Com gols de pênalti, Banfield e Del Valle empatam e definição de vaga na Pré-Libertadores fica para volta

Equipe argentina joga melhor, não consegue transformar chances em gols e é castigada por tento dos equatorianos nos minutos finais da partida

Com gols de pênalti, Banfield e Del Valle empatam e definição de vaga na Pré-Libertadores fica para volta
Foto: Emiliano Lasalvia/AFP
Banfield
1 1
Independiente Del Valle
Banfield: Arboleda; Bettini, Civelli, Rodríguez, Sporle; Álvarez (Linares), Remedi, Dátolo (Sperduti), Bertolo; Mouche (Kalinski), Cvitanich
Independiente Del Valle: Piedra; Fernando León, Schunke, Segovia; Cangá, Méndez, Arce (Pellegrano), Ayala; Barreiro; Billy Arce (Estrada), Mejia (Corozo)

Foi dada a largada para a segunda fase da Pré-Libertadores. Nesta terça-feira (30), a equipe do Banfield, jogando com a presença da sua torcida no Estádio Francisco Sola, foi castigada nos últimos minutos, já que levou um gol do Independiente Del Valle aos 44 minutos do segundo tempo, o que decretou o resultado de 1 a 1. Os gols foram marcados de pênalti: Darío Cvitanich para os argentinos e Maxi Barreiro para os equatorianos.  

Com esse resultado, o Del Valle vai para o Equador com uma pequena vantagem, já que um empate sem gols classifica a equipe. A partida da volta será disputada na próxima terça-feira (6), no Estádio Rumiñahui. Qualquer vitória, obviamente, classifica a equipe que sairá de campo com o resultado positivo. Empate a partir de 2 a 2 dá a glória aos argentinos, pela regra do gol qualificado fora de casa. 

Intensa primeira etapa termina sem gols

O jogo teria, pelo menos nos primeiros cinco minutos, uma grande expectativa de emoção: logo no primeiro lance da partida, o goleiro Piedra saiu errado e deu a bola nos pés de Jesús Dátolo que, mesmo de longe, finalizou com muita força, mas parou no travessão. No minuto seguinte, o volante Remedi fez uma jogada individual, limpou para seu pé bom e soltou uma bomba de muito longe, que morreu no travessão. Dessa maneira, a torcida presente no Florencio Sola explodiu, tentando jogar junto com a equipe.

Após isso, a partida teve o famigerado ‘clima de Libertadores’: as equipes não conseguiam criar nada por meio de jogadas trabalhadas ou até cruzamentos na direção do atacante principal, e, por isso, sobraram faltas, chegadas duras, carrinhos e muita bola presa na região do meio-campo. O Banfield, jogando em casa, até buscou mais o campo ofensivo, mas não conseguia passar da defesa do Del Valle, que conseguiu se organizar após um começo tenebroso.

(Fogo: Emiliano Lasalvia/AFP)
(Fogo: Emiliano Lasalvia/AFP)

A equipe equatoriana, por sua vez, tentava aproveitar a velocidade de seus jogadores de lado de campo para criar contra-ataques em rápidas transições, mas pararam em um dia ruim dos próprios atletas, que, com um desempenho aquém do esperado, não conseguiam construir nenhum cenário ideal para assustar a equipe adversária, que até conseguiu se estabelecer e se organizar após um início ruim, com as duas bolas na trave do Banfield. Com isso, a principal chance dos visitantes foi com a bola parada, com uma falta cobrada por Fernando León, que parou em uma grande defesa de Arboleda.

Um agitado primeiro tempo se encerraria com, realmente, muitas faltas e jogadas ríspidas, mas que também fora animado: o Banfield, inflamado pelas vozes nas arquibancadas, começou com tudo, chegando duas vezes com muito perigo. O Del Valle, por sua vez, conseguiu se organizar defensivamente com o passar do tempo, o que resultou em uma partida sem tantas chances reais de gol, apesar da intensidade apresentada. 

Banfield abre o placar mas sofre no fim

A primeira chance real de gol no segundo tempo ocorreu apenas aos nove minutos. Pablo Mouche, que havia tido uma atuação discreta na primeira etapa, recebeu uma bola de Remedi e, apesar da longa distância, girou e finalizou com sua perna esquerda, vendo a bola passar pelo lado esquerdo do goleiro Piedra, que nada poderia fazer caso a bola acertasse a direção do gol.

O Indenpendiente Del Valle, por sua vez, parava, assim como no primeiro tempo, em uma atuação ruim criativamente falando dos homens de ataque. Dessa maneira, a grande maioria das jogadas passava no pé do driblador Billy Arce, que infernizava a defesa adversária, buscando arranjar alguma falta no entorno da área e, consequentemente, tentar assustar a equipe da casa por meio das bolas paradas.

(Foto: Emiliano Lasalvia/AFP)
(Foto: Emiliano Lasalvia/AFP)

Aos 19 minutos, o treinador Julio Falcioni promoveu a entrada de Maurício Sperduti no lugar de Jesus Dátolo, mudando o esquema de sua equipe para um 4-3-3 e, assim, tentar surpreender o Del Valle, que, até então, fazia uma ótima partida em termos defensivos. Na primeira participação do camisa 18 na partida, ele cobrou uma falta do lado direito do campo, que passou em uma altura muito baixa, assustando a defesa da equipe equatoriana, já que por pouco o atacante Cvitanich não conseguiu alcançar a bola.

Seis minutos depois, Mouche fez uma jogada pelo lado esquerdo da área, mas a bola foi afastada pela defesa do Independiente. Na sobra, Álvarez chegou batendo de primeira e a pelota desviou nas mãos de Ayala, que levou um cartão amarelo e decretou um pênalti para o Banfield. Na cobrança, o artilheiro Darío Cvitanich bateu com muita categoria, deslocando o goleiro Piedra, finalizando no ângulo e abrindo o placar para a equipe da casa.

Com o passar do tempo, a equipe do Del Valle não conseguia construir jogadas e apenas via o Banfield trocar passes, deixando o tempo passar para segurar a vantagem. Aos 44 minutos, porém, Estrada, que havia entrado no segundo tempo, fez grande jogada pelo lado direito e cruzou buscando Corozo, que foi derrubado por Bettini dentro da área. Na cobrança, Barreiro também bateu com categoria e o Del Valle empatou nos minutos finais. 

(Foto: Emiliano Lasalvia/AFP)
(Foto: Emiliano Lasalvia/AFP)