Coreia do Norte derrota Japão nos pênaltis e é campeã da Copa do Mundo Feminina Sub17

Coreanas se consagraram bicampeães da competição; confira como foi a edição de 2016 e o desempenho do Brasil

Coreia do Norte derrota Japão nos pênaltis e é campeã da Copa do Mundo Feminina Sub17
(Foto: Divulgação/FIFA Women's World Cup)

Pela segunda vez em sua história, a Coreia do Norte é a grande campeã da Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub17. Enfrentando o fortíssimo Japão na tarde desta sexta-feira (21), a seleção norte-coreana venceu nos pênaltis por 5 a 4 e leva mais uma conquista para casa, a segunda de sua história.

A quinta edição da Copa do Mundo Feminina Sub17 conheceu sua nova vencedora nesta sexta. A Coreia do Norte, primeira campeã do torneio em 2008, levantou a taça pela segunda vez e é a primeira bicampeã mundial na categoria. Até esse ano, quem detém o título é Coreia do Sul (2010), França (2012) e Japão (2014).

Da fase de grupos à grande final: Como Japão e Coreia chegaram na decisão

No Grupo C, a Coreia do Norte estreou com empate diante da Inglaterra por 3 a 3 e precisava se recuperar. Com isso, na segunda partida do torneio, a equipe enfrentou o Brasil e, com gol de Ri Hae-yon, venceu por 1 a 0. Diante da Nigéria, a jogadora ainda fez os três gols que levaram sua seleção à próxima fase.

Já o Japão teve campanha mais fácil no Grupo D. A equipe fez 5 a 0 em Gana logo no primeiro jogo, repetindo o placar diante do Paraguai na segunda partida. No duelo final desta fase, as japonesas tiveram confronto duro contra os Estados Unidos, vencendo por 3 a 2.

As quartas de final foram complicadas para a Coreia do Norte, que venceu Gana com gol de Ja Un-yong nos acréscimos do segundo tempo, garantindo o 2 a 1 no placar e a classificação. Já o Japão destruiu a forte Inglaterra, bateu as adversárias por 3 a 0 e avançou. Nas semifinais, vida fácil para as duas seleções, que venceram Venezuela e Espanha por 3 a 0.

Na grande final, 0 a 0 no tempo normal e pênaltis emocionantes

A Coreia do Norte não tinha uma tarefa fácil. Pela frente, o atual campeão Japão, que vinha com a difícil missão de segurar mais uma vez a taça. Com isso em mente e sabendo que a equipe japonesa era um pouco superior, as coreanas fizeram jogo duro e complicado. Se respeitando bastante desde o início e com características parecidas, os times se mantiveram em confronto morno até o fim. Mesmo conquistando boas oportunidades, as jogadoras japonesas não conseguiram furar o bloqueio norte-coreano e o placar permaneceu zerado.

Nas penalidades, a disputa foi acirrada e as equipes mostraram porque queriam muito vencer. Em sua quarta cobrança, o Japão colocou a camisa 6, Kanekatsu, na bola e, batendo muito mal, ela acabou isolando. A Coreia do Norte não desperdiçou e, acertando as duas últimas tentativas, se sagrou campeã.

Espanha leva a medalha de bronze; Venezuela fica em quarto

Os dois times chegaram à disputa pela medalha de bronze após derrota por 3 a 0 nas semifinais. Com isso, Espanha e Venezuela batalharam pela terceira colocação e, ao menos, uma conquista nessa Copa do Mundo.

Pensando nisso, as espanholas abriram o placar no primeiro tempo, mas faltava algo a mais. Foi então que, durante o intervalo, Lorena Navarro entrou no lugar de Natalia Ramos e deu um show. Foram três gols nos 45 minutos finais que garantiram o bronze às espanholas.

Artilharia espanhola 

(Foto: Divulgação/FIFA Women's World Cup)
(Foto: Divulgação/FIFA Women's World Cup)

Se a Seleção Espanhola tinha dúvidas sobre sua próxima grande artilheira, não tem mais. Lorena Navarro, de apenas 16 anos, tem pela frente um futuro promissor e foi autora de oito gols pela Espanha nessa Copa do Mundo Sub17 Feminina. A vencedora da chuteira de ouro marcou apenas em duas partidas, contra a Jordânia, quando fez cinco gols, e contra a Venezuela na disputa pelo terceiro lugar, acertando três.

Decepção brasileira e muito trabalho pela frente

Infelizmente a caminhada da Seleção Brasileira terminou cedo. Em três jogos, a equipe venceu apenas um, marcando dois gols e acabando com duas derrotas bem frustrantes. Eliminadas ainda na primeira fase em um grupo complicado, as meninas do Brasil agora olham para frente e já focam no próximo Mundial da categoria, em 2018.

Na fase de grupos, a Seleção Brasileira começou bem e até empolgou os torcedores com a vitória na estreia sobre a Nigéria por 1 a 0. Entretanto, a equipe não conseguiu manter o ritmo e, logo na segunda rodada, perdeu a primeira diante da Coreia do Norte, que acabou campeã, por 1 a 0. Ainda com chances de classificação, o Brasil saiu na frente da Inglaterra, mas levou a virada e acabou eliminado.

Com o resultado, a Seleção mostra que muito trabalho de base ainda precisa ser feito, assim como em todos os times femininos do Brasil. A geração, que se mostrou promissora no Campeonato Sul-Americano Sub17 de Futebol Feminino, quando foi vice para a Venezuela, ainda deve ser modelada e, para que ocorra a renovação no elenco principal, precisa de mais atenção dos órgãos responsáveis.

(Foto: Divulgação/FIFA Women's World Cup)
(Foto: Divulgação/FIFA Women's World Cup)

Próxima parada: Uruguai

Em 2018, a casa da Copa do Mundo Sub17 de Futebol Feminino será Sul-Americana. O Uruguai receberá as melhores seleções femininas Sub17 do mundo a partir do dia 20 de novembro, realizando a grande final no dia 13 de dezembro. Diferente do que acontece em outras edições de torneios da FIFA, essa competição ocorre de dois em dois anos.

Serão 16 seleções disputando o grande título da competição e, caso queira estar entre eles, o Brasil terá que ser campeão do Campeonato Sul-Americano Sub17 Feminino, disputado já em 2018.