‘Zerada’, Alemanha enfrenta Itália visando quebrar retrospecto negativo

Alemães chegaram às quartas de final sem sofrer gols e agora precisam bater ‘indigesta’ Azzurra para avançar às semifinais

‘Zerada’, Alemanha enfrenta Itália visando quebrar retrospecto negativo
Foto: Editoria de Artes/VAVEL
Alemanha
Itália
Alemanha: Neuer; Kimmich, Boateng, Hummels, Höwedes; Kroos, Khedira; Müller, Özil, Draxler; Gomez. Treinador: Joachim Löw
Itália: Buffon; Barzagli, Bonucci, Chiellini; Florenzi, Parolo, Sturaro, Giaccherini, De Sciglio; Pellè, Éder. Treinador: Antonio Conte.
ÁRBITRO: Viktor Kassai (HUN).
INCIDENCIAS: Partida válida pelas quartas de final da Eurocopa 2016, a se realizada no Stade Matmut Atlantique, em Bordeaux, na França.

Alemanha e Itália entram em campo na tarde deste sábado (2), às 16h, no Stade Matmut Atlantique, em Bordeaux, pelas quartas de final da Eurocopa. Para avançarem às semifinais, os alemães precisam fazer algo inédito em jogos oficiais contra os italianos: vencer. Em oito partidas oficiais, os atuais campeões mundiais nunca conseguiram bater os azzurri.

Para chegar até a fase de quartas de final, a Alemanha eliminou a Eslováquia nas oitavas de final, com uma vitória por 3 a 0. Na fase de grupos, a Mannschaft venceu a Ucrânia (2 a 0) e a Irlanda do Norte (1 a 0) e empatou com a Polônia (0 a 0). Até o momento, os alemães ainda não sofreram gols no torneio.

A Itália, por sua vez, eliminou nas oitavas a atual bicampeã Espanha, vencendo por 2 a 0. Na fase de grupos, a Azzurra teve uma campanha semelhante à da Alemanha: ganhou as duas primeiras partidas, contra Bélgica (2 a 0) e Suécia (1 a 0), e perdeu a última rodada para a Irlanda (1 a 0).

Alemanha e Itália se enfrentaram nas semifinais da Eurocopa 2012. Em um jogo marcado pelo golaço de Mario Balotelli, que com o futebol apresentado hoje nem chega a ser cotado para vestir a camisa azzurra novamente, os italianos venceram o duelo, por 2 a 1. Balotelli anotou o outro tento, enquanto Mesut Özil, de pênalti, descontou.

A última partida entre Alemanha e Itália aconteceu em março deste ano, em um amistoso na Allianz Arena, em Munique. A Mannschaft goleou por 4 a 1, com gols de Toni Kroos, Mario Götze, Jonas Hector e Özil, de pênalti. Stephan El Shaarawy descontou para a Azzurra.

Löw vai com força máxima

Com todos os jogadores à disposição, o técnico da Alemanha, Joachim Löw, deve mandar a campo força máxima para o duelo contra a Itália. Ao que tudo indica, o comandante irá repetir o time que venceu a Eslováquia, nas oitavas de final. Em entrevista coletiva nessa sexta-feira (1º), Löw alertou sobre as qualidades defensivas e ofensivas da Azzurra.

Esta semana analisamos a Itália e vimos os outros jogos deles – não só é uma equipe com qualidade defensiva, como também tem boas soluções ofensivas. É claro que eles sabem como defender e nós nos preparamos para isso, além de analisarmos outros aspectos. Penso que estamos bem preparados. Trata-se de ter equilíbrio entre a defesa e o ataque – é preciso criar oportunidades, mas contra a Itália elas têm de ser aproveitadas, porque se errarmos não vamos ter tantas como as que tivemos contra a Irlanda do Norte”, disse.

Löw se mostrou confiante para a partida contra a Itália e destacou o poder de variação do time titular italiano. “Estamos confiantes porque temos consciência dos nossos pontos fortes. Mas também temos de pensar no adversário – quanto mais forte ele for, mais temos de lidar com os pontos fortes dele. Não tenho a certeza se De Rossi vai jogar. A Itália tem um ‘onze’ muito flexível e por isso temos de contar com uma eventual surpresa na equipe. Considero De Rossi um jogador muito importante para os italianos, mas eles têm sempre uma solução”.

Com possíveis três desfalques, Conte precisa fazer mudanças no time

Treinador da Itália, Antonio Conte não poderá contar com o meia Antonio Candreva, lesão no músculo adutor da coxa direita, e com o volante Thiago Motta, suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos. Para piorar a situação, o volante Daniele De Rossi sofreu uma pancada no joelho durante o jogo contra a Espanha, pelas oitavas de final, e é dúvida para o embate frente à Alemanha.

Como Thiago Motta, que seria o substituto imediato de De Rossi, também está fora da partida, Conte deve puxar Marco Parolo ou Stefano Sturaro para executar a função de ‘regista’, homem que fica à frente da zaga. Já o lateral Mattia De Sciglio, que fez boa partida diante da Espanha, deve continuar na ala direita, substituindo Candreva.

Em entrevista coletiva nessa sexta-feira (1º), Conte tentou desconversar acerca da situação de De Rossi, mas acabou dando indícios de que o jogador da Roma deve começar o jogo contra a Alemanha no banco. “Não quero especular sobre a condição física de Daniele De Rossi, mas em jogos muito intensos como este os jogadores têm de estar no máximo da sua força. Tenho muita confiança na qualidade geral da minha equipe”, afirmou.

Conte também não poupou elogios à Alemanha e garantiu que atualmente não há uma seleção melhor que a alemã. “Vamos jogar contra uma equipe muito forte de todos os pontos de vista. Eles são melhores do que Espanha e são os campeões mundiais em título. Penso que, de momento, a Alemanha é a equipe mais completa do mundo. Tem muitos jogadores fortes. Tem uma equipe com fortes princípios e organização – dou os meus parabéns ao treinador e aos jogadores alemães”, disse.