Em situação complicada na tabela, Bolívia e Peru se enfrentam pelas Eliminatórias

Selecionado boliviano tem a estreia de Ángel Hoyos como treinador; dupla de ataque "brasileira" é esperança de gols da seleção peruana

Em situação complicada na tabela, Bolívia e Peru se enfrentam pelas Eliminatórias
Foto: Raul Sifuentes/STR/Getty Images
Bolívia
Peru
Bolívia: Romel Quiñonez, Edemir Rodríguez, Ronald Raldes, Nelson Cabrera e Jorge Flores; Alejandro Meleán, Walter Flores, Raúl Castro e Jhasmani Campos; Juan Carlos Arce e Marcelo Moreno. Técnico: Ángel Guillermo Hoyos.
Peru: Pedro Gallese, Aldo Corzo, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Yoshimar Yotún; Edwin Retamoso, Renato Tapia, Andy Polo e Edison Flores; Christian Cueva e Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.
ÁRBITRO: José Argote (VEN).
INCIDENCIAS: Partida válida pela sétima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018, a ser disputada no estádio Hernando Siles, em La Paz/BOL.

Seis meses depois, as Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018 estão de volta e, abrindo a sétima rodada, Bolívia e Peru se enfrentam a partir das 17h desta quinta feira (1º), horário de Brasília, no estádio Hernando Siles, em La Paz. As duas seleções estão em situação periclitante na competição, longe da tão sonhada vaga para o mundial.

Os bolivianos estão na penúltima posição, com apenas três pontos, obtidos através da única vitória em todo o torneio, na terceira rodada contra a lanterna Venezuela. São cinco derrotas até aqui e uma vaga na Copa viria apenas pelo milagre divino.

O selecionado peruano não está em situação tão diferente assim. Uma posição acima da Bolívia e um ponto a mais, a campanha da seleção comandada por Ricardo Gareca decepciona. Uma vitória, um empate e quatro derrotas, sendo uma delas para o Brasil por 3 a 0, numa atuação apática.

De técnico novo, Bolívia quer recomeçar sua trajetória 

Em substituição a Julio Cesar Baldivieso, dispensado devido a péssima campanha boliviana até aqui e aos problemas pessoais que tinha com alguns jogadores, o argentino Ángel Guillermo Hoyos assumiu o comando técnico ainda no mês de julho. Em sua primeira prova de fogo, o treinador tem a missão de fazer time e torcedor voltarem a sonhar com uma vaga no mundial da Rússia, em 2018. Para isso, Hoyos sabe que é fundamental começar a caminhada vencendo dentro de casa.

“Sabemos que estamos em uma situação delicada. Mas ainda é possível pensar em classificação, nem que seja via repescagem. Para isso, teremos que ganhar todos os compromissos dentro de casa e ver o que conseguimos fora. O importante é pensarmos em um jogo de cada vez e o primeiro é esse difícil compromisso contra o Peru”, disse o técnico. A convocação trouxe de volta nomes que se negavam a trabalhar com o treinador anterior, caso de Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo.

Ao lado da Venezuela, a seleção boliviana é a que mais perdeu ao longo das Eliminatórias. São cinco no total. Sendo duas em casa, contra Uruguai e Colômbia. O time tem um dos piores ataques, com 7 gols marcados e uma das piores defesas, sofrendo 13 gols. Sempre favorito às avessas (cotado para ficar nas últimas colocações), o selecionado boliviano terá de se superar e superar a desconfiança de todos para mudar o quadro em que se encontra e, quiçá, conseguir chegar à repescagem.

"Acabou o caô": dupla de ataque atualmente no futebol brasileiro é esperança de gols

Cristian Cueva, do São Paulo e Paolo Guerrero, do Flamengo. Os titulares do ataque peruano tem tempero brasileiro. Ricardo Gareca, ex-Palmeiras, sabe da capacidade de ambos e neles deposita a esperança de gols da equipe. Lidando com o desfalque do meia Oscar Vilchez, lesionado na coxa direita, o treinador não tem mistério na escalação. Com a pontaria já calibrada atualmente, Cueva e Guerrero treinaram finalizações exaustivamente ao longo da preparação.

Gareca espera que a equipe conquiste pontos fora de casa para melhorar na tabela. Por que não começar contra a Bolívia? “Temos condições de fazer uma boa campanha daqui para frente e arrancarmos a classificação. Mas para isso é importante que a gente consiga pontos em jogos fora de casa, como esse contra a Bolívia”, declarou.

Apresentando apenas 22,2% de aproveitamento, o Peru é um bom visitante. Por que? Porque não incomoda o dono da casa. São três derrotas, para Chile, Brasil e Uruguai. Tem o pior ataque da competição, marcando 6 gols e a terceira pior defesa, tendo sua rede balançada 12 vezes. Se quiser sonhar com uma vaga no mundial da Rússia, será preciso fazer bem mais do que tem feito.