Organizadores da Eurocopa lamentam greves na França: "Prejudica organização"

Greves contra a reforma trabalhistas feita pelo Presidente do país continuam à todo vapor a dois dias da estreia na Euro, preocupando organizadores

Organizadores da Eurocopa lamentam greves na França: "Prejudica organização"
Foto: Laurent Gillieron

Hà dois dias do início da Eurocopa, a França ainda vive momentos de preocupação com a organização do torneio continental, muito por causa das greves que acontecem no país. Falando sobre o assunto, o Presidente do Comitê de Organização da competição, Jacques Lambert, revelou nesta quarta-feira (8) numa coletiva de imprensa cedida em Paris que as coisas não andam acontecendo conforme eles planejavam, podendo ainda piorar com a possível greve dos pilotos da Air France que pode acontecer no próximo sábado (11).

Todas essas greves, unidas às tempestades que andam assolando a Europa num todo, podem interferir diretamente na organização das partidas, como por exemplo na chegada dos times e torcedores aos estádios. No caso do que as chuvas podem causar, Jacques não descarta a possibilidade de trocar horários, dias e até de estádios em caso de gramados que impossibilitam o futebol. 

"Infelizmente é uma situação que não 'temos culpa' por estar acontecendo", disse o presidente. "Temos que nos adaptar e até que andamos fazendo isso nos últimos dias, com parte dos organizadores passando o tempo mudando bilhetes, fazendo e refazendo reservas. Como disse, infelizmente é uma situação que não nos agrada e lamentamos que esteja acontecendo", acrescentou o francês que esteve na organização da Copa de 98. 

Dois milhões de turistas são esperados para a Eurocopa na França e muitos deles chegarão ao país de trem ou avião. A greve da Sociedade Nacional das Estradas de Ferro da França (SNEF) foi remarcada para esta quinta-feira (9), dia antecendente ao jogo de estreia entre França e Romênia. Já o Sindicato de sindicato dos pilotos da Air France, principal companhia aérea do país, ameaça iniciar uma paralisação no próximo sábado. Jacques Lambert, no entanto, enfrentou situação parecida na Copa de 98 e se diz "muito atento" ao que vai acontencer com a empresa aérea.