Löw se contenta com empate contra Inglaterra:  “Desempenho absolutamente bom"

Em confronto entre alemães e ingleses, o placar se manteve inalterado, mas mostrou duas grandes equipes com forças e bons desempenhos durante o amistoso.

Löw se contenta com empate contra Inglaterra:  “Desempenho absolutamente bom"
(Foto: Reprodução/DFB)

A Alemanha enfrentou nesta sexta-feira (10) a Inglaterra, em Wembley, em um amistoso que terminou com o empate sem gols. No confronto entre as equipes, a predominância foi alemã, principalmente no primeiro tempo, mas os ingleses também mostraram o quanto são perigosos no ataque. Para infelicidade dos espectadores e torcedores, nenhuma das oportunidades de gols das seleções teve seu destino concretizado.

Este foi o sétimo jogo consecutivo que a Nationalelf permanece sem perder em partida contra os ingleses. O técnico Joachim Löw expressou a sua satisfação com a desempenho da sua equipe, especialmente na primeira etapa, e comentou sobre o rendimento geral dos times: “Ambas as equipes foram disciplinadas, principalmente na defesa, e não deixaram nenhuma brecha. No primeiro tempo, fomos bem em alguns momentos, avançamos rapidamente e trouxemos o ataque até o fim. Tivemos três boas chances. Isso faltou no segundo tempo”.

Ao falar sobre a segunda etapa, o treinador alemão citou sobre o potencial de melhoria que a seleção precisa ter: “Temos que lembrar, com vista para a Copa do Mundo, que queremos ganhar rapidamente a bola e marcar com um grande dinamismo. Nós já somos uma equipe de posse de bola, os automatismos ainda não estão aproveitados. Nós mantivemos a bola muitas vezes. Você precisa do jogo de mudança rápida contra boas equipes”.

Ao falar sobre os jogadores, Löw citou a volta de Ilkay Gündogan que jogou boa parte do jogo, a estreia lateral-esquerdo Marcel Halstenberg, além de falar rapidamente sobre o rendimento de alguns deles: “O desempenho da equipe estava absolutamente bom, Halstenberg fez um trabalho muito bom, o que não é tão fácil depois de duas curtas sessões de treinamento com a equipe e pouco menos de 90 mil espectadores em Wembley. Gündogan foi bem, você percebe sua grande qualidade, ele só precisa de mais alguns jogos para entrar no ritmo. Sane teve alguns bons avanços e Timo Werner também. Mats Hummels estava atrasado.  

Para o próximo amistoso contra a França na próxima terça-feira (14), no RheinEnergieStadion, na cidade de Colônia, o técnico planeja mudanças da equipe para enfrentar os franceses e analisou o adversário: “Eu acho que a França é um pouco mais forte que a Inglaterra. A Inglaterra também melhorou, com muitos jovens jogadores nele. O estilo de jogo mudou, eles são perfeitos, mas a França tem atacante e meio-campo de nível mundial, velocidade incrível e mais forças para marcar gol. Acho que Mario Götze estará em campo na terça-feira. Haverá algumas mudanças na equipe. Queremos equilibrar o fardo. Temos de pensar em frente. Este ano podemos testar e tentar outra coisa.  Atuar nos detalhes acontece primeiro no campo de treino, quando estamos juntos há muito tempo”.

Alguns jogadores também foram entrevistados após a partida. Sané foi um deles, comentando sobre as chances da seleção alemã e o fato de não ter conseguido marcar um gol: “Tivemos boas oportunidades para ganhar o jogo. Especialmente no primeiro semestre, jogamos bem para a frente. Pessoalmente, isso me irrita que não usei minhas chances. Espero que funcione melhor nos próximos jogos”.

Já os outros atletas falaram dos seus momentos nesta partida. O retorno de Gündogan depois de lesões que o deixaram de fora da seleção alemã por quase um ano, exatamente 354 dias da sua última aparição, deixou o volante emocionado. “Estou muito feliz por ter feito meu retorno na equipe nacional hoje. Isso é muito bom. Acho que encontrei rapidamente o meu ritmo de jogo. Eu entrei bem com as coisas fáceis”.

E o estreante na equipe, Halstenberg falou sobre a sua primeira partida com a seleção: “Estou feliz e também feliz por hoje ter conseguido fazer minha estreia com a camisa nacional. Foi muito divertido jogar em um cenário tão grande em Wembley e conhecer muitos novos jogadores. Eu me sinto como um feliz como um ‘iniciante tardio’”.