Jogadores da seleção e personalidades espanholas falam de episódio envolvendo Piqué

Zagueiro foi hostilizado em treino da seleção espanhola na última segunda-feira (2), o que acabou gerando grande repercussão no país; Rafael Nadal foi um dos que falou sobre o caso

Jogadores da seleção e personalidades espanholas falam de episódio envolvendo Piqué
Foto: Noelia Déniz / VAVEL.com

O momento tenso na política espanhola atingiu a seleção de futebol do país. Gerard Piqué, zagueiro do Barcelona e porta-voz do discurso separatista catalão, foi completamente hostilizado por um grupo de pessoas no treino desta segunda-feira (2) da seleção espanhola, que se prepara para dois importantes jogos contra Albânia e Israel pelas Eliminatórias para Copa do Mundo 2018.

Isso acabou gerando uma grande repercussão não só entre seus companheiros de seleção, como também entre personalidades espanholas, como, por exemplo, o tenista Rafael Nadal, que criticou bastante a forma como os radicais agiram com um dos grandes símbolos da seleção.

"Seja de uma forma ou outra, as performances de forma radical são ruins. A radicalização em geral, você é jogador de futebol ou tenista, qualquer fanatismo, é algo ruim. Você alcança extremos que não trazem nada positivo e hostilizar Piqué também é uma forma de expressão de pessoas muito radicais", disse.

Outra personalidade que falou sobre o caso foi o presidente Federação Espanhola de Futebol (RFEF) Juan Luis Larrea, que desmentiu qualquer notícia sobre um possível abandonamento de Piqué da concentração dos comandados de Julen Lopetegui, além de garantir que o elenco está bem.

Foto: Zhe Ji / Getty Images
Foto: Zhe Ji / Getty Images

"Ele não sairá se não tem nenhuma lesão. A atmosfera não é fina. Estamos muito satisfeitos. Os fãs devem ser convidados a apoiar a seleção. Ouvi sobre ontem e não entendi, mas nada acontece, as opiniões são de todos""O grupo e o humor estão ótimos. Não há nada. Nada de problema. O grupo está funcionando perfeitamente e o que estamos tentando alcançar é a normalidade", afirmou de forma convicta.

Além deles, alguns jogadores falaram sobre o assunto. Um deles foi o jovem lateral-direito Álvaro Odriozola, da Real Sociedad, convocado de última hora para o lugar de Dani Carvajal, que está passando por problemas cardíacos. O jogador basco disse que a situação é complicada e garantiu que Piqué está muito comprometido com a seleção.

"Sim, é uma situação desconfortável que está sendo vivida. As pessoas se expressaram, mas os insultos estão sempre fora de lugar. Eu condeno todos os tipos de insultos. Piqué está muito empenhado na seleção, ele é muito bom com seus colegas de equipe".

O brasileiro naturalizado espanhol Thiago Alcântara, que foi companheiro de Piqué nos tempos de Barcelona, também falou sobre o caso envolvendo o jogador: "Nós o vemos como sempre. Os tempos que eu o vi sempre teve a mesma atitude, compromisso e alegria como sempre. Nos dá pena porque viemos jogar futebol, não venho falar sobre a vida de ninguém, nem de Koke... me dá pena por não conseguir estar confortável e não posso falar sobre a Albânia", afirmou de maneira depecionada o meia do Bayern de Munique.

Para finalizar, o volante Sergio Busquets, companheiro de Piqué no Barcelona, disse que é o momento mais difícil para ele na seleção e mostrou apoio ao zagueiro: "É o meu momento mais difícil na seleção para tudo o que está acontecendo. Eu acho difícil resolver o "caso Piqué", acrescentando que "não houve uma cúpula excepcional no caso Piqué. Não sei se Ramos e Piqué falaram, mas a atmosfera é excepcional. Para Piqué hoje eu vi normal, como um dia mais", finalizou.

Diante de tudo isso, a Espanha pode garantir vaga para a Copa da Rússia na próxima sexta-feira (6), quando recebe a Albânia, às 15h45.

Foto: Shaun Botterill / Fifa via Getty Images
Foto: Shaun Botterill / Fifa via Getty Images

Espanha