Honduras passa sufoco, mas garante empate com Austrália no primeiro jogo da repescagem

Apesar de jogar em casa, Honduras vê Seleção Australiana ser melhor durante grande parte da partida e desperdiçar muitas chances de gol

Honduras passa sufoco, mas garante empate com Austrália no primeiro jogo da repescagem
Foto: Hector Vivas/LatinContent WO
Honduras
0 0
Austrália
Honduras: Escober; Beckles, Henry Figueroa, Johnny Palacios, Izaguirre; Claros, Mejía, Alex López (Mario Martínez); Lanza (Chirinos), Lozano (Costly), Quioto. Técnico: Jorge Luis Pinto.
Austrália: Ryan; Jurman, Sainsbury, Wright; Risdon (Degenek), Luongo, Jedinak, Behich; Irvine (Rogic), Mooy; Juric (Rukavystsya). Técnico: Ange Postecoglou.
INCIDENCIAS: Partida entre Honduras e Austrália, válida pela Repescagem Mundial para a Copa do Mundo, disputada no Estádio Olímpico Metropolitano, na América Central.

Sob muito calor e grande barulho vindo das arquibancadas, Honduras e Austrália abriram o confronto da Repescagem Mundial para a Copa do Mundo de 2018 no Estádio Olímpico Metropolitano, em San Pedro Sula. Com a intenção de se defender para evitar tomar um gol, a Seleção Hondurenha, de Jorge Luis Pinto, passou sufoco durante a partida, já que a Seleção Australiana, de Ange Postecoglou pecou na finalização, desperdiçando muitas chances de fazer um gol.

Com esse resultado, a Seleção Hondurenha terá uma pequena vantagem na partida de volta, que será disputada em Sydney na próxima quarta-feira (15), já que se classifica com qualquer empate com gols. A missão, porém, será difícil, já que os Cangurus jogarão com o apoio das arquibancadas vindo dos seus fãs, que, provavelmente, lotarão o Stadium Australia.

Honduras cautelosa e Austrália perdendo chances marcam o primeiro tempo

Apesar de jogar em casa, a Seleção Hondurenha, de Jorge Luis Pinto, não tomou as iniciativas ofensivas no primeiro tempo. Muito pelo contrário, os hondurenhos se preocuparam em se defender, para evitar levar um gol e cair na regra do ‘gol fora de casa’ e só assustou por meio dos chutões, que, geralmente, buscavam a Anthony Lozano e Romell Quioto, e acabavam se transformando em contra-ataques.

Mesmo que a primeira chance clara de gol foi dos donos da casa, quando, aos 4 minutos, Lozano recebeu um lançamento vindo da defesa e foi cortado bem na hora do chute, a Austrália teve as melhores chances: aos 11 minutos, Mooy ficou preso com três marcadores e tocou para Luongo, que fez uma belíssima jogada pelo lado direito, conseguindo chegar à cara do gol, mas foi parado por uma grande defesa, com a ponta dos dedos, do goleiro Escober.

Reflexo do jogo: lamentação australiana pelas chances perdidas (Foto: Hector Vivas/LatinContent WO)
Reflexo do jogo: lamentação australiana pelas chances perdidas (Foto: Hector Vivas/LatinContent WO)

Com o passar do tempo, a Austrália passou a controlar o ritmo da partida, já que possuía grande parte da posse da bola. Mesmo assim, a melhor chance na metade da primeira etapa foi dos donos da casa, quando, aos 26 minutos, Quioto recebeu uma bola longa, puxou um contra-ataque fulminante e cruzou na trave oposta, encontrando Lanza, que cabeceou, mas viu a bola passando muito perto da trave, desperdiçando uma boa chance dos hondurenhos.

A ação perigosa hondurenha, porém, parou por aí, já que os selecionados de Jorge Luis Pinto não conseguiram desenvolver mais nenhum contra-ataque de qualidade. Dessa maneira, a Austrália teve mais duas grandes chances: aos 28 minutos, Behich deu um drible desconcertante em Beckeles e encontrou Irvine livre dentro da área. O camisa 22, mesmo assim, conseguiu isolar a bola; Cinco minutos depois, Juric protagonizou um grande lance, já que tirou uma chapéu de chaleira da cartola, passou por Figueroa, mas, de cara a cara com goleiro, chutou para fora.

Austrália peca na finalização mais uma vez e segunda etapa perde em ritmo 

A etapa complementar não fugiu muito, pelo menos no começo, daquilo que fora visto nos primeiros 45 minutos da partida. A Austrália retornou ao gramado com um maior ímpeto ofensivo, marcando a saída de bola de Honduras no campo de ataque e buscando mais o gol. Honduras, por sua vez, não conseguia permanecer com a posse de bola, tendo muitos problemas com passe na parte central do campo, o que excluía a possibilidade de contra-ataques perigosos e em velocidade.

Ainda nos minutos iniciais, os Cangurus tiveram duas chances para tirar o zero do placar, mas, assim como no primeiro tempo, não conseguiram finalizar com qualidade. Aos sete minutos, Luongo venceu uma disputa de corpo com Mejía, avançou com liberdade na entrada da área e chutou rasteiro, mas parou em uma boa defesa de Escober. Um minuto mais tarde, Risdon recebeu um bom lançamento pelo lado direito e cruzou na medida para Juric, que venceu a disputa pelo alto mas cabeceou em cima do goleiro hondurenho, que, com os reflexos apurados, fez uma grande intervenção.

Muita luta e pouca criação: equipes não saem do zero (Foto: Hector Vivas/LatinContent WO)
Muita luta e pouca criação: equipes não saem do zero (Foto: Hector Vivas/LatinContent WO)

Parecia de propósito, mas não era: aos 15 minutos, a Seleção Australiana desperdiçou mais uma grande chance de abrir o placar. Risdon fez uma jogada incrível pelo lado direito, dando uma caneta em Izaguirre, conseguiu ficar livre e cruzou para trás, buscando Juric, que não conseguiu se posicionar com qualidade e viu a bola sair pela lateral. Se tivesse conseguido tocar na bola, o camisa 9 teria marcado um gol, já que o goleiro Escober estava vendido no lance.

Vendo a situação ruim, o treinador Jorge Luis Pinto fez alterações para equilibrar a partida: Chirinos e Mario Martínez entraram, respectivamente, nos lugares de Lanza e Alex López. Com as mudanças e um desgaste dos jogadores australianos, a Seleção Hondurenha parou, por ora, de sofrer com chances claras dos adversários de gol. Mesmo assim, não conseguiu assustar a meta defendida por Matt Ryan, já que os donos da casa não conseguiam criar nenhuma chance de perigo e mal conseguiam ficar com a bola em seus pés.

Após muito tempo sem criar nenhuma chance, a Seleção Hondurenha conseguiu assustar aos 36 minutos, quando um chutão, que a defesa deu para afastar a bola, se transformou em um lançamento para Costly, que saiu livre pelo lado esquerdo, mas  parou em uma boa defesa cara a cara de Matt Ryan, colocando a bola para escanteio com um soco. O ímpeto das duas equipes, porém, parou por aí e a partida, marcada por uma etapa complementar muito calma, terminou sem gols e muito aberta para o jogo de volta.