Neymar, Santos e Barcelona mais uma vez são alvos da Promotoria Espanhola

Apesar do clube espanhol ter feito acordo, mais uma vez foi  reaberto o processo sobre a polêmica transferência de Neymar para a europa

Neymar, Santos e Barcelona mais uma vez são alvos da Promotoria Espanhola
Foto: Curto De La Torre/AFP

A Promotoria Espanhola pediu nessa sexta-feira (7), à justiça que processe Neymar, o seu pai, o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell, o clube catalão e o Santos por delitos de corrupção na negociação envolvendo a transferência do atacante brasileiro para o clube espanhol.

Tudo gira por suposta fraude no preço do jogador, onde o  grupo DIS, gerente de 40% dos direitos do atleta, reclama de ser lesado. O Barcelona anunciou que a transferência do atacante brasileiro, realizada em maio de 2013, custou 57,1 milhões de euros, mas, depois de uma investigação da justiça espanhola, ficou esclarecido que a operação custou, pelo menos,  83,3 milhõs de euros.

O fundo de investimento brasileiro argumenta que lhe cabe uma parte da diferença entre o valor inicialmente declarado e o valor real que o Barcelona assumiu posteriormente, acusando os envolvidos no caso de fraude e corrupção.

Além do atacante do Barcelona, o DIS acusou mais nove pessoas de estarem envolvidas no processo, entre as quais o pai e a mãe do atleta, o atual presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e o seu antecessor, Sandro Rosell.

Em julho, o juiz da Audiência Nacional de Madrid, titular do processo, considerou que a situação de Neymar denunciada pelo fundo de investimento DIS poderia ter repercussão "desportiva, ética e disciplinar", mas sem enquadramento nos crimes de corrupção e fraude.

Porém, a Promotoria Espanhola decidiu recorrer com base no conhecimento que o jogador e o pai teriam das irregularidades, recurso que foi entretanto deferido. No final do mês passado, a justiça espanhola reabriu o processo contra Neymar, indiciado nos crimes de corrupção e fraude.

O jogador chegou ao Barcelona em 2013, após fazer uma grande Copa das Confederações pela seleção brasileira. Ao lado de Messi e Suárez, o atacante formou o trio MSN, conquistou dois campeonatos espanhois e uma Liga dos Campeões da Europa, no mesmo ano que chegou a ser finalista no prêmio de Melhor do Mundo da FIFA.