional, colocando-o em evidência no cenário Europeu. O Aberdeen começava a se destacar como clube continental e Alex Ferguson crescia no cenário como um grande treinador.

Credenciado para disputar a European Cup Winners Cup, o time escocês não decepcionou. Passou por grandes potências do futebol europeu, tais como Bayern de Munique e Real Madrid e chegou ao título continental, em 1983. O Aberdeen sagrava-se como a terceira equipe escocesa na história a alcançar uma glória continental, além de ser o primeiro título europeu de Alex Ferguson como treinador. E, no torneio seguinte, mais um título da Copa da Liga, derrotando o Rangers na final.

Àquela altura, já consolidado, era hora de dar mais consistência ao time e buscar mais títulos. Foi o que Ferguson fez. Levou o Aberdeen a mais uma conquista nacional e defendeu o título da Scottish FA Cup. O treinador levaria seu clube ao bicampeonato, na temporada de 1984-1985, depois de ter recusado propostas para treinar grandes clubes ingleses, como Tottenham e Arsenal.

Contudo, o Aberdeen não conseguiu repetir a mesma consistência na temporada seguinte, acabando na quarta colocação. Alex Ferguson ainda seria designado para o conselho administrativo do clube, porém nada impediria a sua saída ao fim daquela temporada.

E o destino não seria nada menos do que a seleção. Depois de reerguer a equipe do Aberdeen, tanto no cenário escocês quanto Europeu, Ferguson foi convidado a substituir o atual técnico da seleção da Escócia, que sofreu um infarto durante as eliminatórias para o Mundial do México, em 1986.