Copa Centenário 20 anos: Benfica decepciona em BH, mas leva gordo cachê para Portugal

Com Eusébio no time, Encarnados não venceram nem um jogo em solo mineiro, terminando em último no Grupo B, do Cruzeiro

Copa Centenário 20 anos: Benfica decepciona em BH, mas leva gordo cachê para Portugal
Equipe cruzeirense goleou o Benfica, no Mineirão, por 4 a 1 (Foto: Osmar Ladeia/Especial à VAVEL Brasil)

Nestes primeiros dias de agosto, a Copa Centenário de Belo Horizonte está completando 20 anos. Mesmo que não tenha sido um torneio amistoso com grande receptividade do público foi uma oportunidade única dos torcedores assistirem a algumas das equipes que só podiam ser acompanhadas pela televisão. Uma delas é o Benfica, de Portugal.

O Benfica não estava na lista inicial de equipes convidadas para disputar o torneio. A princípio, o Barcelona, que ainda tinha Ronaldo em seu elenco, havia sido convidado para participar das festividades do futebol mineiro. No entanto, a demora pela resposta da agremiação catalã fez com que a FMF (Federação Mineira de Futebol), organizadora do torneio procurasse alternativa. O Benfica foi à equipe convidada. 

Segundo o então presidente da FMF, Elmer Guilherme Ferreira, em declaração ao jornal Folha de São Paulo, do dia 26 de julho de 1997, o Benfica recebeu US$ 700 mil, menos da metade que o Milan, de Paolo Maldini e George Weah, ganhou para disputar o torneio

Delegação do Benfica com jogadores importantes e um grande nome do futebol mundial

O Benfica chegou a Belo Horizonte no fim do mês de julho carregando consigo um nome de prestígio no futebol. Junto com o clube, um grande personagem da história da equipe portuguesa e do futebol mundial também estava em Belo Horizonte: o ex-centroavante Eusébio.

Eusébio, um dos maiores jogadores da história, esteve no BH acompanhando o Benfica. Foto: Osmar Ladeia/Especial à VAVEL Brasil

Ídolo máximo da história do futebol português, Eusébio fazia parte da delegação do Benfica que veio a Belo Horizonte. Não menos importante, acompanhava de perto os jogadores da equipe e a comissão técnica, do então treinador Manoel José. O "Pantera Negra", como ficou conhecido jogou na equipe benfiquista durante 14 anos e marcou 638 gols. Após encerrar a carreira, trabalhou no clube do Estádio da Luz durante muitos anos.

+ De Eusébio a Cristiano Ronaldo: os 50 anos entre campanhas históricas de Portugal

Outros nomes conhecidos da equipe benfiquista são do goleiro belga Michel Preud’homme, que estava próximo de encerrar a carreira, e do jovem atacante Nuno Gomes, então com 21 anos. Personalidades conhecidas com futebol brasileiro também fazia parte dos Encarnados. Seis meses antes de jogar no Benfica, o zagueiro Ronaldo atuava pelo Atlético-MG. Outro defensor era o paraguaio Gamarra, de excelente passagem por Internacional e Corinthians. O recém-chegado atacante Paulo Nunes, artilheiro pelo Grêmio era a grande novidade do elenco. 

Embora tivesse um grande time, campanha benfiquista foi decepcionante

Assim como o público dos jogos da Copa Centenário, a passagem do Benfica por Belo Horizonte não agradou. Logo na estreia, o time português perdeu para o Cruzeiro por 4 a 1. O gol dos Encarnados foi marcado por Paulo Nunes. A equipe celeste estava interessada na participação do time na Copa Libertadores da América, e por isso, mandou um time reserva, conhecido como "Expressinho". 

Ficha técnica do jogo entre Cruzeiro x Benfica( Foto: Arquivo/Estádio Mineirão)

Na rodada seguinte, nova derrota. Desta vez, para o Flamengo por 5 a 2. Quem marcou os gols do Benfica foram Paulo Nunes e Erwin Sanches. Para encerrar, a equipe benfiquista empatou sem gols contra o Olímpia, do Paraguai, e se despediu de Belo Horizonte, pois, no dia 24, estrearia no Campeonato Português.

Na festa dos 100 anos de Belo Horizonte, o Benfica fez parte da história das festividades do futebol na capital mineira. Diferente do que se esperava, a equipe portuguesa levou um gordo cachê, mas sem dar espetáculo. 

Futebol Internacional