Bélgica controla, vence Bósnia e assegura liderança do Grupo H das Eliminatórias Europeias

Red Devils conseguem vitória tranquila sobre visitantes que apenas assustaram no começo do segundo tempo

Bélgica controla, vence Bósnia e assegura liderança do Grupo H das Eliminatórias Europeias
Foto: John Thys / Getty Images
Bélgica
4 0
Bósnia e Herzegovina
Bélgica: Courtois; Meunier, Alderweireld, Vertonghen, J. Lukaku (Ciman 21'); Witsel; Mertens, Fellaini, Hazard (Mirallas 87'), Carrasco; R. Lukaku (Benteke 82').
Bósnia e Herzegovina: Begovic; Bicakcic, Spahic, Zukanovic; Lulic, Medunjanin, Jajalo (Visca 73'), Kolasinac; Pjanic (Cimirot 81'); Ibisevic (Djuric 65'), Dzeko.
Placar: 1-0, min. 26, Spahic (GC). 2-0, min. 29, Hazard. 3-0, min. 60, Alderweireld. 3-0, min. 79, R. Lukaku.
ÁRBITRO: Martin Atiknson. Amarelos: Kolasinac 16', Jajalo 30', Lulic 75'.
INCIDENCIAS: partida válida pela segunda rodada das eliminatórias europeias para a copa do mundo de 2018, realizado no King Baudouin Stadium, em Bruxelas.

Depois de vencer confortavelmente na abertura das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018, a Bélgica voltou a campo para enfrentar a Bósnia e Herzegovina, possivelmente o adversário mais complicado da sua chave, a H. Apesar de saber disso, os belgas foram capazes de bater confortavelmente os bósnios por 4 a 0, na tarde desta sexta-feira (7), pela segunda rodada do Grupo H. Hazard, Alderweireld, Lukaku e Spáhic contra foram às redes. 

O resultado positivo dá a liderança da Chave H para os Red Devils, com seis pontos ganhos, seguidos da Grécia que também tem a mesma pontuação. Os bósnios caem para a terceira posição com seus três pontos. 

A próxima rodada acontece na próxima segunda-feira (10), com os belgas visitando Gibraltar e os bósnios recebendo o Chipre. Ambos jogos às 15h45, horário de Brasília. 

Calma e paciência resultam em vantagem de dois gols para Bélgica no primeiro tempo

Dada a característica de jogo de Martínez aliada ao fato da Bósnia estar sendo visitante, a partida começou de maneira calma, sem muita ação do que normalmente tem em jogos da Bélgica que, inicialmente, acaba mostrando e impondo intensidade no jogo para, depois, acabar acalmando as coisas seja por ter conseguido abrir uma vantagem ou por cansaço. Até os 26 minutos ninguém havia conseguido chutar ao gol. Paciência foi o nome desse intervalo de tempo.

Nesses 26 minutos, porém, Meunier apareceu pela direita e cruzou rasteiro para dentro da área. Spáhic tentou tirar, mas, atrapalhadamente, acabou colocando a bola para dentro do gol, tirando inclusive do goleiro, abrindo o placar para os donos da casa. Três minutos mais tarde, os Red Devils conseguiram chegar ao seu segundo gol, dessa vez com o seu camisa 10, Eden Hazard. O meia do Chelsea recebeu bela enfiada de bola de Mertens e chutou de esquerda cruzado, tirando do goleiro e ampliando o marcador.

Dois minutos depois, Vertonghen teve chance de alargar o placar em uma situação de bola parada ensaiada, porém seu chute da entrada da área acaba sendo alto e passa por cima do gol, desperdiçando a oportunidade. Após isso, toda a calma que foi vista no começo do jogo foi vista novamente e, com a posse, a Bélgica conseguiu neutralizar de maneira eficiente o ataque e uma possível pressão pela bola da Bósnia, indo com tal placar para o intervalo. 

Bélgica marca mais dois e assegura vitória

De maneira ofensiva e precisando chegar em uma boa posição de conseguir gols para empatar a partida, a Bósnia atacou bem a Bélgica logo no começo do segundo tempo. Aos sete minutos, um cruzamento foi feito pela direita, mas a zaga belga foi capaz de conseguir tirar. Na sequência, sobra de bola na entrada da área resulta no primeiro chute da fase final, mandado para fora. 

Ganhando em velocidade e intensidade em relação ao primeiro tempo, a fase final conseguiu impor alguma emoção para os torcedores logo no começo. Mertens, aos 11 minutos, arriscou da entrada da área, mas, desviado, ficou fácil para o goleiro. Três minutos depois, Lukaku tentou jogada, mas acabou vendo a bola indo para escanteio em desvio. Na cobrança, Alderweireld se antecipou à marcação e tocou de leve para o gol a batida rasteira, engordando ainda mais o placar, levando algum conforto para o time de Martínez.

Com 20 minutos no relógio, os donos da casa tiveram chance de ampliar ainda mais com Lukaku, que, em jogada de dois contra o goleiro, recebeu com o gol aberto dentro da área e acabou conseguindo mandar por cima do gol. Próximo dos 35 minutos, o atacante belga conseguiu compensar e finalmente conseguir seu gol. Recebeu na entrada da área, girou, conseguiu se manter no meio dos defensores e conseguiu o chute, mandando para o fundo das redes.