Alemanha quebra invencibilidade do Canadá e disputa inédita final no futebol feminino

Germânicas devolvem derrota na fase de grupos e seguem para buscar primeira medalha de ouro de sua história

Alemanha quebra invencibilidade do Canadá e disputa inédita final no futebol feminino
(Foto: Pedro Vilela/Getty Images)
Canadá
0 2
Alemanha
Canadá: Labbé; Wilkinson (Matheson, min. 60), Buchanan, Zadorsky e Lawrence; Scott (Rose, min. 75), Fleming, Beckie e Schmidt; Sinclair e Tancredi (Prince, min. 84). Técnico: John Herdman.
Alemanha: Schult; Maier, Krahn, Bartusiak e Kemme; Behringer, Däbritz, Marozsán, Leupolz (Islacker, min. 92) e Mittag (Kerschowski, min. 80); Alexandra Popp. Técnico: Silvia Neid.
Placar: 0-1, Behringer, min. 20. 0-2, Däbritz, min. 59.
ÁRBITRO: Ok Hyang Ri (CNR), auxiliada por Nyo Kum Hong (CNR) e Allyson Flynn (AUS) | Cartões amarelos: Bucharan (min. 20), Lawrence (min. 54), Tancredi (min. 70)
INCIDENCIAS: Partida válida pela semifinal dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Confronto realizado na tarde desta terça-feira (16), no Mineirão, em Belo Horizonte/MG.

Na briga pela vaga na final do futebol feminino nos Jogos Olímpicos Rio 2016, Canadá e Alemanha se reencontravam no Mineirão cinco dias após o último confronto, ainda na fase de grupos. Agora na semifinal, o jogo era outro e o momento completamente diferente. E o resultado final também não foi igual. Em partida realizada na tarde desta terça-feira (16), as germânicas venceram por 2 a 0.

Os gols marcados por Behringer e Däbritz garantiram a oportunidade da Alemanha conquistar o ouro inédito na modalidade e deixar de lutar pelo bronze - fato ocorrido nas últimas três Olimpíadas. A adversária será a Suécia, que bateu o Brasil nas penalidades máximas, e briga também pelo primeiro ouro. As canadenses medem forças contra as brasileiras. As duas partidas serão realizadas no Maracanã, no próximo sábado (20).

Pênalti abre vantagem germânica no primeiro tempo

A partida começou equilibrada. As seleções procuraram se estudar nos primeiros minutos e procurar as brechas adversárias. A primeira boa oportunidade de jogo veio aos oito minutos, quando Maier foi acionada após cobrança de falta executada rapidamente e cruzou com perigo. A goleira Labbé defendeu bem. As canadenses responderam aos 12 minutos, quando Lawrence avançou com perigo pela esquerda e cruzou na cabeça de Beckie, que acertou o lado de fora da rede ao desviar de cabeça.

A Alemanha pressionava mais no campo de ataque, tinha mais posse de bola, mas encontrava dificuldades para chegar à meta adversária. Até que conseguiu a melhor oportunidade do primeiro tempo aos 20 minutos. A zagueira Buchanan deu uma tesoura dentro da área e derrubou a atacante Alexandra Popp. A arbitragem imediatamente assinalou penalidade máxima. Na cobrança, Behringer encheu o pé e abriu o marcador no Mineirão.

O jogo ficou mais aberto e o Canadá também teve momentos de perigo para conseguir igualar o placar em Belo Horizonte. Aos 37 minutos, Sinclair foi acionada e ficou frente a frente com a goleira Schult, que levou a melhor na disputa. Aos 42, a Alemanha respondeu. Behringer fez boa jogada e rolou para Marozsan. A meio-campista bateu de primeira e a goleira Labbé apenas observou a bola passar perto do seu canto direito. Três minutos depois, foi a vez do Canadá quase empatar. Buchanan cabeceou com perigo e Krahn tirou de cabeça, em cima da linha.

Alemanha é mais eficiente e sela vaga na final

Mesmo com a vantagem imposta no primeiro tempo, a Alemanha permaneceu com o ímpeto ofensivo e partiu para o ataque. Aos dois minutos, Däbritz recebeu na área, deixou a marcação e chutou muito forte, mas Labbé fez espetacular defesa. Aos 11, depois de cruzamento fechado, Leupolz desviou de cabeça e por pouco o segundo gol não foi marcado. No lance seguinte, a resposta canadense. Tancredi tocou para Beckie na entrada da área e a atacante errou a conclusão.

Quando a Alemanha voltou a atacar, praticamente garantiu a vaga. Aos minutos, em boa jogada de contra-ataque, Behringer atuou como pivô e tocou para Däbritz na esquerda. A meia teve tranquilidade para bater no canto com o pé direito para assinalar o segundo tento germânico no confronto.

O Canadá começou a pressionar e a Alemanha passou a metade final da partida para controlar o jogo e administrar a vantagem que garantiria a final inédita no próximo fim de semana. Aos 22 minutos, Sinclair aproveitou confusão e ganhou na raça a disputa e quase marcou. Dois minutos depois, Scott recebeu na área com firmeza e chutou de primeira, mas a goleira Schult segurou firme.

O Canadá continuou a pressionar e não desistiu do empate. Aos 32 minutos, Rose recebeu sozinha. Dentro da área, a jogadora dominou, ajeitou e chutou. A arqueira Schult defendeu e fez espetacular intervenção. Aos 44, até a goleira Labbé tentou pôr um pouco mais de adrenalina no confronto, mas nada adiantou. A Alemanha passou pela barreira da semifinal e busca o ouro no Rio de Janeiro.