Com gols de Messi e Suárez, Barça vira sobre Sevilla e segue na cola do Real Madrid

Comandados por Lionel, que chega aos 500 gols pelo clube, catalães se mantém a dois pontos da liderança; Rojiblancos saem do G4

Com gols de Messi e Suárez, Barça vira sobre Sevilla e segue na cola do Real Madrid
Foto: Miguel Ruiz/FC Barcelona
Sevilla
1 2
Barcelona
Sevilla: Sergio Rico; Mariano, Carriço, Rami e Escudero; N'Zonzi; Sarabia (Correa), Vázquez (Ganso), Nasri (Iborra) e Vitolo; Vietto. Técnico: Jorge Sampaoli
Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Mascherano, Umtiti e Digne; Busquets, Rakitic (André Gomes) e Denis Suárez (Rafinha); Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique
Placar: 1-0, min. 15, Vitolo. 1-1, min. 42, Messi. 1-2, min. 60, Suárez
ÁRBITRO: Santiago Jaime Latre. Cartões amarelos: Mariano, Rami, Carriço e N'Zonzi (SEV); Sergi Roberto, Mascherano, Digne, Messi, Suárez e Neymar (BAR)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 11ª rodada do Campeonato Espanhol 2016/17, no estádio Ramon Sánchez Pizjuán, em Sevilla (ESP)

Lionel Messi já anotou gols contra dezenas de times na carreira. Contra nenhum, porém, comemorou tantas vezes a bola na rede como diante do Sevilla (agora 27 vezes). E neste domingo (6), a marca foi melhorada. Ele comandou a vitória de virada do Barcelona sobre os comandados de Jorge Sampaoli por 2 a 1, no estádio Ramon Sánchez Pizjúan, pela 11ª rodada do Campeonato Espanhol 2016/17. No primeiro tempo, Vitolo abriu o placar a favor dos mandantes, antes do camisa 10 empatar e atingir 500 gols com a camisa azul-grená. Na etapa final, Luis Suárez decretou a virada, com assistência do argentino.

Com o resultado, o time blaugrana se mantém na vice-liderança da Liga, com 25 pontos, dois atrás do Real Madrid e três à frente do Villarreal. Por outro lado, o Sevilla caiu uma posição e agora ocupa o quinto posto, com 21. As duas equipes voltam a campo somente no dia 19, sábado, por conta da Data Fifa. Às 10h (de Brasília), os andaluzes visitam o Deportivo La Coruña no estádio Riazor. Mais tarde, a partir das 13h15, o Barça recebe o Málaga no Camp Nou.

Foto: Miguel Ruiz/FC Barcelona

Sevilla larga na frente e pressiona, mas Messi empata antes do intervalo

Antes da bola rolar, cada equipe contava com uma interrogação nas prévias. Lesionado na rodada passada, Samir Nasri, peça-chave da engrenagem de Jorge Sampaoli, se recuperou a tempo e começou jogando. Do outro lado, Luis Enrique mandou Denis Suárez na vaga do ainda machucado Iniesta. Quando o árbitro autorizou o pontapé inicial, o esperado aconteceu: muita intensidade.

Logo aos dois minutos, o trio MSN apareceu pela primeira vez. Messi puxou contragolpe, acionou Neymar e o brasileiro encontrou Suárez. De primeira, o camisa 9 finalizou colocado, rasteiro, exigindo boa defesa de Sergio Rico. A estratégica rojiblanca era clara, apesar de não surpreender: apertar a saída de bola rival para forçar erros na área perigosa do campo. Tranquilos, os defensores culés conseguiam se virar bem.

Aos 15 minutos, momento em que nenhum time demonstrava superioridade, o placar foi inaugurado. Pablo Sarabia mandou lançamento nas costas de Sergi Roberto, Vitolo saiu na cara de Ter Stegen e anotou o 1 a 0. O gol sofrido pareceu abater o Barcelona, que passou por minutos sendo sufocado pelo Sevilla. Chance de ampliar, no entanto, só aos 32, quando Vietto aproveitou vacilo de Mascherano e concluiu cruzado, para fora.

Vitolo comemora a abertura do placar (Foto: Site oficial do Sevilla)

Se neutralizavam qualquer tipo de ameaça azul-grená, os donos da casa perdiam oportundidades de ficarem confortáveis na partida. Aos 41, a marcação alta deu resultado e Vietto ajeitou para Vitolo, só que desta vez o autor do gol errou o alvo. Erro esse que cobrou caro. Em contragolpe com a defesa andaluza perdida, Neymar avançou, segurou e esperou a chegada de Messi. Após receber passe açucarado do companheiro, Lionel, como de costume, não perdoou: bola no cantinho, 1 a 1 no marcador e nova importante marcada atingida, logo diante da principal vítima do craque.

Comandado pelo camisa 10, Barça cresce, cria chances e vira

O tento de empate claramente alterou o andamento da partida na etapa final. E os dois times voltaram elétricos dos vestiários. Aos dois minutos, Nasri, até então apagado, recebeu de Vietto e arrematou nas mãos do bem posicionado Ter Stegen. No lance seguinte, Neymar foi ao fundo pela esquerda e tocou para trás. Livre, Rakitic bateu de primeira e Rico espalmou.

Aos seis, Messi mostrou que não estava para brincadeiras. Após assistência de Suárez, ele finalizou cruzado, mas Rami chegou de carrinho para rebater. Em seguida, com oito minutos no relógio, o camisa 10 foi acionado na meia-lua e colocou no ângulo de Rico, que se esticou e espalmou. Aos 14, se livrou brilhantemente de três marcadores e chutou de perna direita por cima da meta.

Com 15 minutos, porém, não teve jeito. Lionel Messi arrancou, deixou Carriço para trás e descolou lindo passe para Luis Suárez. Sozinho, El Pistolero deslocou Rico e partiu para o abraço: 2 a 1. A resposta de Jorge Sampaoli ao gol da virada foi a entrada de Paulo Henrique Ganso na vaga de Franco Vázquez. Assim como o companheiro, no entanto, o brasileiro pouco influenciou nas ações ofensivas da equipe.

Foto: Site oficial do Sevilla

A partir daí, o jogo teve minutos marcados por intensa troca de golpes. Em um deles, aos 26 minutos, o trio MSN por pouco não liquidou de vez as chances rojiblancas. Da intermediária, Neymar encontrou espaço e deu bela bola para Suárez. Depois de limpar o goleiro, o uruguaio não viu Messi livre na pequena área e chutou na direção do gol, sem ângulo. A redonda quase saiu na linha lateral.

Acostumado a mexer no time na primeira metade dos segundos tempos, Luis Enrique realizou a primeira substituição no Barça aos 27 minutos. O escolhido para ingressar foi André Gomes, ocupando o lugar de Rakitic. No primeiro lance com o português em campo, o empate sevillano quase aconteceu. Em cobrança de escanteio, Ter Stegen catou borboleta e N'Zonzi cabeceou, levando muito perigo.

Na parte final, Messi tirou outro lindo passe da cartola na direção de Suárez. Cara a cara, o centroavante carimbou o peito de Rico. Quase no fim, por falta em Carriço, o artilheiro recebeu o quinto cartão amarelo na liga e não enfrenta o Málaga. Outras ''tarjetas'' também subiram, inclusive para Lionel Messi, por demorar a calçar a chuteira direita após sofrer pisão. O Sevilla buscava a igualdade pelas pontas, mas Mascherano e Umtiti estiveram perfeitos nas rebatidas. Neymar ainda perdeu grande chance nos acréscimos, mas nada que tirasse os três pontos do Barça na Andaluzia antes da parada.