Atlético de Madrid vence Celta de Vigo e foca sua atenção para final da Champions League

Torres e Griezmann marcaram no triunfo por 2 a 0; Celta foi ultrapassado pelo Athletic Bilbao e terá de jogar os playoffs da Uefa Europa League

Atlético de Madrid vence Celta de Vigo e foca sua atenção para final da Champions League
Atlético de Madrid
2 0
Celta de Vigo
Atlético de Madrid: OBLAK; JUANFRAN, SAVIC, GODÍN, FILIPE; AUGUSTO, GABI, KOKE, SAÚL; GRIEZMANN (CARRASCO, MIN 73) E TORRES (TIAG, MIN. 76).
Celta de Vigo: SERGIO; JONNY, HUGO MALLO, SERGI GÓMEZ, PLANAS; MARCELO DÍAZ, ORELLANA (BONGONDA, MIN 71), WASS (IAGO ASPAS, MIN 59), P. HERNÁNDEZ (RADOJA, MIN 81); NOLITO E GUIDETTI.
Placar: 1-0, MIN 51, TORRES. 2-1, MIN 54, GRIEZMANN.
ÁRBITRO: FERNÁNDEZ BORBALÁN AMARELOU GABI (MIN, 36), GRIEZMANN (MIN. 46), ORELLANA (MIN, 67), SAVIC, (MIN 76), NILOTO (MIN76), HUGO MALLO (MIN 80), P. HERNÁNDEZ (MIN 80), KOKE (MIN 80) E ASPAS (MIN 83).
INCIDENCIAS: JOGO VÁLIDO PELA 38ª RODADA DO CAMPEONATO ESPANHOL 2015/16, DISPUTADO NO ESTÁDIO VICENTE CALDERÓN, EM MADRID (ESP).

Em sua última partida jogando no Vicente Calderón da temporada, o Atlético e Madrid bateu o Celta de Vigo por 2 a 0, neste sábado (14). Fernando Torres e Griezmann marcaram na última partida da equipe pelo Campeonato Espanhol 2015/16, que tem sua rodada derradeira ocorrendo neste final de semana.

Após um primeiro tempo fraco, os mandantes voltaram para o segundo tempo para matar o jogo logo. Marcou duas vezes antes dos 10 minutos e apenas controlou no restante da partida. Primeiro, na bola parada. Escanteio e gol de El Niño Torres. Depois, uma bola roubada com velocidade e gol de Griezmann para fechar o placar.

Com a vitória de Real Madrid, o Atlético permaneceu na terceira posição, onde termina o campeonato, com 88 pontos. Agora o foco é total na decisão da Uefa Champions League, que ocorre no próximo dia 28, em Milão, quando encara o seu maior rival, Real Madrid, novamente em uma decisão europeia. Já o Celta, foi ultrapassado pelo Athletic Bilbao, devido à vitória dos bascos diante do Sevilla. Agora, terá que disputar os playoffs da Uefa Europa League, enquanto o Bilbao garante a vaga direta para a fase de grupos. O Celta termina a competição com surpreendentes 60 pontos, na sexta colocação.

Primeiro tempo fraco e empate sem gols

A primeira etapa da partida foi muito fraca. Ambas as equipes, quando tinham a posse de bola pouco conseguiram criar. Apenas uma chance aqui e outra acolá. No começo da peleja mais presença do Atlético, mais pro fim, do Celta.

Aos 6 minutos, a primeira finalização. Saúl dominou a bola e finalizou colocado de fora de área. O goleiro Sergio Álvarez foi buscar e espalmou para escanteio. Na sequência, foi a vez de Godín. Um chutão vindo da defesa para evitar o contra ataque do Celta e o zagueiro ainda se encontrava na área do adversário. Não titubeou e finalizou de cabeça, acertando a trave.

Depois dos 35 foi o Celta quem apertou, principalmente na bola parada. Aos 36, Nolito levantou a bola na área e o baixinho Orellana, na segunda trave, ganhou de Koke e conseguiu a cabeçada, porém, Oblak pegou. Já aos 44 minutos, Nolito bateu direto uma falta frontal. Oblak foi mais uma vez e defendeu sem muitas dificuldades.

Atlético faz dois e garante mais uma vitória no Calderón

O intervalo da partida fez bem ao Atlético, que voltou disposto a matar logo o jogo. E assim o fez. O primeiro gol, claro, veio na bola parada. Koke bateu o escanteio e defesa não conseguiu afastar. Apenas desviaram no primeiro pau para trás. Lá estava Fernando Torres para, numa bonita finalização, empurrar a bola para o fundo das redes.

E não demorou a sair o segundo. Antes mesmo dos 10 minutos, Griezmann ampliou o placar. O Atlético recuperou a bola no campo de ataque e Gabi levantou a bola na área. Koke ajeitou com o peito para Fernando Torres, que finalizou bem novamente. A bola explodiu no travessão e voltou na cabeça de Griezmann que só teve o trabalho de deixá-la bater em sua cabeça para entrar e aumentar o marcador.

Depois disso, o jogo entrou em uma fase de muito nervosismo. Jogadores começaram a se estranhar e várias discussões puderam ser vistas, além de muitos cartões amarelos distribuídos pelo árbitro. O que se pode destacar desses minutos finais é uma jogada de Nolito, lembrando muito um drible de futsal utilizado para passar por Augusto Fernández, mas que resultou em uma fraca finalização nas mãos de Oblak.