Alemanha vence Irlanda do Norte e garante liderança do grupo C da Eurocopa

Norte-irlandeses esperam fim da fase de grupos para saber se disputam oitavas de final como um dos quatro melhores terceiros colocados

Alemanha vence Irlanda do Norte e garante liderança do grupo C da Eurocopa
(Foto: Charles McQuillan/Getty Images)
Irlanda do Norte
0 1
Alemanha
Irlanda do Norte: McGovern; Hughes, Cathcart, McAuley e Evans; Norwood e Corry Evans (McGinn - 38'/2ºT); Ward (Magennis - 24'/2ºT), Davis e Dallas; Washington (Lafferty - 14'/2ºT). Técnico: Michael O'Neill.
Alemanha: Neuer; Kimmich, Boateng (Höwedes - 30'/2ºT), Hummels e Hector; Khedira (Schweinsteiger - 23'/2ºT) e Kroos; Özil, Müller e Götze (Schürrle - 09'/2ºT); Mario Gómez. Técnico: Joachim Löw.
Placar: 0-1, min. 29, Mario Gómez.
ÁRBITRO: Clément Turpin, auxiliado por Frédéric Cano e Nicolas Danos (trio francês).
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira rodada do Grupo C da Eurocopa 2016, disputada no Parc des Princes, em Paris.

A numerosa quantidade de oportunidades não retratou o placar final: 1 a 0. A vitória magra sobre a Irlanda do Norte, porém, garantiu a primeira colocação do Grupo C da Eurocopa 2016 para a Alemanha. Mario Gómez marcou o único gol do jogo na tarde desta terça-feira no Parc des Princes, em Paris.

Com sete pontos somados, os alemães levam vantagem sobre a Polônia no saldo de gols. Os norte-irlandeses, por sua vez, encerraram a primeira fase com três pontos somados e ainda têm esperanças de avançar como um dos quatro melhores terceiros colocados.

Alemanha empilha oportunidades e sai na frente

A Irlanda do Norte surpreendeu. Pelo menos por alguns minutos. No princípio do embate, o jogo ficou concentrado no campo de ataque dos norte-irlandeses, que tiveram como principal artifício os lançamentos longos. Esse cenário, contudo, foi breve. Kroos e Khedira tentaram furar o sistema defensivo adversário através dos lançamentos, que, em função da força exagerada, saíram pela linha de fundo.

Foi com a rápida troca de passes que a Alemanha arquitetou a primeira chegada de perigo. Quando o cronômetro apontava a marca de sete minutos, Boateng acelerou a saída de bola ao acionar Kimmich. O improvisado lateral-direito disparou e tocou para Özil, que, de primeira, descolou grande assistência para Müller. De frente para a meta, o atacante finalizou em cima de McGovern. O goleiro se viu em apuros novamente apenas dois minutos depois, quando defendeu com o pé o arremate de Götze.

Os espaços concecidos pela Irlanda do Norte não foram negligenciados pelos alemães. Aos 19, Hector se livrou da marcação e cruzou rasteiro na direção de Özil. No interior da área, o meio-campista concluiu de primeira e encobriu o arco. Na sequência, em mais um rápida trama, Gómez completou com o peito o passe de Kimmich e deixou Müller em boas condições de marcar. O chute cruzado do atacante, porém, tirou tinta da trave.

Reserva nas partidas anteriores, Gómez marcou o único gol do jogo (Foto:Martin Meissner/AP)
Reserva nas partidas anteriores, Gómez marcou o único gol do jogo (Foto:Martin Meissner/AP)

Mero espectador do cotejo até então, Neuer trabalhou pela primeira vez aos 25, segurando firme a finalização de longa distância de Ward. Mas a empolgação norte-irlandesa parou por aí. No lance subsequente, Kimmich cruzou à meia altura na direção da primeira trave. Müller deu um peixinho e carimbou o poste.

Depois de tanta insistência, a Alemanha foi recompensada. Aos 29, Müller recebeu de Mario Gómez e se complicou todo. Ensaiou um drible em McGovern, dividiu com a defesa e atrasou para Gómez. Com a canhota, o centroavante arrematou de primeira e abriu o placar na capital francesa. Antes de balançar as redes, a bola ainda desviou no meio do caminho.

Detentora da posse da pelota na maior parte do tempo, a seleção de Joachim Low voltou a esbarrar na trave quando Müller aproveitou o toque de Özil e bateu colocado. Pouco depois, uma confusão se instalou na área norte-irlandensa e só teve fim quando Khedira cabeceou pra fora.

McGovern se destaca em etapa final morna

Engana-se quem presumiu que a Irlanda do Norte voltaria com uma postura mais agressiva para a etapa final. A Alemanha permaneceu com o controle da partida e, em dados momentos, tinha todos os seus jogadores de linha posicionados no campo de ataque. Os norte-irlandeses, por outro lado, enfileiravam-se atrás da linha divisória do gramado.

A superioridade era alemã. Aos 6 minutos, Özil lançou Götze com precisão às costas da zaga. Em um único lance, o ponta dominou no peito e tirou de marcação. Pecou, contudo, no momento da conclusão, mandando em cima de McGovern. No desenrolar da jogada, Götze voltou a desperdiçar outra boa chance quando esticou a perna para completar o cruzamento da esquerda e, na pequena área, chutou pra fora.

Não fosse a exibição de McGovern, aliás, o triunfo alemão estaria mais do que encaminhado. O arqueiro voltou a aparecer quando espalmou a finalização rasteira de Khedira. No rebote, Mario Gómez não aproveitou a liberdade e cabeceou pra fora. Em uma rara aparição dos comandados de Michael O'Neill no ataque, Davis arrancou em velocidade desde a altura do meio-campo e só foi parado próximo da área, desarmado por Boateng.

McGovern teve atuação destacada (Foto:Thibault Camus/AP)
McGovern teve atuação destacada (Foto:Thibault Camus/AP)

Depois do lance, as oportunidades rarearam. Os erros de passe pelo lado alemão se tornaram mais frequentes, aliado às chegadas na área adversária, frequentes ao longo do primeiro tempo. Joachim Low tentou mudar o panorama com as entradas de Schürrle e Schweinsteiger, mas as mudanças não surtiram efeitos práticos.

Boa notícia para a Alemanha foi a boa atuação de Kimmich. Saiu dos pés do improvisado lateral-direito a boa jogada individual que culminou com o cabeceio de Mario Gómez e mais uma providencial defesa de McGovern. Aos 38, Özil limpou marcação, soltou o pé de fora da área e por pouco não acertou o ângulo da meta. Foi dos pés do meio-campista que saiu a última finalização da tarde: aos 45 minutos, ele concluiu com o pé direito e por pouco não marcou o segundo. A vitória pelo placar mínimo foi suficiente para garantir a ponta do grupo.