Auxiliar técnico do Equador critica arbitragem, mas vê falta de intensidade de seu time

Luis Sanchez nega possibilidade de demissão de Gustavo Quinteros e avalia placar como resultado da falta de intensidade da sua equipe

Auxiliar técnico do Equador critica arbitragem, mas vê falta de intensidade de seu time
Gustavo Quinteros ao lado de Claudio Campos, um dos seus auxiliares (Foto: AFP)

Na última quinta-feira (1ª), Equador e Brasil se enfrentaram em partida válida pela sétima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa da Rússia. A Seleção Brasileira saiu vitoriosa por 3 a 0, em pleno Estádio Olímpico Atahualpa, localizado em Quito. O confronto marcou a estreia do técnico Tite à frente da seleção canarinha e os gols da partida foram marcados por Neymar, de pênalti, e Gabriel Jesus (2).

LEIA MAIS: Gabriel Jesus brilha no segundo tempo e Brasil vence Equador na estreia de Tite

O Equador ocupava a liderança do torneio eliminatória até a partida de quinta-feira, porém, com a derrota, caiu para a quarta posição. Na sua área técnica, o treinador Gustavo Quinteros não estava presente, devido a uma suspensão, e foi substituído por seu auxiliar, Luis Sanchez.

Após a derrota para o Brasil, criou-se em território equatoriano a possibilidade de Quinteros pedir demissão do cargo, devido ao duro revés. No entanto, Sanchez, seu auxiliar, negou qualquer possível pedido de demissão do técnico equatoriano: “Nós nunca pensamos em renunciar aos nossos cargos”.

Luis Sanchez também revelou uma conversa com Gustavo Quinteros depois do resultado negativo em seus domínios, afirmando que será preciso mudanças para enfrentar a seleção peruana, na próxima terça-feira (6), em jogo que será realizado na capital do Peru, Lima. “Eu conversei com Gustavo, e concluímos que serão precisas mudanças para a partida diante do Peru”, disse Sanchez.

LEIA MAIS: Marcelo reconhece dificuldade contra Equador: "Resultado não diz o que foi o jogo"

O auxiliar de Quinteros acredita que a derrota também foi decidida nas aplicações de amarelos, realizadas pelo árbitro paraguaio Enrique Cáceres: “Você deve analisar quando o árbitro dá quatro cartões amarelos para o Equador e apenas um para o Brasil”. Sanchez também destacou a falta de intensidade da equipe equatoriana: “Pressionando derrotamos Argentina e Venezuela aqui, nos faltou isso hoje”.

Carlos Villacis, presidente da Federação Equatoriana de Futebol, mostrou-se chateado com o resultado adverso. Especula-se que ele levou um relatório à comissão técnico após com o Brasil. Villacis afirmou: “Eu não gostei da mudança de Felipe Caicedo”, criticando a mudança realizada pelo treinador.