'La Décima': Real Madrid sofre, renasce, goleia Atlético e conquista o título mais cobiçado

Após 12 anos, o clube merengue conseguiu a tão sonhada décima taça da Champions League; Real Madrid é o maior vencedor da competição

'La Décima': Real Madrid sofre, renasce, goleia Atlético e conquista o título mais cobiçado
'La Décima': Real Madrid sofre, renasce, goleia Atlético e conquista o título mais cobiçado

O maior campeão europeu. São dez títulos do principal torneio de clubes da Europa. O Real Madrid, depois de 12 anos, voltou a conquistar o troféu mais cobiçado por todos os clubes do velho continente, e assim, retornou ao topo. Não foi fácil conquistar a "La Décima". O caminho foi longo. Doze anos. Mas, em 2014, finalmente os torcedores merengues puderam vibrar com esta conquista novamente.

O título da Uefa Champions League era muito esperado em Madrid desde a última vez em que o Real levantou o troféu, em 2002, com os galáticos Figo, Zidane, Raúl e Morientes. Mas, ninguém esperava que para conquistá-la pela décima vez demoraria tanto. Levou 12 anos. E foi sofrido. Até os 48 minutos da etapa final, o Real Madrid perdia para o rival Atlético de Madrid por 1 a 0, até que após cobrança de escanteio, Sergio Ramos empatou e igualou o placar. Na prorrogação, o Real sobrou e com gols de Bale, Marcelo e Cristiano Ronaldo, fechou o placar em 4 a 1, sagrando-se campeão.

A comemoração virou a noite. A Praça Cibeles recebeu cerca de 200 mil pessoas até as seis da manhã. No Santiago Bernabéu, 80 mil merengues comemoraram e fizeram a festa. Enfim, o jejum tinha acabado. 

Praça Cibeles recebeu 200 mil torcedores do Real Madrid (Foto: Getty Images)

Grande campanha na fase de grupos

No grupo B, com Galatasaray, da Turquia, Juventus, da Itália e Copenhagen, da Dinamarca, o Real Madrid conseguiu cinco vitórias e um empate em seis jogos, 20 gols pró e cinco contra, e 16 pontos. Líder isolado.

O Real Madrid estreou na Turquia, contra o Galatasaray. Isco, Benzema (2) e Cristiano Ronaldo (3), marcaram para os merengues. Umut Bulut descontou para os donos da casa. O gajo estreava na edição da competição com um hat-trick. Na segunda rodada, o Real recebeu no Santiago Bernabéu o Copenhagen. E mais uma goleada: 4 a 0. Dois gols de Cristiano Ronaldo - que já era o artilheiro da competição na segunda rodada, e dois de Di Maria.

Em seguida, dois jogos contra a Juventus. A primeira partida, válida pela 3ª rodada, foi no Santiago Bernabéu. Com dois gols de Cristiano Ronaldo, o Real Madrid venceu por 2 a 1; Llorente descontou. No segundo jogo, no Juventus Stadium, a Velha Senhora não saiu de um empate por 2 a 2 e se complicava na primeira fase. Por outro lado, o Real já estava com os pés nas oitavas de final. Cristiano Ronaldo e Bale marcaram de um lado, Vidal e Llorente de outro. Em quatro rodadas, CR7 já somava oito gols.

Ao vencer o Copenhagen na Dinamarca por 2 a 0, com gols de Modric e Cristiano, o Real garantia de vez a vaga nas oitavas de final. Na última rodada da primeira fase, com alguns reservas, os merengues venceram o Galatasaray por 4 a 1 no Bernabéu, com gols de Bale, Arbeloa, Di Maria e Isco; Umut Bulut descontou para os turcos, que ficaram com a segunda posição do grupo.

Goleada sobre o Schalke 04 e classificação às quartas

Nas oitavas de final o adversário era o Schalke 04, da Alemanha, que avançou de fase após três vitórias, duas derrotas - ambas para o Chelsea - e um empate. Entretanto, mesmo jogando a ida em Gelsenkirchen, o Real Madrid não teve dó do adversário e venceu por 6 a 1, com dois gols de Cristiano Ronaldo, Bale e Benzema. O trio "BBC" tomou conta da partida. Huntelaar, no fim do jogo, descontou para o Schalke 04. No jogo da volta, no Santiago Bernabéu, nova vitória merengue: 3 a 1. Cristiano Ronaldo (2) e Morata marcaram para os donos da casa, e Hoogland diminuiu.

Cristiano Ronaldo marcou três gols em dois jogos contra o Schalke 04 (Foto: AFP/GettyImages)

Revanche contra o Dortmund

Nas quartas de final o adversário era um velho conhecido: o Borussia Dortmund. Um ano antes, na semifinal da edição da Uefa Champions League 2012/13, o Dortmund eliminou o Real, com Lewandowski sendo o destaque da heróica classificação.

