Iraque surpreende e empata com Dinamarca na abertura do futebol masculino

Equipe da Ásia apresentou um bom futebol no jogo inicial da rodada dupla realizada em Brasília, porém, não conseguiu acertar o último passe ou foi mal nas finalizações; resultado é bom para a Seleção Brasileira

Iraque surpreende e empata com Dinamarca na abertura do futebol masculino
Equipes não foram capazes de balançar as redes adversárias (foto: Getty Images)
Iraque
0 0
Dinamarca
Iraque: Hameed; Tariq, Ibrahim, Nadhim, Ismail, Adnan; Kareem, Attwan, Abdulameer, Husni (Kamil, min. 66); Ahmad (Abdulraheem, min. 60). Técnico: Abdul Ghani Shahad
Dinamarca: Hojbjerg; Desler, Gomes, Gregor, Blabjerg; Nielsen (Emil Larsen, min. 54), Maxso, Jonsson (Kasper Larsen, min. 83), Borsting; Vibe, Brock-Madsen (Jacob Larsen, min. 79). Técnico: Niels Frederiksen
ÁRBITRO: Cesar Ramos (MEX). Deu cartão amarelo para Ibrahim (min. 53), Jonsson (min. 76), Kasper Larsson (min. 87)
INCIDENCIAS: Jogo de abertura da chave masculina dos Jogos Olímpicos de 2016. Partida disputada no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília

O público que chegou mais cedo ao Estádio Nacional Mané Garrincha para acompanhar a estreia da Seleção Brasileira na chave masculina de futebol dos Jogos Olímpicos Rio 2016 se decepcionou com o que viu nesta quinta-feira (4). Dinamarca e Iraque fizeram a partida de abertura do torneio e foram incapazes de superar as defesas adversárias e o jogo terminou empatado por 0 a 0, válido pelo Grupo A.

O ponto positivo da partida foi a surpreendente forma com que os iraquianos entraram no gramado do Mané Garrincha. A equipe comandada pelo técnico Abdul Ghani Shahad surpreendeu no toque de bola, agressividade ofensiva e organização tática. O problema é que poucas chances foram criadas. A Dinamarca até começou bem e acertou uma bola na trave no comecinho do jogo com Vibe, mas decepcionou a todos que esperavam uma atuação melhor da equipe do país escandinavo na capital federal.

As equipes voltam a campo para a rodada dupla no próximo domingo, no mesmo estádio Mané Garrincha. No primeiro jogo, os dinamarqueses encaram a África do Sul às 19h (de Brasília) em busca do primeiro triunfo na Olimpíada. Já o Iraque terá pela frente o estádio lotado e o Brasil, às 22h (de Brasília). Os adversário serão invertidos na próxima quarta-feira. Os europeus enfrentam a Seleção Brasileira na Fonte Nova, em Salvador, e os iraquianos pegam os sul-africanos na Arena Corinthians, em São Paulo.

Com o Mané Garrincha ainda às moscas, a Dinamarca começou bem a partida e deu logo aos dois minutos o aviso de que iria pressionar o adversário em busca de abrir o marcador. Desler avançou até a linha de fundo pelo lado direito e rolou para trás. Vibe finalizou de primeira e a bola bateu na trave. Entretanto, os escandinavos foram surpreendidos em Brasília. A seleção do Oriente Médio passou a controlar o ímpeto adversário e até a dominar a posse de bola. A primeira chance foi aos cinco minutos com Kareen chutando fraco para defesa do goleiro adversário.

Cinco minutos depois, Ahmad saiu cara a cara com o goleiro Hojbjerg, mas deixou a bola escapar ao tentar driblá-lo. A maior posse de bola e o controle de jogo não foram suficientes para os iraquianos não sofrerem com contra-ataques. Aos 25 minutos, Nielsen recebeu passe de Vibe e bateu cruzado para o goleiro Hameed espalmar, fazendo grande defesa. As respostas do Iraque acontecerem em cobranças de falta. Aos 37 minutos, Adnan cobrou falta e o arqueiro dinamarquês espalmou. Os dois voltaram a se enfrentar aos 45 minutos e novamente com vantagem do atleta do time europeu.

O segundo tempo começou e os dois times inverterem papéis. Pelo menos no que diz respeito a bola parada. Aos dois minutos, Nielsen cobrou falta e foi a vez do goleiro Hameed espalmar e evitar o primeiro gol da competição masculina do futebol. A seleção asiática continuou na etapa final marcando a saída de gol e manejando bem a bola, mas pouco criou. E ainda viu a seleção da Dinamarca equilibrar a partida aos poucos. Abdulameer até tentou de fora da área, aos 27 minutos, mas para fácil defesa de Hojbjerg. Os iraquianos tiveram uma chance no final com cobrança de falta de Adnan, mas o encontro terminou sem gols na capital.