Jogaço! Messi marca de pênalti no último lance e Barcelona bate Valencia fora de casa

Vitória por 3 a 2 deixa blaugranas sem o lesionado Iniesta, mas na liderança momentânea do Espanhol; Ches não conseguem engatar sequência de triunfos apesar do bom desempenho

Jogaço! Messi marca de pênalti no último lance e Barcelona bate Valencia fora de casa
Messi comemora o eletrizante gol da vitória (Foto: Associated Press)
Valencia
2 3
Barcelona
Valencia: Diego Alves; Montoya (Munir), Garay, Mangala e Gaya (Abdennour); Enzo Pérez, Mario Suárez, João Cancelo, Parejo e Nani; Rodrigo (Santi Mina). Técnico: Cesare Prandelli
Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Mascherano, Umtiti e Digne; Busquets, André Gomes (Denis Suárez) e Iniesta (Rakitic); Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique
Placar: 0-1, min. 22, Messi. 1-1, min. 52, Munir. 2-1, min. 56, Rodrigo. 2-2, min. 62, Suárez. 2-3, min. 94, Messi
ÁRBITRO: Undiano Mallenco. Cartões amarelos: Diego Alves, Garay, Abdennour, Enzo Pérez e Mario Suárez (VAL); Digne, Busquets, Neymar e Messi (BAR)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 9ª rodada do Campeonato Espanhol 2016/17, no estádio Mestalla, em Valencia (ESP)

Quando a temporada 2016/17 chegar ao fim, certamente o duelo entre Valencia e Barcelona, disputado neste sábado (22), pela 9ª rodada do Campeonato Espanhol, será lembrado como um dos melhores. Talvez o melhor. Em uma partida recheada de tensão, entradas ríspidas, grandes defesas e tramas ofensivas de muita qualidade, o time do trio MSN venceu por 3 a 2.

Na etapa inicial, Lionel Messi abriu o placar em gol irregular, logo depois de Andrés Iniesta sair com grave lesão. Após o intervalo, Munir, ex-Barça, empatou. Em seguida, Rodrigo virou para os donos da casa, mas Luis Suárez apareceu para reigualar. Quando o empate parecia confirmado, o ataque mais poderoso do planeta apareceu, fez jogada espetacular e Suárez sofreu pênalti claro. Na cobrança, Messi venceu o paredão chamado Diego Alves e deu a vitória aos catalães.

Com o resultado, a equipe de Luis Enrique ocupa momentaneamente a ponta da Liga, com 19 pontos. No entanto, Real Madrid, Atlético e Sevilla podem ultrapassar o clube azul-grená, visto que entram em campo neste domingo. Por outro lado, o Valencia estaciona na 15ª posição, com nove pontos conquistados. Na próxima rodada, os atuais campeões nacionais recebem o Granada no sábado (29), enquanto os ches visitam o Deportivo na segunda-feira (31).

Foto: Getty Images

Primeiro tempo é marcado por lesão de Iniesta, gol irregular de Messi e erros da arbitragem

As escalações não tiveram surpresas. Sem compromisso por torneios europeus na semana anterior, Cesare Prandelli repetiu a ideia de time no segundo embate à frente dos valencianos, com João Cancelo e Nani pelas pontas. O Barcelona, que goleou o Manchester City na última quarta, não contou com os lesionados Piqué e Jordi Alba. Desta forma, Umtiti e Mascherano formaram a dupla de zaga. No meio, André Gomes começou como titular, deixando Rakitic como opção no banco.

Com a bola rolando, não faltou intensidade. Nos primeiros lances, nada de perigo. Mas muita intensidade e entradas duras, principalmente pelo lado mandante. Tanto que o primeiro lance importante só veio aos 13 minutos. Na faixa central do gramado, Enzo Pérez tentou desarmar Iniesta e, apesar de ter tocado na bola, acabou obrigando o camisa 8 a sair do jogo com muitas dores. Logo de cara, portanto, Rakitic entrou em campo.

Foto: EFE

Se os lances ríspidos não paravam, as chances de abertura do placar continuavam sumidas. Até que o gênio teve espaço e não perdoou. Aos 22 minutos, Rakitic ficou com sobra e acionou Lionel Messi. Na meia-lua, o camisa 10 finalizou firme, rasteiro. Impedido, Luis Suárez pulou para não desviar o chute e a redonda morreu no fundo das redes: 1 a 0. Instantaneamente, Diego Alves e os defensores do Valencia partiram para reclamar, mas o tento acabou confirmado.

