Com gol de Griezmann, Atlético de Madrid vence Málaga em estreia de seu novo estádio

Após primeiro tempo morno, francês coroa abertura do Wanda Metropolitano com gol histórico 1 a 0; colchoneros e ampliam seca do Málaga

Com gol de Griezmann, Atlético de Madrid vence Málaga em estreia de seu novo estádio
Foto: Fotopress/Getty Images
Atlético de Madrid
1 0
Málaga
Atlético de Madrid: ATLÉTICO DE MADRID: OBLAK; JUANFRAN, GODÍN, LUCAS, FILIPE LUIS; SAÚL, THOMAS (CARRASCO, MIN. 46), GABI, KOKE; CORREA (TORRES, MIN. 66), GRIEZMANN
Málaga: MÁLAGA: ROBERTO; ROSALES, LUIS HERNANDEZ, DIEGO GLEZ., RICCA; ROLÓN (KEKO GONTÁN, MIN. 70), RECIO, MULA (ROLÁN, MIN. 85), CHORY (JUANPI, MIN. 64), ADRIÁN; BORJA
Placar: PLACAR: 1-0, GRIEZMANN, MIN. 61
ÁRBITRO: ÁRBITRO: SÁNCHEZ MARTÍNEZ | CARTÕES AMARELOS: CARRASCO (ATM, MIN. 64), JUANFRAN (ATM, MIN. 77), KEKO GONTÁN (MAL, MIN. 88)
INCIDENCIAS: INCIDENCIAS: PARTIDA DISPUTADA NO ESTÁDIO WANDA METROPOLITANO, VÁLIDA PELA QUARTA RODADA DO CAMPEONATO ESPANHOL 2017-2018

Na inauguração de seu novo estádio, o Wanda Metropolitano, o Atlético de Madrid venceu o Málaga, neste sábado (16), por 1 a 0, pela quarta rodada da La Liga. O gol da vitória saiu no segundo tempo, com o atacante francês Antoine Griezmann.

Foi a segunda vitória da equipe colchonera no campeonato, após empatar com o Girona e Valencia nas primeiras duas rodadas e bater o Las Palmas — acumulando quatro jogos seguidos como visitante, incluindo partida contra a Roma pela Champions League — e antes de estrear como anfitrião na temporada. 

O Málaga, por outro lado, chegou ao Metropolitano com seu pior retrospecto na história do campeonato espanhol: três derrotas em três jogos. Ampliando a corrente de má sorte que acompanhou o time durante a pré-temporada — quando perdeu sete de seus oito jogos disputados —, a equipe malaguenha não havia acumulado nenhum ponto de nove possíveis. 

Na próxima rodada, o Atlético vai enfrentar o Athletic Bilbao, no San Mamés, no dia 20 de setembro (quarta), enquanto o Málaga tem pela frente o Valencia no Estadio Mestalla na terça-feira (19). 

Primeiro tempo morno e sem chances de gol até os 35

O jogo começou pendendo levemente a favor dos donos da casa, que tentavam e algumas vezes conseguiam chegar à área rival e criar alguma situação de perigo. Não havia superioridade clara, entretanto, e os times se estudavam enquanto praticamente não cediam espaços. Nenhum dos dois se mostrava cômodo, e apesar de o Atlético ter a maioria da posse de bola, com 64% ao fim da primeira etapa, não traduzia isso em efetividade ofensiva. 

Durante todo o primeiro tempo, a partida foi apertada e teve um ritmo morno com lances e criações esporádicos, mas sem chances reais para nenhum dos lados. Próximo ao minuto 20, o Málaga buscava entrar mais no jogo, se mostrava um pouco mais cômodo, mas ainda sem levar perigo com a bola. Aos 28, Griezmann finalizou de letra um passe de Ángel Corrêa, e apesar de balançar as redes, a jogada foi desconsiderada pelo juíz, que havia dado saída de bola antes da assistência. 

A chance mais clara do primeiro tempo veio no minuto 36, do time visitante: com finalização e rebote, o Málaga parou duas vezes no goleiro colchonero Jan Oblak, que evitou que os donos da casa fossem para o intervalo em desvantagem. Aos 44, o Atlético ainda teve uma chance de abrir o placar com Corrêa, que criou a primeira e única finalização à gol dos anfitriões na primeira etapa. 

Mais ofensivo, Atlético quebra inércia e coroa festa no Metropolitano

Na volta para o segundo tempo, o Atlético substituiu Thomas Partey por Yannick Carrasco, em busca de mais ofensividade. O time de Diego Simeone acumulou mais volume de jogo nos primeiros minutos e teve duas chances claras quase que consecutivas no minuto 50, com Koke e Sául, ambas defendidas pelo goleiro malaguenho Roberto.

Propondo mais o jogo e buscando tomar as rédeas do confronto, foi questão de tempo até os colchoneros finalmente chegarem ao gol. Aos 61 minutos, Griezmann finalizou a boa jogada e cruzamento de Corrêa para fazer o Metropolitano vibrar com o primeiro gol de sua história, escrevendo seu nome para sempre na história colchonera

Com a vantagem, o Atlético administou o resultado, mas sem desistir de expandir o placar. Bastante mais ofensivo que na primeira parte, os anfitriões passavam mais segurança e se mostravam mais próximos de um 2 a 0 do que de sofrer o empate. O Málaga, por outro lado, se defendia bem, mas não trazia ameaça alguma à vantagem não tão confortável do time colchonero.

Entretanto, na marca dos 89 minutos, o uruguaio Diego Rolán quase estragou a festa do Atlético, com um chute difícil defendido por Oblak. Apesar de um esforço nos acréscimos para buscar um empate, o Málaga chegou tarde demais e emplacou sua quarta derrota consecutiva no espanhol para ampliar a seca.