Relembre: em 2014, Real Madrid bateu Sevilla com show de CR7 e levou a Supercopa da Uefa

Madridistas e sevillistas irão reeditar a decisão realizada há duas temporadas atrás; em 2014, português marcou duas vezes e garantiu o título merengue

Relembre: em 2014, Real Madrid bateu Sevilla com show de CR7 e levou a Supercopa da Uefa
(Foto: Getty Images)
Real Madrid
2 0
Sevilla

Após algumas semanas de confrontos preparatórios e de torneios de pré-temporada, finalmente estamos próximos da primeira grande decisão da temporada 2016/17. Na próxima terça-feira (8), Real Madrid e Sevilla disputam na Noruega o título da Supercopa da Uefa. A competição reúne as equipes vencedoras das últimas edições da Uefa Champions League e da Uefa Europa League.

Curiosamente, ambas as equipes se enfrentaram na mesma competição e em situações bem semelhantes há exatos dois anos atrás. Confira agora como foi aquela decisão, que será reeditada daqui uma semana.

O ambiente

Os Merengues viviam um momento mágico. Coincidentemente (mais uma vez), o clube também havia chegado aquela decisão após vencer o rival Atlético de Madrid na final da UCL após empatar a partida já nos minutos finais dos acréscimos. Com o "Trio BBC" em ótima fase, o Real carregava as esperanças de sua segunda taça da USC em diversos pontos naquela noite.

Maior vítima de Cristiano Ronaldo, o Sevilla já havia tomado 16 gols do luso em apenas 12 encontros. Atuando em casa, Gareth Bale contaria com o apoio galês naquela decisão em Cardiff. Destaques na Copa do Mundo do Brasil, Tony Kroos e James Rodríguez estrearam com o manto madridista também naquela noite.

Do lado rojiblanco, o clube comandado por Unai Emery também havia chegado aquela decisão após uma final emocionante pela UEL. O adversário foi o tradicional Benfica de Portugal. A grande final foi realizada no Juventus Stadium, em Turim. Após o tempo regulamentar e a prorrogação terminar sem gols, coube ao goleiro Beto (ironicamente português e com passagens por Sporting e Porto) brilhar nas penalidades e garantir a terceira taça da UEL ao Sevilla.

Em seguida, viriam mais duas conquistas de maneira consecutiva. Sem Rakitic, vendido ao Barcelona antes daquela decisão, o lado sevillista chegou, teoricamente, mais fraco para decisão. Apenas Iago Aspas chegou para reforçar o elenco, que manteve Carlos Bacca no setor ofensivo.

Equilíbrio no confronto é quebrado pela eficiência do "Melhor do Mundo"...

Considerado o favorito naquela noite em Cardiff, o Real Madrid chamou a responsabilidade e dominou as ações no início de jogo. Retrancado, o Sevilla tinha apenas Carlos Bacca em seu campo de ataque, e focava-se apenas na defesa nos minutos inciais. Atuando em sua terra natal, coube a Bale arriscar a primeira finalização da decisão, mas Fazio afastou para escanteio. Porém, o primeiro lance de perigo saiu dos pés de Ronaldo. Em cobrança de falta, o português não pegou tão bem na bola, mas contou com o desvio que quase enganou o arqueiro Beto.

Gareth Bale seguia sendo bastante acionado, mas parava na compacta defesa sevillista que fazia uma grande partida. Espernado a oportunidade nos contra-ataques, por pouco o Sevilla não surpreendeu após erro de Carvajal, quando Vitolo aproveitou e avançou pela direita, o meia finalizou cruzado e viu Casillas fazer a primeira grande defesa da partida. O experiente goleiro espanhol que para muitos seria reserva de Keylor Navas, outro destaque da Copa realizada no Brasil que acabou sendo contratado pelo clube de Madrid.

A defesa de Casillas ganhou ainda mais importância nos minutos seguintes. Primeiro em jogada de Coentrão, que teve seu cruzamente travado, onde por pouco não acabou caindo na meta de Beto, novamente Fazio salvou em cima da linha. Em seguida, foi a vez do arqueiro português realizar um milagre ao abafar a chega de Cristiano Ronaldo. Mas no minuto seguinte, ele nada pode fazer quando Bale avançou pela direita e cruzou na medida para Ronaldo inaugurar o marcador "de carrinho" em Cardiff. Antes do intervalo, novamente brilhou a estrela de Casillas quando Carriço teve a oportunidade de deixar tudo igual.

Segundo gol de Ronaldo logo no início decreta o campeão

Se Emery havia planejado uma mudança radical de postura da equipe para ir em busca do empate, tudo foi "por água abaixo" em menos de cinco minutos. Aparecendo pela primeira vez na decisão, foi a vez de Benzema fazer jogada individual e encontrar Cristiano Ronaldo na área, o gajo bateu firme para anotar o seu 18º tento em cima da equipe sevillista em 12 partidas.

Claramente abatido em campo, o Sevilla parecia não saber o que fazer dentro de campo. Denis Suárez encontrou Aleix Vidal em ótima trama pela ponta direita, mas o meia escorregou na hora da finalização, desperdiçando uma ótima oportunidade aos 58'. Controlando o resultado garantido nos primeiros minutos da segunda etapa, o Real só voltou a levar perigo à meta do Sevilla aos 67', quando James finalizou bonito após jogada de Bale, mas Beto fez boa defesa, impedindo o gol do colombiano em sua estreia. 

Após os lances, pouco aconteceu naquela noite em Gales. Aos gritos de 'campeão' da torcida madridista que comparecia em grande número ao Lerkendal Stadion, o Real levou perigo já nos acréscimos, quando Beto fez novamente um milagre, para evitar desta vez o tento de Gareth Bale em sua casa. Mas já não era necessário, o Real Madrid já havia conquistado a sua segunda taça da Uefa Super Cup!