Tunísia apenas empata com Líbia dentro de casa, mas garante vaga na Copa da Rússia

Sob muita festa vinda das arquibancadas, tunisianos desperdiçam muitas chances, mas conseguem garantir vaga na Copa por conta de uma melhor campanha no Grupo A das Eliminatórias Africanas

Tunísia apenas empata com Líbia dentro de casa, mas garante vaga na Copa da Rússia
Foto: Fethi Belaid/AFP
Tunísia
0 0
Líbia

Tem mais uma seleção garantida na Rússia em 2018. Nesse sábado (11), a Tunísia jogou com autoridade no primeiro tempo, mas não conseguiu transformar a posse de bola em gols, empatando com a Líbia em 0 a 0 no Stade Olympique de Radès. Mas, mesmo assim, garantiu a sua vaga na próxima Copa do Mundo por conta da sua vantagem Grupo A – mesmo com a vitória da República Democrática do Congo, os tunisianos se garantiram no torneio com 14 pontos, um a mais do que congoleses.

Essa será a quinta participação dos tunisianos em Copa do Mundo. Estando presente em 1978, 1998, 2002 e 2006, as Águias retornarão a um Mundial após 12 anos sem disputa-lo. É interessante ressaltar que a Seleção Tunisiana é histórica, já que é a primeira seleção da África a conquistar uma vitória em Copa – aconteceu na edição de 1978, quando derrotaram o México por 3 a 1. Apesar disso, a Tunísia nunca se classificou para as oitavas de final da competição. 

Tunísia cria muitas chances, mas peca nas finalizações

Com o estádio pulsando por conta do grande apoio que veio das arquibancadas e da falta de qualidade da equipe adversária, a Seleção Tunisiana almejou o gol desde o primeiro minuto de jogo, principalmente com jogadas pelos lados do campo, seja com Khazri e Naguez, na direita, ou com os fortes avanços de Maâloul, na esquerda. Com muita técnica, os comandados de Nabil Maâloul ameaçavam a Líbia com toques rápidos e jogadas dinâmicas.

Apesar da plenitude técnica na partida, a Seleção Tunisiana não conseguiu transformar a maioria da posse de bola em muitas chances de gol. Mesmo com forte jogo pelos lados do campo, com os dois laterais avançando simultaneamente e criando muitas jogadas ao atacante Khenissi, os três jogadores de meio campo pareciam nervosos, já que erraram muitos passes simples que acabaram dando fim à possíveis oportunidades de gol.

O primeiro tempo ficou marcado por um show de oportunidades perdidas pela equipe da casa. Khenissi e M’Sekni foram os que mais perderam chances – todas por falta de capricho na hora das finalizações. A criação da Tunísia era quase que perfeita, conseguindo assustar o adversário durante quase todos os minutos da etapa, o que resultava em muitas chances claras para colocar a bola no fundo das redes, mas a conclusão dessas jogadas deixava muito a desejar.

A melhor chance veio aos 38 minutos, quando Chalali avançou e fez um cruzamento rasante do lado esquerdo, o goleiro Fathi Abdaula saiu atrasado e deu um soco na bola, que resvalou sem querer em Khenissi no rebote, passando muito perto do travessão, fazendo com que o estádio fosse ao delírio. Cinco minutos mais tarde, em outra trama ofensiva bem conduzida , Naguez, com liberdade pelo lado direito, cruzou para Badri, que chutou com um bonito voleio, mas parou na boa defesa do goleiro adversário. 

Tunísia volta nervosa, diminui ritmo, mas consegue a classificação 

Como o futebol é uma ciência inexata, a Tunísia, que dominou e desperdiçou muitas chances no primeiro tempo, viu a Líbia assustar nos primeiros minutos da etapa complementar. Mais ofensiva, a equipe visitante, que não tinha nada a perder, começou a acreditar que poderia vencer a partida por conta da falta de pontaria da seleção local e o treinador Jalal Damja, acreditando nisso, lançou sua equipe mais à frente.

Festa nas arquibancadas: Tunísia está na Copa do Mundo
Festa nas arquibancadas: Tunísia está na Copa do Mundo (Foto: Fethi Belaid/AFP)

Na altura dos 15 minutos, a torcida tunisiana passou a colocar uma pressão incrível vindo das arquibancadas e isso se refletiu dentro de campo. Com um início de segundo tempo tímido, a equipe mandante voltou a tomar as ações do jogo, retornando ao ímpeto ofensivo pesado visto nos primeiros 45 minutos do encontro. Porém, os comandados de Nabil Maâloul pareciam estar nervosos, já que erravam muitos passes, principalmente no terço final do campo – ou seja, jogadas que, provavelmente, resultariam em uma perigosa chance de marcar um gol.

Com o passar do tempo e o gol marcado pela seleção da República Democrática do Congo na outra partida do Grupo A, a Seleção Tunisiana passou a jogar com o regulamento e a sua vantagem debaixo dos braços. O treinador local fez alterações para reforçar o meio de campo e garantir que sua equipe não levaria um gol – se classificando, não importando o resultado da outra partida da chave.

Com um segundo tempo nervoso, a notícia de que a seleção de Guiné com certeza chegou aos jogadores. Mesmo assim, a seleção local permaneceu nervosa, não conseguindo apresentar nada do que fora mostrado na primeira etapa do jogo. Apesar disso, o estádio foi à festa com o apito final, que garantiu seu retorno à uma Copa do Mundo após 12 anos de ausência.