Em jogo morno, Dinamarca e Irlanda só empatam e classificação à Copa segue indefinida

Jogando em casa, seleção escandinava esbarrou no sólido sistema defensivo irlandês; vaga pro Mundial será decidida em Dublin, na próxima terça (14)

Em jogo morno, Dinamarca e Irlanda só empatam e classificação à Copa segue indefinida
(Foto: Catherine Ivill/Getty Images)
Dinamarca
0 0
Irlanda
Dinamarca: Schmeichel, Ankersen, Kjær, Bjelland, Stryger, Kvist, Delaney, Eriksen, Cornelius (Poulsen, min. 64), Sisto (Bendtner, min. 72), Jørgensen. Técnico: Aage Hareide.
Irlanda: Randolph, Christie, Clark, Murphy (Long, min. 74), Brady, McClean, O'Dowda, Hendrick (Hourihane, min. 90+3), Ward, Duffy, Arter (Whelan, min. 88). Técnico: Martin O'Neill.
ÁRBITRO: Milorad Mažić (SRB).
INCIDENCIAS: Partida válida pela repescagem europeia para a Copa do Mundo 2018, realizada no Estádio Telia Parken, em Copenhagen, Dinamarca.

Na tarde deste sábado (11), Dinamarca e Irlanda encerraram a primeira fase da repescagem europeia para a Copa do Mundo de 2018. As duas seleções foram recebidas com grande festa por suas respectivas torcidas no Estádio Telia Parken, em Copenhague, capital da Dinamarca. 

Os donos da casa dominaram as ações e criaram os lances mais agudos da partida, mas acabaram esbarrando em uma atuação segura da defesa irlandesa. O resultado de 0 a 0 deixou tudo indefinido para o jogo da volta.

O duelo decisivo entre as seleções será na próxima terça-feira (14), às 17h45. O duelo será realizado no Aviva Stadium, em Dublin, Irlanda. Quem vencer, irá à Rússia em 2018. Qualquer empate com gols classifica os dinamarqueses.

Dinamarca martela, mas não fura bloqueio

(Foto: Seb Daly/Sportsfile via Getty Images)

O jogo começou bastante estudado, com a Dinamarca dominando a posse de bola e os irlandeses buscando sair em velocidade nos contra-ataques. A primeira grande chance da partida veio aos 11', mas Randolph brilhou duas vezes seguidas, impedindo o gol dinamarquês em finalizações consecutivas de Stryger e Cornelius. Aos 22', Eriksen arriscou finalização firme de fora da área, mas o goleiro irlandês fez defesa segura, sem dar rebote.

Com dificuldades de furar o bem postado sistema defensivo da Irlanda, a Dinamarca continuou abusando das finalizações de média/longa distância. Aos 28', Jørgensen arriscou da intermediária, mas não levou perigo à meta de Randolph. Aos 32', o arqueiro irlandês espalmou novo chute potente de Eriksen, e no rebote, Sisto completou de chapa buscando o cantinho do gol, mas a bola passou tirando tinta da trave. O primeiro grande lance ofensivo da Irlanda veio só aos 43', mas o lateral Christie parou em grande defesa de Schmeichel

Jogo morno e empate persistente

(Foto: Stephen McCarthy/Sportsfile via Getty Images)

O segundo tempo começou no mesmo panorama do primeiro, com os donos da casa dominando territorialmente, mas esbarrando na solidez defensiva de seu adversário. A partir dos 10', a Irlanda começou a se arriscar um pouco mais no ataque, mas exagerava nas bolas cruzadas buscando o centroavante Murphy. Aos 23', Poulsen, que substituiu Cornelius, arriscou de fora da área, mas a bola passou à direita da meta irlandesa.

Aos 27', a torcida da casa foi à loucura com a alteração promovida pelo treinador Hareide. Bendtner, sétimo maior artilheiro da história da Dinamarca, substituiu Sisto. O'Neill também mexeu em sua equipe, colocando em campo o atacante Shane Long. Apesar das tentativas de ambos, as duas seleções seguiram pouco inspiradas ofensivamente, oferecendo quase nenhum perigo aos goleiros.

Já na reta final, a partida esquentou. Aos 44', Brady cobrou falta da altura da intermediária, Duffy desviou de cabeça e o goleiro Schmeichel defendeu. No lance seguinte, a Dinamarca teve a grande chance do segundo tempo, mas a bela cabeçada de Poulsen parou em grande defesa de Randolph. Aos 46', Stryger arriscou finalização, e a bola passou raspando a trave direita do goleiro irlandês.