Justiça pede quatro anos de prisão ao atacante Rubén Castro, do Betis

Jogador é acusado de cometer crime de abuso habitual, ameaças e seis acusações de abuso na família

Justiça pede quatro anos de prisão ao atacante Rubén Castro, do Betis
(Foto: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images)

A Justiça espanhola fechou o cerco contra o atacante do Real Betis Rubén Castro. O Judiciário solicitou, na manhã desta quinta-feira (12), a condenação do jogador com pena de quatro anos de reclusão debaixo das acusações de abuso habitual, ameaças e seis ocorrências de agressões em sua ex-companheira. Cada acusação tem sua pena, o que resulta no tempo acumulado de quatro anos de prisão.

Pelo crime de maus-tratos domésticos, a Fiscalía pede um ano e três meses de detenção. Pelas leves ameças, nove meses de reclusão e por cada uma das seis acusações de agressão no âmbito familiar, quatro meses, o que resulta em um total de 48 meses - quatro anos - de prisão. Com isso, o pedido contra o jogador foi aumentado, uma vez que a pena estipulada no último mês de fevereiro era de 30 meses.

Além disso, foi solicitado a Rubén Castro que mantenha distância de, no mínimo, 300 metros de sua ex-companheira, nem que haja nenhum tipo de comunicação durante dois anos e três meses. O pedido de prisão veio um dia depois do Tribunal de Violência contra as Mulheres de Sevilla notificar a abertura de julgamento contra o atacante.

Na sequência da decisão, a questão será enviada para um tribunal penal para definir a data de acordo com sua agenda. A abertura do julgamento e a qualificação da acusação vem depois do Tribunal de Sevilla, no último mês de fevereiro, atribuir novas acusações de agressão por parte de Rubén Castro a sua ex-noiva, Amparo Díaz Ramos.

De acordo com o processo, o jogador deu um pontapé no estômago, a agarrou com força pelo pescoço e a atingiu no olho, o que ficou comprovado graças a um hematoma. Os incidentes aconteceram nos dias 15 de outubro de 2012, março de 2013 e 1º de maio do mesmo ano.

O Real Betis, o jogador e nem suas assessorias se manifestaram sobre o assunto e não se pronunciaram sobre as ações a serem tomadas daqui para frente.