Os comandados de Prandelli não sentiram o golpe. Aos 25, João Cancelo avançou pela direita, deixou Digne para trás e cruzou. A bola passou por todo mundo e se perdeu pela linha lateral. Em seguida, André Gomes achou Suárez, que acionou Messi na área. O argentino concluiu forte e parou em bela defesa de Diego Alves. Com 32 minutos no relógio, a primeira grande polêmica: Rodrigo foi empurrado por Umtiti e o Mestalla foi abaixo pedindo pênalti. Mesmo com a pressão, o árbitro Undiano Mallenco nada marcou.

Aos 35 e 38, o paredão brasileiro interveio novamente. Primeiro, Messi lançou Suárez na área e o uruguaio só não ampliou porque o camisa 1 esticou a mão e evitou. Depois, El Pistolero recebeu passe magistral de Neymar e tocou de leve, mas novamente lá estava Diego Alves. Antes da ida aos vestiários, o lateral-esquerdo Gaya sentiu lesão muscular e saiu para entrada de Abdennour. Aos 43, Parejo saiu na cara do gol e Ter Stegen saiu para abafar. No último momento da etapa inicial, Neymar emendou bicicleta bonita, só que para fora.

Valencia vira, mas Barça arranca triunfo com a genialidade do trio MSN

Os primeiros 45 minutos já seriam suficientes para tornarem este Valencia x Barcelona um jogo memorável. Porém, ainda restavam outra metade. E ela não deixou a desejar. Muito pela troca realizada por Cesare Prandelli: saiu Montoya e entrou Munir, pela primeira vez enfrentando o time que o revelou. Com isso, Cancelo recuou para a lateral-direita e o garoto entrou na ponta.

Logo aos cinco minutos, Neymar conduziu pela intermediária e bateu forte. Após boa intervenção de Diego Alves, Rakitic arrematou de bate-pronto, na trave. E o erro por detalhe do croata cobrou caro. Aos sete, em contragolpe puxado por Parejo pela direita, Munir surgiu sozinho na entrada da área e mandou firme, sem chance alguma para o ex-companheiro Ter Stegen: 1 a 1. Os ches ainda comemoravam quando Nani descolou lançamento lindo para Rodrigo, que aproveitou vacilo de Umtiti para finalizar de primeira e virar: 2 a 1.

Aí, o panorama do duelo se desenhava absolutamente favorável ao time da casa. Só que havia um tal de Luis Suárez para atrapalhar. Aos 17, Rakitic cabeceou forte depois de cobrança de escanteio. Diego Alves executou um milagre, mas não contava com o camisa 9, que pegou o rebote e acertou uma pancada de perna esquerda no canto: 2 a 2.

Foto: Getty Images

O novo empate acalmou um pouco os ânimos. Tanto que, aos 26 minutos, os dois treinadores modificaram suas equipes. Prandelli trocou Rodrigo pelo veloz Santi Mina, enquanto Luis Enrique mandou Denis Suárez na vaga do apagado André Gomes. No entanto, a deixa para que a tensão voltasse a subir foi um cartão amarelo dado para Messi, por reclamação. O craque também teve chute bloqueado de maneira perfeita pelo compatriota Enzo Pérez, aos 30.

A partir daí, a reta final foi de tirar o fôlego. Com 31 no cronômetro, Luis Suárez cobrou falta com muita força, por cima da meta. Aos 36, a melhor chance do Valencia: Nani saiu frente a frente com Stegen e chutou para fora. Na sequência, o uruguaio do Barça apareceu outra vez, cabeceando alto demais. O jogo virou um festival de erros e contra-ataques perdidos pelos ches, até que o último lance de jogo reservou um desfecho extraordinário.

Quando tudo parecia definido, Lionel Messi arrancou e achou Neymar. O brasileiro devolveu, e o camisa 10 acionou Suárez na área. De cara com Diego Alves, o centroavante foi atropelado por Abdennour: pênalti claro. Na cobrança, após muita reclamação valenciana, Messi mandou forte, no canto direito, para vencer o maior pegador de penalidades do futebol mundial (que até acertou o lado): 3 a 2! Na comemoração, a torcida mandante atirou uma garrafa no gramado e atingiu Neymar. Depois do apito final, mais apupos contra Undiano Mallenco. O que fica, porém, é a grande tarde de futebol que Valencia e Barcelona proporcionaram no Mestalla.