Especiais La Liga 2016/17 Valencia: buscando voltar às competições europeias

Acostumados a incomodar Real Madrid e Barcelona nas primeiras posições da Liga, os valencianistas buscam recuperação após uma última temporada decepcionante

Especiais La Liga 2016/17 Valencia: buscando voltar às competições europeias
Especiais La Liga 2016/17 Valencia: buscando voltar às competições europeias

Decepção. Não há outra palavra mais propícia que caracterize a última temporada do Valencia. Sem a tradicional vaga para as principais competições do continente, os comandados de Paco Ayestaran terão que batalhar muito nesta temporada se quiserem mudar o destino valencianista. E o primeiro duelo já será na próxima segunda-feira (22). quando o Valência recebe o Las Palmas no Mestalla, para a estreia da nova temporada da Liga.

Eliminação precoce na UCL e trocas no comando técnico afetam a temporada

A última temporada valencianista até rendeu alguns raros momentos de felicidade à sua torcida. Logo no início, a equipe conseguiu se classificar a fase de grupos da Uefa Champions League após duelos de extremos equilíbrio com o Mônaco. Contudo, a empolgação não durou muito tempo. Liderado por Nuno Espírito Santo no começo da temporada, o Valencia colecionou resultados ruins principalmente na Liga. 

Na UCL, eliminação considerada vergonhosa para muitos. O Valencia não conseguiu avançar ao enfrentar na primeira fase o Zenit, o Lyon e o Gent, ficando apenas coma vaga na Uefa Europa League. A queda do primeiro técnico na temporada ocorreu logo após a eliminação na competição mais importante da Europa, quando o Valencia voltou a ser derrotado, desta vez para o Sevilla, na 13° rodada.

Para quase toda a imprensa espanhola, o Valencia necessitava de um comandante experiente, que fizesse com que o clube reagisse naquela altura da temporada. Mas o mesmo não pensou a diretoria, que supreendeu a todos ao contratar Gary Neville, ex-lateral direito do Manchester United e da Inglaterra, que faria seu primeiro trabalho como treinador. E os problemas não mudaram.

Após a chegada de Neville o Valencia chegou a se aproximar da zona de rebaixamento, chegando a permencer durante 12 partidas sem vitórias. Era uma temporada desastrosa para quem estava acostumado a figuarar nas primeiras colocações. O fim da curta era de Gary Neville no Valencia terminaria em quatro meses, com mais eliminações. Primeiro na Copa do Rei, após ser humilhado pelo Barça no Camp Nou em um sonoro 7 a 0.

Em casa, apenas empatou por 1 a 1.  Na UEL, elminação perante a seus torcedores diante do Athletic Bilbao, resultado que derrubou o comandante inglês. Por fim, chegou ao comando valencianista Pako Ayestaran, ex-assitente de Rafa Benítez, que eliminou em pouco tempo as possibilidades de um rebaixamento, que parecia cada vez mais próximo, fechando a Liga na 12° colocação.

Poucas mudanças no elenco para a próxima temporada. Entre elas, Nani chega para ser "o cara" do ataque valencianista

O plantel valencianista pouco foi alterado desde o início da janela de transferências. Apostando alto na última temporada em nomes como Álvaro Negredo, Rodrigo e André Gomes que não deram uma resposta à altura de seus respectivos investimentos, o Valencia voltou a contratar pouco, mas em nomes fortes e considerados promissores para brilharem no Mestalla.

Destaques mesmo com uma campanha extremamente fraca na última temporada, Diego Alves, Mustafi e Paco Alcácer podem não seguir no clube valencianista nesta próxima temporada. O arqueiro chama a atenção do Barcelona, em uma possível saída de Bravo. Alcácer também têm sido sondado pelos catalães desde as categorias de base. Já Mustafi, por muitas vezes teve seu nome ligado ao Arsenal, e também pode sair.

Para a defesa chegou Martín Montoya. O lateral revelado pelo Barcelona não obteve êxito ao atuar pela Internazionale na última temporada, e chega para disptuar posição com João Cancelo; para o setor de meio-campo chegaram Álvaro Medrán e Mario Suárez. O primeiro é outra promessa do Real Madrid que não deu certo atuando pelo Getafe na última temporada, e será mais uma aposta valencianista. Já Suárez, deve chegar para assumir a titularidade após a saída de André Gomes para o Barcelona; para o ataque chegou o reforço mais badalado.

O Valencia pagou aproximadamente €8 milhões para contar com o futebol de Nani nas próximas três temporadas. Após surgir como um provável "pupilo" de Cristiano Ronaldo, o também português Nani coleciona momentos de altos e baixos em sua curta carreira. Contudo, após uma grande Eurocopa, Nani chamou a atenção novamente do futebol europeu, e chega para tomar conta do ataque.

dasd
Mais de 12 mil torcedores foram recepcionar Nani no Estádio Mestalla (Foto: Divulgação/ Valencia CF)

Salvador na última temporada, Pako Ayestaran inicia uma temporada do zero no Valencia

Quando chegou ao Valencia no início deste ano, o cenário encontrado por Ayestaran era de um verdadeiro desastre. Teria que pegar um elenco desmotivado, após dois treinadores fracassarem ao tentarem reerguer o clube na temporada. Contudo, conhecendo as necessidades do clube por ter trabalhado em outras ocasiões como assistente, o treinador conseguiu a artimanha de afastar o Valencia da zona de rebaixamento. 

Agora, começando um trabalho praticamente do início, Pako poderá comandar sua equipe sem a pressão de ter que se afastar das últimas colocações da competição, podendo focar, pelo menos na teoria, em alcançar as primeiras colocações da tabela, onde o Valencia se acostumou a ficar durante toda a sua história. 

(Foto: Divulgação/ Valencia CF)
(Foto: Divulgação/ Valencia CF)

Expectativas para 2016/17

Por fim, dificilmente a temporada valencianista será pior do que a anterior. As expectativas do Valencia sempre serão altas para o início da Liga. Vale ressaltar que outras equipes (além de Barcelona e Real Madrid, é claro) estão à frente na disputa pelas primeiras colocações. O Atlético de Madrid têm estado na mesma altura dos dois gigantes. O Sevilla se reforçou agradou e muito durante a pré-temporada, mesmo perdendo a decisão da Uefa Super Cup e da Supercopa da Espanha.

Sem as competições internacionais, o foco valencianista estará totalmente na disputa da Liga e da Copa do Rei, o que pode realmente fazer a diferença. Se os títulos podem ser considerados algo distante da realidade vivida, principalmente quando comparada a última temporada, chegar longe na Copa, e voltar a disputar a Uefa Champions League já seria considerado um grande feito do Valencia nesta temporada que se inicia.