A supremacia espanhola na Europa

Real Madrid e Sevilla decidem no próximo dia 9 a Supercopa da Europa; é a terceira vez consecutiva e quarta na história que dois times espanhóis decidem a competição.

A supremacia espanhola na Europa
Barcelona, vencedor da Supercopa 2015, festejando o título (Foto: David Mdzinarishvili/Getty Images)

Sabemos há muito tempo que o futebol espanhol é o mais competitivo do mundo. A constatação da afirmativa pode ser vista nos últimos 10 anos. Neste tempo, vimos grandes elencos, os maiores jogadores do planeta, os treinadores mais capacitados, finais de Uefa Champions League, finais de Europe League e títulos. Muitos títulos. Atualmente, é o país com mais títulos nas duas principais competições do continente e isso é resultado de trabalho, planejamento e investimento.

O futebol espanhol como um todo deu um grande passo de evolução na última década, dentro e fora de campo. Desde o Barcelona de Ronaldinho e Eto’o e o Real Madrid galático até o Madrid objetivo e o Barça do tiki-taka, muita coisa mudou. A qualidade técnica e investimento financeiro hoje não são mais privilégio merengue e blaugrano.

Clubes como o Sevilla, atual tricampeão da Uefa Europa League, o Atlético de Madrid, que é finalista de duas UCL em três temporadas e campeão de duas Europe Leagues em três temporadas e Villarreal, semifinalista da última Europe League têm grandes elencos, uma considerável fatia de investimento e excelentes treinadores.

A hegemonia espanhola não ficou apenas nos clubes. Nos últimos anos, a seleção do país foi considerada a melhor do mundo, tendo conquistado o bicampeonato da Eurocopa, nas edições 2008 e 2012, e a Copa do Mundo pela primeira vez em 2010. Os clubes espanhóis foram a base das equipes campeãs e deles também veio o seu estilo de jogo. A força defensiva do Real Madrid do José Mourinho e o tiki-taka catalão de Pep Guardiola que somados a experiência de Vicente Del Bosque formaram uma das seleções mais convincentes dos últimos anos.

Desde a final de 2006, até a atual são onze finais de Supercopa Europeia e pela nona vez, teremos pelo menos um clube espanhol na decisão. No entanto, será a terceira vez consecutiva que dois clubes espanhóis estarão decidindo o título e a quarta vez na história. De lá para cá, o Sevilla, campeão de 2006 e finalista neste ano, cresceu como clube.

Hoje, conta com um treinador de renome internacional, grandes jogadores e não é mais chamado de zebra quando chega às grandes finais. O Real Madrid, finalista deste ano, mas que apenas assistiu em 2006, não tem mais a pompa do time galático, mas tem taças, competitividade e objetividade.

Os rojiblancos que perderam as últimas duas finais para os dois maiores clubes do país, retornam a disputa esse ano com Jorge Sampaoli no comando de uma equipe que é ainda mais qualificada que nos anos anteriores. Os merengues, campeões da Champions League, com o ídolo Zidane como técnico, o retorno do bom futebol, Cristiano Ronaldo, Bale e Benzema, prometem lutar até o final e não facilitar em nada a vida do Sevilla.

Mais do que promessa, é a certeza de que vamos assistir a uma excelente partida de futebol na próxima terça-feira (9), às 15h45 no Lerkendal Stadion, em Trondheim, Noruega. A VAVEL transmitirá todos os lances da partida em tempo real.