De Jong, Drmic, Bobadilla... Borussia Mönchengladbach mantém sina ruim com camisas '9'

Clube acumula fracassos na contratação de um centroavante desde a 'Era Favre'

De Jong, Drmic, Bobadilla... Borussia Mönchengladbach mantém sina ruim com camisas '9'
De Jong, Drmic, Bobadilla...Borussia Mönchengladbach mantém sina ruim com camisas ‘9’ (Fotos: Divulgação/Borussia Mönchengladbach)

O Borussia Mönchengladbach pode se gabar de sempre acertar em suas apostas no meio-campo, em um período recente, sempre apostando em jovens jogadores de grande talento, casos de Xhaka, Kramer (quando esteve emprestado), Dahoud e mais recentemente Denis Zakaria, László Bénes e Cuisance – destaque positivo da primeira metade da temporada. No entanto, o mesmo não pode se dizer em relação aos atacantes contratados.

Em busca de um centroavante, o Borussia costumeiramente realiza transações de total insucesso. Desde 2012, alguns jogadores passaram pelo clube, sem muito sucesso: Peniel Mlapa, Branimir Hrgota, Luuk de Jong e recentemente, e ainda no elenco, Josip Drmic e Raúl Bobadilla. Luuk de Jong, por exemplo, foi a contratação mais cara da história do clube (€ 12m) e a passagem do holandês foi um fracasso. Em 45 jogos o centroavante anotou oito gols e contribuiu com quatro assistências e teve sua passagem marcada por marcar um gol contra nos playoffs da Champions League, diante do Dinamo de Kiev, eliminando os Potros da competição.

Somados, os cinco atacantes contratados entraram em campo em 273 oportunidades com a camisa do Borussia, anotando somente 40 tentos. Atualmente, por exemplo, Drmic e Bobadilla (contando apenas sua segunda passagem pelo clube), tem somente um tento marcado, pelo atacante suíço, isso na temporada 2015-2016. No total, os Potros investiram, ao longo desses anos, €26,9 milhões nas transações que envolveram a contratação dos atacantes citados.

Paralelamente, a dupla de ataque atual – composta por Lars Stindl e Raffael, sendo que o primeiro não é atacante de origem, obteve e vem obtendo grande sucesso com a camisa dos Foals, tanto que ambos são ídolos do clube – e Stindl o capitão do clube. A dupla custou, aos cofres do clube, €8m no total, e o resultado é imensamente superior a do bonde contratado por Max Eberl: até o momento são 270 aparições e 101 anotados, o que representa uma marca de 60 gols a mais em três partidas a menos.

O retorno de Bobadilla, por exemplo, causou estranheza em toda mídia, assim como por grande parte da torcida, uma vez que o centroavante sequer teve uma passagem de destaque quando defendeu as cores do clube em sua primeira passagem. Sendo assim, o clube passa por dificuldades em encontrar um atacante que possa fazer companhia ou substituir a dupla Raffael e Stindl na frente.  

O único caso de sucesso em contratações de atacante, curiosamente, foi de outro atacante de suporte, ou segundo atacante, caso de Raffael: Max Kruse. Em duas temporadas, o atacante problemático anotou 25 gols e contribuiu com 22 assistências em 77 jogos, alcançando uma excelente marca com os Borussen, essencialmente na temporada 2014-2015, quando o atacante realizou grande temporada ao lado do brasileiro Raffael, levando a equipe ao 3º lugar da Bundesliga – melhor desempenho dos Potros desde a temporada 86/87, quando também ficou na terceira colocação, no entanto, Kruse preferiu se juntar ao Wolfsburg, alegando que gostaria de disputar a Champions League com frequência, e desde então, tanto os Lobos quanto o jogador regrediram.