Löw reclama de pênalti, avalia participação da Alemanha na Euro e admite abandonar o cargo

Treinador analisa de modo positivo participação alemã na competição; não garantiu, porém, sua permanência à frente da seleção

Löw reclama de pênalti, avalia participação da Alemanha na Euro e admite abandonar o cargo
Foto: Lars Baron/Getty Images

A eliminação da Alemanha na Eurocopa veio com certa dose de controvérsia. Quando franceses e germânicos ainda empatavam sem gols na tarde desta quinta-feira (7), o árbitro Nicola Rizzoli apontou para a marca do pênalti depois que Schweinsteiger dividiu com Evra pelo alto e acertou a mão na bola. Griezmann se encarregou da cobrança e não desperdiçou. Porém, a curta distância entre o atleta e a pelota e a suposta não intencionalidade do capitão alemão em acertar a redonda, causam discordância entre alemães e arbitragem. 

"Não falo sobre decisões dos árbitros. Eu só aceito. Depois da partida não falo... Mas se você olhar como Bastian toca a bola, ele não teve a intenção. Claro que vão dizer que não era para colocar o braço lá, mas não dá para controlar os movimentos. É a bola que toca sua mão, não o contrário. Mas não posso culpar meus jogadores", opinou o técnico Joachim Low após o jogo, que terminou 2 a 0 para os franceses.

Há dez anos à frente da equipe, o treinador avaliou de forma positiva a participação alemã no torneio. Vale lembrar que, na chave de Polônia, Irlanda do Norte e Ucrânia (único time da Euro que não somou pontos) os comandados de Low dividiram a liderança do Grupo C com os poloneses ao término da fase de grupos. Nas oitavas, as atuações de pouco brilho foram sucecidas pela goleada sobre a Eslováquia: 3 a 0. Nas quartas, jogo equilibrado e vitória nos pênaltis diante da Itália.

Lance que originou o pênalti favorável à França (Foto: Michael Dalder/Reuters)
Lance que originou o pênalti favorável à França (Foto: Michael Dalder/Reuters)

"Meu sentimento foi que fizemos um bom torneio. Tivemos boa energia, os garotos deram tudo de si nos treinos e nos jogos e demonstraram grande espírito de equipe. Não vi muitos erros nesse torneio. Mas repito que, quando voltarmos, vamos conversar com os dirigentes sobre tudo isso", avaliou.

Em contraste com a avaliação positiva, no entanto, Joachim Low não usou meias palavras ao falar sobre uma possível saída do cargo. O comandante, cujo contrato com a Alemanha se encerra em 2018, não garantiu sua permanência e antecipou que irá conversar com dirigentes da DFB (Federação Alemã de Futebol) sobre a questão.

"Não posso falar nada hoje. Não posso prever o que vai acontecer amanhã. Claro que estou desapontado, mas ainda vou pensar nisso [seguir no cargo] hoje. Não discuti com ninguém antes, vou fazer agora quando voltarmos. Precisamos ver se há algo a discutir sobre esse torneio", arrematou.