Sergio Ramos: o herói de La Décima

Zagueiro marcou o gol do empate aos 47 minutos do segundo tempo e levou o jogo para prorrogação, onde o Real Madrid foi superior e definiu o título

Sergio Ramos: o herói de La Décima
Sergio Ramos: o herói de La Décima

O Real Madrid perdia a decisão da Uefa Champions League 2013/14 até os 47 minutos do segundo tempo. O jogo ia chegando ao fim, o Atlético de Madrid vencia e poucos segundos separavam o título inédito na história do clube. Eis que surge um herói merengue. Na cobrança de escanteio, a bola foi caprichosamente levantada na área. Sergio Ramos estava lá. Subiu mais que seus marcadores e cabeceou cruzado, no canto, para empatar o jogo. Ali, a história do jogo mudou e o título começava a mudar de mãos. Era a La Décima sendo conquistada pelo Real.

O gol de Sergio Ramos deu vida ao Real Madrid. O clube merengue correu atrás do resultado o jogo todo, pressionou o Atlético de Madrid de todas as formas. O histórico na temporada contra os rivais não era nada animador. Os colchoneros tinham ampla vantagem e não tinham perdido ainda para os merengues. O jogo ia chegando ao fim e tudo caminhava para mais uma vitória dos rojiblancos. Mas o gol de Ramos, no consagrado minuto 92 (aos 47 minutos do segundo tempo), mudou toda a história.

O jogo caminhou para a prorrogação. O gol de Ramos deu vida ao cansado Real Madrid e tirou a vida do também cansado Atlético. Na prorrogação, os colchoneros resistiram nos primeiros 15 minutos, lutaram bravamente como guerreiros. Mas, no segundo tempo da prorrogação, pareciam não se aguentarem mais em campo. Di Maria deu seu último suspiro numa arrancada, driblou dois marcadores e finalizou. Courtois ainda defendeu, mas no rebote surgiu Gareth Bale, subindo mais que seu marcador para cabecear com o gol vazio. Era a virada merengue.

O jogo ficou completamente a favor do Real Madrid. O Atleti já não tinha mais resistência para atacar e os merengues tinham mais o controle do jogo. Após algumas trocas de passes, Marcelo ficou com a bola dominada na ponta esquerda e foi avançando pelo meio. A defesa colchonera deixou um espaço que nunca deixou antes. O lateral-esquerdo brasileiro, com tanto espaço na entrada da área, finalizou, e ainda contou com uma pequena falha de Courtois.

Com dois gols de vantagem, o Real Madrid já contava os segundos para o fim do jogo e poder tirar o grito de campeão preso há 12 anos na garganta. Nos minutos finais, Cristiano Ronaldo invadiu a área e foi derrubado por Godín, o autor do gol colchonero na primeira etapa. O gajo bateu o pênalti que ele próprio sofreu e deu números finais ao jogo, correndo euforicamente sem camisa para comemorar o título. Foi o 17º gol dele na Champions League daquela temporada, o maior artilheiro de uma edição do torneio.

Mas, tudo isso que aconteceu na prorrogação só foi possível graças a Sérgio Ramos. O gol de cabeça do zagueiro, no penúltimo minuto de jogo, deu vida ao Real Madrid para continuar correndo atrás da tão sonhada La Décima. A final de 2014, em Lisboa, será sempre lembrada pelo gol de Ramos no minuto 92. A décima conquista merengue será sempre lembrada por isso.