Com gol solitário de Candreva, 'apática' Itália vence Albânia e aguarda repescagem

Meia da Internazionale salva equipe de novo tropeço e melhora situação da Azzurra no ranking da FIFA

Com gol solitário de Candreva, 'apática' Itália vence Albânia e aguarda repescagem
(Foto Dimitar Dilkoff/AFP/Getty Images)
Albânia
0 1
Itália
Albânia: Berisha; Hysaj, Veseli, Mavraj, Agolli; Kace, Basha (Lila, min. 68); Roshi (Ahmedi, min. 90), Memushaj (Latifi, min. 76), Grezda; Sadiku. Técnico: Christian Panucci.
Itália: Buffon; Darmian (Zappacosta, min. 61), Bonucci, Chiellini, Spinazzola; Parolo, Gagliardini; Candreva, Immobile, Eder (Gabbiadini, min. 89), Insigne (El Shaarawy, min. 90+2). Técnico: Giampiero Ventura.
Placar: 0-1, min. 73, Candreva.
ÁRBITRO: Svein Moen (NOR). Cartões amarelos: Lila (min. 75), Chiellini (min. 80)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 10ª rodada das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018, realizada no Estádio Loro Borici, em Escodra, Albânia.

Na tarde desta segunda-feira (9), a Itália entrou em campo pela última rodada da fase de grupos das Eliminatórias Europeias. No Loro Borici Stadium, em Escodra, a Azzurra teve como adversário a Albânia. Apesar de nova atuação ruim, a equipe de Giampiero Ventura saiu vitoriosa por 1 a 0, gol de Candreva, já na etapa final.

Com o triunfo, a Seleção Italiana chegou aos 23 pontos em seu grupo e aguarda a atualização do ranking da FIFA. É bastante provável que os comandados de Giampiero Ventura apareçam no pote 1, cenário que, teoricamente, reservaria um confronto de repescagem mais tranquilo para os italianos.

A Albânia encerra sua participação nas Eliminatórias Europeias com 13 pontos somados, na terceira posição do grupo G.

Em 1T ruim, Immobile luta sozinho

(Foto: GENT SHKULLAKU/AFP/Getty Images)

Apesar de assegurada na segunda posição de seu grupo, a Itália entrou em campo pressionada. A má atuação na derrota por 3 a 0 ante à Espanha unida ao tropeço em casa contra a Macedônia, aumentou consideravelmente a dúvida sob o futebol da Azzurra. Além disso, os maus resultados consecutivos pesariam no ranking, podendo ocasionar, como consequência, um chaveamento mais complicado na repescagem.

Em campo, todavia, o que se viu foi uma Seleção Italiana extremamente burocrática e apática, rifando bolas e apostando na individualidade de suas referências técnicas ofensivas: Immobile e Insigne. Parolo, Gagliardini e Candreva estiveram discretos durante toda a etapa inicial, dificultando o trabalho italiano no setor de meio de campo.

Ciro Immobile foi o que mais lutou e levou perigo ao gol de Berisha, seu companheiro de equipe na Lazio. Aos 21', o camisa 11 quase abriu o placar, mas parou em boa defesa do arqueiro. Aos 44', o atacante recebeu belo lançamento de Bonucci e finalizou firme, de dentro da grande área, mas viu a bola beijar a rede pelo lado de fora. Pelo lado albanês, Memushaj e Sadiku foram os mais ativos, mas levaram pouco perigo ao gol de Buffon.

Itália volta melhor e Candreva decide

(Foto: Dimitar Dilkoff/AFP/Getty Images(

Ciente do mau primeiro tempo, a Azzurra voltou para os 45 minutos finais com uma postura um pouco mais ousada. Insigne, mais participativo, passou a buscar mais o jogo no meio de campo, chamando a responsabilidade e criando oportunidades pelo lado esquerdo de ataque.

Do outro lado do campo, a Albânia não abdicava de jogar. Aos 18', Grezda finalizou firme de fora da área, obrigando Buffon a espalmar para escanteio. Em resposta, Eder e Parolo arriscaram finalizações consecutivas de média distância, testando Berisha, mas sem sucesso.

Aos 27', a mudança de postura dos visitantes surtiu efeito. Spinazzola fez bela jogada individual pela esquerda, driblou a marcação e cruzou para a área. A defesa albanesa cortou parcialmente, mas a bola sobrou limpa nos pés de Candreva, sozinho na pequena área. O meia da Internazionale dominou e fuzilou Berisha, tirando o zero do marcador.

Poucos minutos depois, a Albânia quase chegou ao empate, após cruzamento venenoso ser desviado contra, por Chiellini. A bola raspou o travessão de Buffon, assustando a torcida italiana. Com a vantagem no placar, os comandados de Ventura passaram a trabalhar a posse de bola, administrando a vitória.