Atlético de Madrid apenas empata com Alavés na estreia do Espanhol

Equipe ia vencendo até os 49 do segundo tempo, quando Manu García empatou o jogo

Atlético de Madrid apenas empata com Alavés na estreia do Espanhol
Atlético de Madrid
1 1
Deportivo Alavés
Atlético de Madrid: OBLAK, JUANFRAN, SAVIC, GODÍN, FILIPE LUIS, GABI (GAITÁN, MIN.58), TIAGO (F. TORRES, MIN.45), KOKE, SAÚL, CARRASCO (CORREA, MIN.69) E GAMEIRO.
Deportivo Alavés: PACHECO, RAÚL GARCÍA, ALEXIS, FEDDAL (LAGUARDIA, MIN.11), KIKO FEMENÍA, DANI TORRES, KRSTIČIĆ (CAMARASA, MIN. 64), EDGAR, MANU GARCÍA, IBAI GÓMEZ E TOQUERO (SANTOS, MIN.79).
Placar: 1-0, MIN. 90, GAMEIRO (P). 1-1, MIN.93, MANU GARCÍA.
ÁRBITRO: IGLESIAS VILLANUEVA.
INCIDENCIAS: PARTIDA CORRESPONDENTE A 1ª RODADA DO CAMPEONATO ESPANHOL 2016/17, DISPUTADA NO ESTÁDIO VICENTE CALDERÓN, EM MADRID (ESP).

Atlético de Madrid e Deportivo Alavés empataram por 1 a 1 neste domingo (21), em jogo válido pela rodada de abertura do Campeonato Espanhol 2016/17. Gameiro e Manu García foram os responsáveis pelos gols da partida, marcados apenas nos acréscimos da segunda etapa da partida. 

Após grande domínio do Atlético de Madrid em todo o jogo, a equipe não conseguiu estrear na temporada com vitória. Mesmo terminando com quase 30 finalizações, os colchoneros marcaram apenas nos acréscimos da partida. E mesmo com só duas finalizações ao longo dos 90 minutos, o Alavés conseguiu empatar a peleja em sua volta à primeira divisão, 10 anos depois de sua última participação.

O gol rojiblanco foi marcado de pênalti, por Gameiro. Torres foi puxado fora da área, mas o juiz marcou pênalti, que foi muito bem cobrado pelo atacante francês. Já o gol dos visitantes foi marcado pelo capitão Manu García, de fora da área, quando todos já esperavam a vitória colchonera.

Na próxima rodada, o Atlético de Madrid visita o Leganés, no sábado (27). Já o Alavés, recebe o Sporting Gijón no domingo (27). 

Atlético domina a posse bola, porém sem efetividade

O jogo começou muito estudado pelas equipes, que pouco davam espaço ao adversário. Os 20 minutos iniciais foram de posse de bola colchonera, porém sem qualquer chegada mais efetiva. Os quase 70% do tempo com a bola não resultaram em nada.

Somente aos 18 minutos que a primeira chance de gol foi criada. Godín dentro da área, subiu mais que todo mundo no escanteio e cabeceou para fora. Tiago, no minuto seguinte, também tentou da mesma maneiro, igualmente sem êxito.

E na sequência de bolas paradas, Gabi também teve sua chance. No rebote, o capitão colchonero finalizou de fora da área, em que a bola passou bem próxima a trave.

Mas as duas melhores chances foram na parte final da primeira etapa. A primeira com Gameiro. Koke recebeu na ponta direita e cruzou rasteiro para a área, onde o avante francês estava posicionado. Gameiro, em velocidade, finalizou por cima do gol de Fernando Pacheco. Depois foi a vez de Carrasco se aproximar do gol. De fora área, finalizou na trave.

Final maluco e mais uma vez o empate

Na segunda etapa, o volume de jogo do Atleti cresceu bastante, principalmente devido a entrada de Fernando Torres no ataque da equipe. Com Gameiro e Torres na área, muitas bolas começaram a ser levantadas para os atacantes, se tornando o principal meio de chegar próximo ao gol adversário.

Filipe Luis quase marcou logo na volta do intervalo. De pé direito mesmo, ele que é canhoto, bateu muito próximo a trave. Mas foi a única chance dos primeiros 15 minutos. Quando Nico Gaitán adentrou o campo, o controle do jogo e a presença no ataque foram mais significativos e notáveis.

A partir desse momento, as chances começaram a aparecer de forma mais contundente. Godín quase marcou de cabeça, novamente, depois de cruzamento de Juanfran. Torres, de cabeça também, quase deixou sua marca após cruzamento de Nico Gaitán.

E foram Torres e Godín que criaram também a próxima oportunidade de gol. O camisa 9 avançou pela esquerda e cruzou rasteiro. Godín, posicionado como centroavante, finalizou para fora. No lance seguinte, o camisa 9 voltou a chegar próximo ao gol. Novamente pela esquerda, ele bateu cruzado a acertou em cheio a trave de Fernando Pacheco.

E conforme o final do jogo foi se aproximando, mais maluco foi ficando. Primeiro, com Gameiro perdendo uma chance incrível. Godín desviou na primeira trave e o francês chegou finalizando de peito. Pacheco defendeu e no rebote, Gameiro se enrolou com a bola e desperdiçou a chance.

E quando todos achavam eu o 0 a 0 seria o resultado final, o inesperado. Torres foi puxado próximo a área e o árbitro marcou pênalti. Gameiro chamou a responsabilidade, colocou a bola embaixo do braço e abriu o placar.

E quando todos achavam que o Atlético iria garantir a vitória, mais uma vez o inesperado. O capitão do Alavés, Manu García, aos 49 da segunda etapa, acertou um belo chute de fora da área e empatou a partida.