O novo confronto com o Borussia cheirava a revanche. O Real Madrid, mordido pela eliminação na semifinal da edição anterior, tratou de construir um bom resultado no Santiago Bernabéu. Vitória por 3 a 0, com gols de Bale, logo no começo do jogo, Isco na metade da primeira etapa e Cristiano Ronaldo no segundo tempo. Parecia tudo tranquilo e a classificação as semifinais bem encaminhada. 

CR7 marcou o terceiro do Real Madrid contra o Dortmund no Bernabéu (Foto: AFP/GettyImages)

Mas, na partida de volta, no Signal Iduna Park, o Dortmund impressionou e venceu por 2 a 0, e se não fosse a falta de pontaria Mkhitaryan, poderia ter eliminado os blancos novamente. Foi a primeira derrota madridista na competição e por um pouco não resultou na eliminação. Não foi fácil o confronto contra o Borussia e o Real avançava assustado para semifinal.

Semifinal contra o Bayern de Munique e classificação à final em Lisboa

Outro alemão atravessou o caminho do Real Madrid na semifinal. O Bayern de Munique, dos craques Robben e Ribery, comandados por Pep Guardiola, tinham pela frente a equipe do melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo. Na partida de ida, no Santiago Bernabéu, Benzemá marcou o gol que deu a vitória ao Madrid, em jogo bastante estudado e muita pressão.

Zagueiro artilheiro, Sergio Ramos foi decisivo nos jogos finais da Champions League (Foto: AFP/GettyImages)

Na Allianz Arena, em Munique, era esperado um confronto muito equilibrado. O Bayern teve toda a posse de bola do jogo, enquanto o Real jogou nos contra-ataques. Sem conseguir atacar quando tinha a bola, os bávaros ficaram vulneráveis na defesa, e os contra-ataques com Di María, Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema davam dor de cabeça a Pep Guardiola.

Mas os dois primeiros gols saíram da bola parada. Após cobrança de falta, Sergio Ramos abriu o placar. Pouco depois, em cobrança de escanteio, Sergio Ramos, de novo, ampliou. Ainda no primeiro tempo, após lançamento de Di María para Bale, o galês arrancou e tocou para Cristiano Ronaldo marcar o terceiro - com esse gol, Ronaldo se transformou no maior artilheiro de uma edição da Champions. O contra-ataque do Real, de tanto assustar, deu resultado. 

No fim do jogo, em cobrança de falta rasteira, o CR7 mostrou por que é o melhor jogador do mundo e fechou o placar em 4 a 0. O Real Madrid estava na final da Uefa Champions League após longos 12 anos de fila.

Cristiano Ronaldo foi o artilheiro da Champions League 2013/14 com 17 gols. O maior artilheiro de uma única edição (Foto: AFP/GettyImages)

Final em Lisboa e, enfim, o título da La Décima

O adversário da final foi o rival da própria cidade: Atlético de Madrid. A equipe do técnico Diego Simeone fez uma temporada muito boa, e além do título espanhol, eliminaram Milan, Barcelona e Chelsea, todos que já conquistaram o título europeu. Era o confronto do melhor ataque contra a melhor defesa.

Em partida disputada no Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal, Casillas saiu mal do gol e Godín abriu o placar para os colchoneros aos 36 minutos do primeiro tempo. O jogo permaneceu assim até os 48 minutos da etapa final. O Real Madrid pressionou toda a partida. De tanto pressionar, foram premiados. Aos 47 do segundo tempo, Modric cobrou escanteio para área e, Sergio Ramos, que já havia ajudado a decidir contra o Bayern, decidiu desta vez contra os espanhóis: 1 a 1.

Decisivo, Sergio Ramos marcou aos 48 do segundo tempo para igualar o placar e levar a final para a prorrogação (Foto: AFP/GettyImages)

O Real Madrid, cansado, forçou a prorrogação contra o Atleti que estava ainda mais desgastado. O preparo físico de Marcelo, Di María, Bale e Cristiano Ronaldo contribuíram para o sucesso da equipe nos 30 minutos extras. O Atlético, bravamente, ainda resistiu aos 15 minutos iniciais da prorrogação.

Mas, no início do segundo tempo da prorrogação, após boa jogada de Di María, melhor jogador da partida, Courtois deu rebote na finalização do argentino e Bale, que já havia perdido três gols durante os 90 minutos, botou os merengues em vantagem. Marcelo, que havia entrado no segundo tempo, aproveitou a defesa do Atlético de Madrid que estava aberta e chutou forte - e contou com a falha de Courtois, para ampliar: 3 a 1.

No fim, o árbitro ainda marcou um pênalti de Godín em Cristiano Ronaldo. O gajo bateu e marcou. Gol que igualou Lionel Messi na história da artilharia da Champions League: 67 gols. Pela décima vez o Real Madrid dominava a Europa.

Após boa jogada de Di María, Bale aproveitou o rebote de Courtois para virar o jogo para o Real Madrid na prorrogação (Foto: AFP/GettyImages)

Relembre os gols da final da Uefa Champions League 2013/14: