Especiais La Liga 2015/2016 Málaga: temporada mediana como mero coadjuvante

No resumo da temporada da equipe albiceleste, veja como o time deveu bastante e não correspondeu às expectativas apontadas e criadas antes do time começar

Especiais La Liga 2015/2016 Málaga: temporada mediana como mero coadjuvante
Especiais La Liga 2015/2016 Málaga: temporada mediana e mero coadjuvante

Mediana temporada, campeonato sem assustar nenhuma equipe. Não animou ninguém. Diferente de anos anteriores, e não faz muito tempo, o Málaga teve um desempenho decepcionante no Campeonato Espanhol 2015/2016. O time já não tinha conseguido vaga em competições europeias e o foco seria a disputa da Liga e da Copa do Rei. Fracasso em ambos. Um ano para ser esquecido. No resumo da temporada 2015/2016 do Málaga preparado pela VAVEL Brasil, saiba como o clube iniciou, conduziu e encerrou a temporada.

O início do Málaga no Campeonato Espanhol foi desastroso. O sinal de alerta foi ligado após três derrotas e três empates nas primeiras seis rodadas do torneio nacional. Ainda assim, o empate sem gols contra o vice-campeão Real Madrid no Estádio Santiago Bernabéu, localizado na cpital espanhola, animou a equipe em busca da primeira vitória, conseguida na rodada seguinte, contra a Real Sociedad.

(Foto: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images)

O primeiro turno do clube malaguista foi cheio de resultados negativos. Uma vitória era conquistada, mas vinham três, quatro ou cinco tropeços que faziam a equipe brigar para sair da zona de rebaixamento. O melhor momento dos boquerones aconteceu na virada do turno. O Málaga manteve uma boa sequência de sete jogos sem perder. Ao todo, foram três empates e quatro vitórias. Destes quatro triunfos, excelentes partidas contra Atlético de Madrid, Levante e Celta de Vigo, além do esforço em ter conseguido bons empates, principalmente contra o Athletic Bilbao no Estádio San Mamés, no país basco.

(Foto: AFP/Getty Images)

Na virada do turno, a instabilidade voltou a pairar em La Rosaleda. Mas o Málaga anotou um fato curioso. Nos jogos disputados contra o Barcelona, duas derrotas. Nos confrontos ante o Real Madrid, dois empates. No segundo duelo contra os merengues, nova igualdade no marcador em jogo muito parelho. Durante todo o restante da temporada, a equipe não ameaçou. Foi um mero coadjuvante.

Com atuações muito irregulares, os albicelestes passaram toda a metade do Campeonato Espanhol sem chances de rebaixamento para a Liga Adelante nem de classificação para os torneios interclubes continentais, como a Uefa Champions League e a Uefa Europa League. Ainda assim, sem animar o torcedor, a equipe de La Rosaleda conseguiu encerrar a edição da Liga com uma boa goleada sobre o Las Palmas por 4 a 1, dentro de casa.

(Foto: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images)

Estatísticas gerais

Ao fim das contas, após atuar como mero coadjuvante no Campeonato Espanhol 2015-2016, o Málaga teve discreta participação das estatísticas do principal torneio do país. Em 38 jogos disputados, 12 vitórias, 12 empates e 14 derrotas. Foram 38 gols marcados, 35 sofridos e aproveitamento total de 42,1%. Ao todo, a equipe malaguista usou 24 jogadores em todas as partidas, com destaque para o zagueiro Roberto Rosales. O defensor venezuelano atuou 3.420 minutos com a camisa albiceleste.

A equipe também foi disciplinarmente mediana. Ao todo, foram 103 cartões amarelos sofridos por todos os atletas do elenco do Málaga. O destaque negativo foi o meio-campista Recio, que recebeu 16 cartões amarelos e ficou fora de três rodadas do Campeonato Espanhol por conta de suspensão automática devido aos cinco cartões recebidos de maneira acumulada. Apenas um jogador do clube foi expulso. O também meia Fernando Tissone recebeu dois cartões vermelhos