Paraguai encara a Bolívia na altitude em busca de recuperação

As duas seleções foram goleadas na última rodada e entram com pressão pela vitória

Paraguai encara a Bolívia na altitude em busca de recuperação
Foto: Divulgação/Paraguai
Bolívia
Paraguai
Bolívia: Daniel Vaca, Ramiro Ballivián, Ronald Raldes, Gabriel Valverde e Jorge Enrique Flores; Walter Veizaga, Alejandro Chumacero, Erwin Saavedra e Juan Carlos Arce; Yasmani Duck e Rodrigo Vargas
Paraguai: Tony Silva, Juan Patiño, Darío Verón, Paulo da Silva e Junior Alonso; Néstor Ortigoza, Marcos Riveros, Derlis González e Òscar Romero; Ángel Romero e Haedo Valdez
ÁRBITRO: Christian Ferreyra (Uruguai); Assistentes: Mauricio Espinosa (Uruguai) e Gabriel Popovits (Uruguai)
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 12ª RODADA DAS ELIMINATÓRIAS PARA A COPA DO MUNDO DA RÚSSIA 2018, DISPUTADA NO Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia)

O jogo da ressaca. Assim pode ser definido o confronto entre Bolívia e Paraguai, válido pela 12ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. E o motivo é muito simples: os dois times sofreram goleadas dolorosas.

Enquanto a Bolívia levou 5x0 da Venezuela, que não tinha nenhuma vitória até então, o Paraguai sofreu a virada para o Peru e saiu de campo com 4x1 na despedida de Roque Santa Cruz diante da sua torcida.

Nos últimos dois jogos entre as equipes, ambos válidos por Eliminatórias, duas vitórias da seleção Guarani, por 2x1 e 4x0. O confronto, porém, é em solo boliviano, local onde a seleção da casa costuma endurecer e venceu a última partida contra os paraguaios por 3x1.

Se a Bolívia apenas cumpre tabela, já que, com 4 pontos e a última colocação, sequer pode sonhar com vaga na Copa de 2018, o Paraguai ainda tem boas chances de classificação. Com 15 pontos, o time treinado por Francisco Arce tem apenas dois pontos a menos do que o quarto colocado Equador.

Jogo de despedida

Se na rodada de quinta-feira o Paraguai viu Roque Santa Cruz se despedir da sua torcida com direito a um bonito mosaico, nesta noite de terça-feira será a vez da torcida boliviana despedir-se de um jogador. Walter Flores, de 38 anos, fará sua última partida pelo time da casa, despedindo-se oficialmente da seleção – ele não estava relacionado inicialmente para a partida e já havia dito que não jogaria mais pela Bolívia em jogos oficiais.

Em 2012, disse que não retornaria. Realmente, não pensava em voltar para a seleção. A minha ideia era para dar espaço para outras gerações, mas quando (Angel) Hoyos chegou me fez mudar de ideia”, afirmou o veterano.

O treinador Angel Hoyos não terá apenas o reforço do veterano Flores. Alguns desfalques preocupam para o jogo diante do Paraguai. O volante Ramallo está suspenso e Marcelo Moreno, conhecido no Brasil após passagem pelo Cruzeiro, está lesionado. Por outro lado, Arce, ex-Corinthians, retorna de lesão e estará à disposição.

O treinador boliviano comentou a situação na classificação e garantiu que não faltará disposição dentro de campo: “Temos que jogar pela camisa da Bolívia e pelo respeito que temos ao nosso povo. A classificação não é mais possível, mas precisamos terminar a competição de forma digna”, afirmou.

A provável escalação da Bolívia terá: Daniel Vaca, Ramiro Ballivián, Ronald Raldes, Gabriel Valverde e Jorge Enrique Flores; Walter Veizaga, Alejandro Chumacero, Erwin Saavedra e Juan Carlos Arce; Yasmani Duck e Rodrigo Vargas.

Arce, pressionado, precisa de vitória na altitude

A fragilidade da seleção boliviana, lanterna da competição, não ilude a seleção paraguaia, que vem alternando altos e baixos. Depois de uma grande vitória diante da Argentina e uma goleada vexatória para o Peru em seus domínios, a seleção Guarani sabe que não pode perder pontos novamente nesta terça-feira para não deixar o time os concorrentes abrirem distância.

Fortemente questionado após a derrota na última quinta-feira, Arce sabe que um novo tropeço pode complicar seu cargo no comando da seleção Guarani. Por isso, pediu erro zero na altitude: “Temos de jogar um jogo excelente, perfeito, sem erros. Cometemos erros não forçados e precisamos de mais determinação. Temos de fazer as partidas de nossas vidas no quesito concentração”, afirmou.

Os impactos da goleada peruana não ficaram apenas no comando técnico. A escalação deverá ter mudanças. No gol, Diego Barreto deverá perder seu lugar para Tony Silva. Arce também não contará com seus volantes Rojas e Cristian Riveros, suspensos. Nos seus lugares entrarão Ortogoza e Marcos Riveros.

O ataque também terá mudanças forçadas. Após as lesões atacarem a pré-convocação, deixando de fora o atacante Lezcano, Santander também sentiu na última partida e deverá ser substituído por Haedo Valdez, que vem atuando na MLS.

O provável Paraguai terá: Antony Silva; Juan Patiño, Gustavo Gómez, Paulo da Silva e Junior Alonso; Hernán Pérez, Néstor Ortigoza, Marcos Riveros, Celso Ortiz e Iturbe; Haedo Valdez.