Equador domina do início ao fim e vence Chile com tranquilidade em Quito

Equatorianos jogam muito bem, vencem chilenos sem problema e assumem vice-liderança momentânea das Eliminatórias

Equador domina do início ao fim e vence Chile com tranquilidade em Quito
Foto: Gary Granja/LatinContent/Getty Images
Equador
3 0
Chile
Equador: Dreer; Paredes, Luis Caicedo, Arturo Mina e Ramírez; Noboa, Orejuela, Fidel Martínez (Cazares, Min. 89) e Antonio Valencia; Caicedo (Ibarra, Min. 51) e Enner Valencia (Ayoví, Min. 82). técnico: Gustavo Quinteros
Chile: Bravo; Isla, Roco, Jara e Mena; Aránguiz, Marcelo Diaz (Castillo, Min. 50), Vidal e Pablo Hernández; Alexis Sánchez e Vargas (Leonardo Valencia, Min. 74). técnico: Juan Antonio Pizzi
Placar: 1-0, Antonio Valencia, Min. 18; 2-0, Ramírez, Min. 23; 3-0, Caicedo, Min. 46
ÁRBITRO: Mauro Vigliano (ARG); cartões amarelos: Bravo (Min. 16), Ramírez (Min. 86)
INCIDENCIAS: partida válida pela 9ª rodada das eliminatórias sulamericanas para copa do mundo 2018, realizada no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, Equador.

Vitória fácil e tranquila. Nesta quinta-feira (6), o Equador não deu chances aos atuais bicampeões da Copa América, o Chile, e venceu por 3 a 0, em jogo válido pela 9ª rodada das Eliminatórias Sulamericanas para Copa do Mundo 2018. Os gols do triunfo foram marcados por Antonio ValenciaCristian Ramírez Felipe Caicedo.

Com este resultado, o Equador chega a 16 pontos e sobe para a segunda posição de forma momentânea, entrando no G-4 que dá a vaga de maneira direta para a Copa. O Chile segue em sétimo com 11 pontos e não tem a possibilidade de ser ultrapassado.

Na próxima rodada, primeira do segundo turno, o Equador vai até La Paz encarar a Bolívia na terça-feira (11), às 17h. No mesmo dia, só que às 20h30, o Chile tentará se recuperá diante do Peru, no estádio Nacional de Santiago.

Equador domina e abre dois de vantagem

Se esperavam um Equador mais precavido e um Chile mais ofensivo nos primeiros minutos, erraram. Desde o começo do jogo, os donos da casa chegavam com muito mais perigo e faziam um jogo mais intenso que os chilenos, que ficavam presos na defesa e não conseguiam de trás para tentar concluir em direção à meta defendida por Dreer.

E a pressão inicial dos equatorianos deu resultado aos 18', quando Enner Valencia fez ótima jogada pela esquerda, atraindo três defensores, cruzou rasteiro, a bola atravessou toda a extensão da grande área, Valencia aproveitou escorregão de Isla, dominou e finaliza com força, cruzado, sem chances para Claudio Bravo: 1 a 0 Equador. Grande início de jogo dos donos da casa.

E quando esperava-se que o Chile, atual bicampeão da Copa América, se lançasse mais para o ataque, os donos da casa ampliara. Aos 23', cinco minutos após o primeiro gol, a bola foi mandada para a grande área, Fidel Martínez furou na hora de finalizar e a bola sobrou para o lateral-esquerdo Cristian Ramírez, que pegou de primeira e fuzilou a meta de Claubio Bravo: 2 a 0 Equador.

Após o gol, a partida ficou mais equilibrada em Quito, com os chilenos conseguindo deixar o jogo mais interessante. Aos 37', a única chance chilena na primeira etapa, quando Isla foi lançado na direita, recebeu com espaço e cruzou para a marca do pênalti, onde estava Vargas, que pegou de primeira, mas mandou por cima do gol na última ocasião de gol da primeira etapa.

Caicedo faz gol relâmpago e Equador confirma triunfo

A intensidade equatoriana na partida voltou ainda maior na segunda etapa, tanto que com menos de um minuto, saiu o terceiro gol, quando a bola foi lançada para Enner Valencia, que recebeu dentro da área, se enrolou um pouco, tocou para trás, Antonio Valencia pegou de primeira e Felipe Caicedo desviou para fazer ampliar ainda mais a vantagem dos donos da casa: 3 a 0 Equador. Resultado sensacional.

A partida ficou morno após o gol relâmpago, principalmente pelo do Equador se abdicar um pouco de jogar e começar a se defender mais. Porém, aos 23', quase saiu o quarto gol equatoriano, quando Ibarra, que entrou no segundo tempo, fez boa jogada pela esquerda, cortou para o meio e finalizou com força, mas Claudio Bravo foi boa defesa.

O Chile, que se lançou mais para o ataque, só veio assustar aos 30', quando Alexis Sánchez recebeu dentro da área e finalizou, mas Dreer estava atento e fez ótima defesa, em lance que praticamente deu números finais ao grande triunfo equatoriano em Quito por 3 a 0.