Ancelotti elogia legado de Guardiola no Bayern, mas avisa: "Eu tento fazer algo novo"

Treinador italiano vê com bons olhos as bases do agora comandante do Manchester City: "Quando cheguei, achei a equipe estava em muito, muito boa forma"

Ancelotti elogia legado de Guardiola no Bayern, mas avisa: "Eu tento fazer algo novo"
Foto: David Ramos/Getty Images

Desde que assumiu o comando do Bayern de Munique no início da temporada 2016/17, o italiano Carlo Ancelotti vem fazendo uma campanha digna de louvor, reflexo dos bons resultados que obteve até o momento. No entanto, além de dispor de um elenco repleto de atletas de alto nível, o treinador herdou também um legado deixado pelo antecessor Pep Guardiola.

Atualmente no Manchester City, Guardiola esteve à frente do Bayern de Munique por três temporadas. Conhecido pelo estilo de jogo bonito, intenso, ofensivo e, especialmente, de muito toque de bola, o treinador catalão conquistou sete títulos oficiais, incluindo três edições consecutivas da Bundesliga.

Guardiola ressalta legado e acredita ser errado avaliar técnicos por títulos conquistados

"É fácil, porque a equipe conhece de futebol e possui uma qualidade fantástica", disse Carlo Ancelotti, em entrevista concedida ao portal Goal. "Eu acho que eles construíram esta qualidade com Guardiola. Quando cheguei, achei a equipe estava em muito, muito boa forma, em bom estado de conservação e com grande conhecimento", acrescentou.

Apesar de terem tropeçado nos dois últimos jogos, já que sofreram derrota para o Atlético de Madrid na Uefa Champions League e empatarem com Colônia pela Bundesliga, os bávaros encontram-se em uma situação estável na temporada. A equipe atualmente figura à segunda posição no Grupo D da competição continental e segue líder invicto na liga nacional.

Ainda assim, apesar da boa “herança”, Carlo Ancelotti declarou que pretende apenas ajustar a maneira de jogar da equipe e insiste em dizer que teve que mudar muito pouco o trabalho desenvolvido no tetracampeão alemão. "As bases foram realmente boas, então eu nunca quis mudá-las. Cada treinador tem a sua própria ideia de futebol, então eu tentei implementar minha ideia sem ter uma revolução. Eu sei o que a equipe está fazendo muito bem, porque eles aprenderam muito nos últimos três anos. Eu tento fazer algo novo", afirmou Ancelotti.

Analisando o retrospecto e comparando o comportamento do atual Bayern, comandado por Carlo Ancelotti, com o período no qual Pep Guardiola esteve no comando, pode-se observar que os atletas estão com mais autonomia para exercer suas funções. Porém, ao ser questionado, o treinador italiano admitiu que possui um estilo de jogo diferente do antecessor e ressaltou que preza pela estrutura da equipe.

"Mais liberdade? Não. Os jogadores têm o plano de jogo. Existem táticas e organização", respondeu. "Eu quero colocar uma equipe em campo e não 11 jogadores. E se você quiser colocar uma equipe existem algumas regras que os jogadores têm de seguir. Você tem que dar mais espaço para a criatividade dos jogadores, espaço para o seu talento. Mas ainda há regras", finalizou.