Após empate do Dortmund, Marcel Schmelzer afirma: "Não é fácil jogar em Leverkusen"

Os aurinegros empataram fora de casa contra o Leverkusen depois de sair atrás no marcador e ter dois jogadores substituídos por conta de lesões

Após empate do Dortmund, Marcel Schmelzer afirma: "Não é fácil jogar em Leverkusen"
(Reprodução/Borussia Dortmund)

Neste sábado (02), o Borussia Dortmund novamente saiu de mais uma partida com o empate e dessa vez contra o Bayer Leverkusen, na BayArena, com placar de por 1 a 1 e gols marcados por Volland e Yarmolenko. Além do resultado e do desempenho que não mostra nenhuma mudança significativa na postura da equipe aurinegra, a partida resultou também nas lesões de Castro e Philipp, aumentando assim o número de atletas no departamento médico.

Após o jogo, as entrevistas concedidas pela equipe tentam minimizar toda a crise vivida pelos aurinegros numa perspectiva de melhora contínua na conduta do time em seus jogos. Porém, ainda fica visível a instabilidade e dificuldade em contornar toda a situação vivida.

O diretor esportivo do Dortmund, Michael Zorc, falou do seu ponto de vista sobre o momento atual da equipe em relação a partida: "A mentalidade e o caráter estavam em ordem. Nós ficamos para trás mais uma vez, mas voltamos e, no final, tivemos a chance de ganhar o jogo. Queremos pegar o jeito. Como uma primeira faísca, gostaríamos de ter obtido os três pontos.  Conseguimos um ponto diante de uma equipe que está invicta por nove jogos”.

Tratando mais especificamente sobre o jogo em si, o capitão aurinegro, Marcel Schmelzer, foi quem comentou sobre o desempenho da equipe diante do Leverkusen, destacando que é preciso analisar este empate de maneira afirmativa, lembrando do poder da equipe adversária e o fato de terem jogado fora de casa: "Se você notar como Leverkusen jogou no empate contra o Leipzig há duas semanas, podemos estar satisfeitos - mesmo com a maneira como jogamos. Nós fomos muito pacientes, não jogamos tanto harakiri [o termo é o código de honra do samurai, consiste na obrigação ou dever do samurai em suicidar-se em determinadas situações, ou quando julga ter perdido a sua honra; neste caso refere-se ao fato dos jogadores não terem se doado a ponto de recuperarem a honra perdida]. Leverkusen tem jogadores ofensivos muito fortes, então estou feliz que nossa moral e nossa vontade tenham sido suficientes para conseguir um ponto. Em geral, você definitivamente deve ver esse jogo de forma positiva. Leverkusen é uma boa equipe que ainda é muito perigosa com dez homens. É definitivamente um passo à frente, pois respondemos ao placar que estava desfavorável. É por isso que podemos ficar satisfeitos com este ponto. Não é fácil jogar em Leverkusen".

Ao ser perguntado sobre o fator decisivo que culminou no empate da partida, o capitão falou da estratégia usada na partida: "Nós jogamos muito pacientemente, o que foi importante porque Leverkusen se defendeu muito apaixonadamente e por ter esses jogadores ofensivos, como Brandt ou Havertz, Bailey e mais tarde Bellarabi. Eles têm uma velocidade brutal. Portanto, foi um passo em frente ser paciente e esperar para as poucas oportunidades. Com um pouco de sorte, ainda marcamos um gol".

Tendo em meta que a próxima partida do Dortmund é contra o Real Madrid, na próxima quarta-feira (06), em partida de volta pela Champions League no Santiago Bernabéu, Schmelzer diz estarem preparados e que farão o possível para terem um bom rendimento: “Tivemos uma boa semana de treinamento em que nos preparamos bem. Vamos usar o jogo em Madri agora para dar mais um passo à frente. Claro que é algo diferente em Bernabéu do que aqui em Leverkusen. Ainda assim, é exatamente o que precisamos agora: treinamento e jogos. Eu não dependeria agora do resultado em Madri. É importante para nós ter um bom desempenho e lutar pelos pontos. Então, virá por si só e iremos jogar um bom futebol”.