Colônia vence Hamburgo, alcança terceira vitória seguida e sonha com saída do rebaixamento

Contratado na atual janela de transferências, centroavante Simon Terodde marcou os dois gols da vitória dos Bodes em duelo dos últimos colocados

Colônia vence Hamburgo, alcança terceira vitória seguida e sonha com saída do rebaixamento
Foto: Stuart Franklin/Bongarts/Getty Images
Hamburgo
0 2
Colônia
Hamburgo: Pollersbeck; Deikmeier, Mavraj, Papadopoulos e Douglas Santos; Jung e Holtby (Ito, min. 77); Janjicic (Bobby Wood, min. 66), Hunt e Kostic; André Hahn. Técnico: Markus Gisdol.
Colônia: Timo Horn; Sörensen, Jorge Meré, Heintz e Jonas Hector; Clemens (Klünter, min. 78), Höger, Özcan e Jojic (Claudio Pizarro, min. 88); Terodde e Osako (Lehmann, min. 64). Técnico: Stefan Ruthenbeck.
Placar: 0-1, Terodde, min. 27. 0-2, Terodde, min. 67.
ÁRBITRO: Guido Winkmann | Cartões amarelos: Papadopoulos (HSV, min. 5), Jung (HSV, min. 31), Janjicic (HSV, min. 37), Sörensen (COL, min. 60), Jonas Hector (COL, min. 62) e Jorge Meré (COL, min. 69)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 19ª rodada da Bundesliga 2017-18, disputada no Volksparkstadion

No duelo dos últimos colocados da Bundesliga, com as equipes em situação completamente desesperadora, Hamburgo e Colônia encerram o sábado (20) de futebol na Alemanha. Em jogo válido pela 19ª rodada do Campeonato Alemão, disputado no Volksparkstadion, os Bodes mantiveram viva a esperança de uma reviravolta histórica e, consequentemente, a esperança de evitar o rebaixamento ao vencerem por 2 a 0 fora de casa, com gols marcados por Simon Terodde, centroavante contratado na atual janela de transferências e importante nos primeiros jogos após a pausa de inverno.

Com o resultado, o Köln repete algo ocorrido pela última vez em 2011 ao vencer em três rodadas consecutivas e já repetiu o desempenho de todo o primeiro turno. Naufragado na última posição, a equipe reage, soma 12 pontos e fica a quatro de distância do Werder Bremen, equipe na zona dos playoffs. Por outro lado, a situação dos Dinos é caótica. A equipe não vence desde o último mês de novembro, não consegue um resultado positivo há seis rodadas e continua no penúltimo lugar, com 15 pontos.

A próxima rodada será disputada no próximo fim de semana e as equipes entram em campo às 12h30 do sábado (28). O Hamburgo encara o RB Leipzig na Red Bull Arena, enquanto o Colônia irá medir forças diante do Augsburg no RheinEnergieStadion.

Gol de Terodde e milagre de Horn marcam primeira etapa

Apesar de jogar em casa, o Hamburgo não conseguiu implementar a pressão que era ouvida nas arquibancadas do Volksparkstadion. Muito pelo contrário, já que o HSV possuía dificuldades para roubar a bola do Colônia e criar ataques perigosos. A equipe visitante, por sua vez, tentava jogar da sua maneira, mantendo a cautela, evitando qualquer tipo de contra-ataque aos donos da casa. Dessa maneira, o panorama da partida era de equilíbrio, com o Hamburgo um pouco melhor, já que era mais participativo no campo de ataque.

Apesar disso, a inteligência de jogo do Köln foi recompensada aos 26 minutos, quando Jojic cobrou um escanteio com perfeição no primeiro pau, Osako deu uma leve desviada com sua cabeça e Terodde, mesmo sendo agarrado pelo Diekmeier, empurrou para o fundo das redes, abrindo o placar e marcando seu segundo gol com a camisa do Colônia. O atacante fora contratado junto ao Stuttgart no começo do mês e havia marcado o gol salvador contra o Borussia Mönchengladbach, na última rodada.  

Após o gol, o Hamburgo sucumbiu ao jogo da equipe do treinador Stefan Ruthembeck, que passou a controlar a partida no seu ritmo, trocando passes e tendo uma maior porcentagem de posse de bola. Já que os comandados de Markus Gisdol sentiram o tento marcado por Terodde e não conseguiram implementar o seu jogo, o que resultou em uma grande superioridade por parte dos visitantes, que pouco eram ameaçados.  

Apesar da pífia partida, o Hamburgo foi a equipe que teve a melhor chance após o gol de Terodde. Aos 40 minutos, Hunt fez bela jogada pelo lado direito, deixou alguns marcadores para trás e cruzou, a bola passou por Sörensen, que não conseguiu cortar, e sobrou limpa para Kostic, que, totalmente livre, teve sua finalização bloqueada por uma fantástica defesa de Timo Horn, um dos principais nomes do primeiro tempo. 

Fatal, Terodde amplia vantagem e sacramenta vitória dos Bodes

Estando em desvantagem no placar, o Hamburgo começou atacando no início da segunda etapa, principalmente por meio de jogadas pelos lados do campo, buscando cruzamentos para o meio da área. A melhor chance dos primeiros minutos, porém, foi do Colônia, quando Mavraj tentou afastar a bola, mas acabou batendo errado nela, que sobrou nos pés de Terodde, de frente para o gol, para chutar longe da meta de Pollersback.

Com o passar do tempo, o desespero tomou conta da equipe de Markus Gisdol, que passou a atacar com mais jogadores no campo ofensivo. Consequentemente, o espaço para o contra-ataque do Colônia se tornou muito maior, mas os Bodes não conseguiam aproveitar as lacunas defensivas deixadas pelo HSV, errando muitos passes e com uma pífia movimentação por parte dos jogadores, já que a atuação no segundo tempo era aquém do desejado.

Aos 20 minutos, Gisdol promoveu a entrada do atacante Bobby Wood no lugar de Janjicic, um volante. Dessa maneira, os espaços para contra-ataque do Colônia, que já eram grandes, ficaram ainda maiores. Para piorar, o zagueiro Papadopoulos errou um passe no meio-campo, o que resultou em uma rápida transição: Clemens lançou para Jojic, que devolveu de primeira para o meio, de onde surgiu Simon Terodde, que, com um simples toque, ampliou a vantagem dos visitantes no placar. 

Com a vantagem ampliada e a vitória praticamente garantida, os visitantes mantiveram tranquilidade e não foram incomodados. Abalados psicologicamente e por mais um revés dentro de casa, o Hamburgo não conseguiu atacar e aceitou o duro golpe da derrota.