Cinco motivos para garantir que Ben Arfa no PSG é uma ótima notícia

Cobiçado por grandes clubes, atacante francês é o novo jogador dos campeões da França; Arfa é o sexto jogador da Ligue 1 a atuar nos três principais clubes do país (atuou Lyon e Olympique de Marseilha) desde 1990

Cinco motivos para garantir que Ben Arfa no PSG é uma ótima notícia
Foto: Divulgação/OGC Nice

O Paris Saint-Germain confirmou a contratação de Hatem Ben Arfa, como novo reforço por duas temporadas e recebeu a camisa 21. Especula-se que receberá uma quantia de €5 milhões por ano.

Para conquistar o jogador não foi tão fácil, os parisienses enfrentaram a concorrência do grande rival Lyon, os campeões ingleses Leicester, e os espanhóis Atlético de Madrid, Barcelona e principalmente Sevilla.

Desde que debutou com o Nice, Ben Arfa seduziu o clube da capital. Mas no início o viu descartado dos planos, e quando este estava arrumando as malas para a Espanha, recebeu uma ligação de Unai Emery, afirmando que queria contar com o francês para o projeto de triunfar na Champions League. Com isso separamos 5 motivos que fazem que o atacante de 29 anos ser a melhor escolha.

Quando criança, o clube do coração era o Paris SG

Desde que surgiu no futebol pelo Olympique Lyonnais, Ben Arfa falava que o clube que torcia na infância era o PSG. Até quando foi para o principal rival, Olympique de Marseille, nunca escondeu seu encanto pelo time da sua cidade natal.

Afinal, ele é um parisiense, que morava há poucos minutos do estádio Parc des Prince. Apesar de nunca ter tido a chance de atuar no time do coração, realizou seu sonho aos 29 anos. Só isso, já apaga sua passagem pelo Marseille. E já entrega-o status de ídolo precoce.

Ele é francês

Todos os anos o Paris sofre grandes críticas de preferir estrangeiros no mercado que franceses. De alguns anos pra cá, o clube contratou além de Matuidi: Cabaye, Lucas Digne, Stamboulli Kurzawa, e nenhum se consolidou no clube, o que continuou fazendo os patriotas não sentirem identificação nenhuma.

Contratar um francês, especialmente nascido na região de Paris, só faria ter mais adeptos e cada vez mais ganhar o título de time francês (muitos brincam chamando-o de Catar Saint-Germain) por se tratar de um jogador com cinco títulos de Ligue 1, três Supercopas, uma Copa da Liga e uma Copa da França. O currículo do jogador é incrível, sendo muito admirado no país da torre Eiffel.

O PSG estreitaria os laços com a Arábia

Apesar da nova contratação não ser árabe, seus antepassados são Tunisianos, e isso aproximaria grandemente a marca do Paris com os países com golfo que são liderados pela família real do Catar que financia.

Um dos grandes sonhos deles é propagar a marca da instituição na sua área territorial e Arfa tem teria o marketing ideal na visão deles, pois é de família muçulmana e tem a etnia árabe. O que já impressiona é o fato dele ter vários fãs em outros continentes, e muitos passariam a adotar o PSG como clube do coração.

Custo benefício

Ninguém imaginava que há um ano atrás o camisa 10 da capital seria ele. Afinal seus problemas pelo Newcastle culminaram com sua carreira, pelo menos era o que parecia, foram seis assistências e 17 gols atuando pelo OGC Nice. Era o jogador que mais apresentava quantidade de dribles.

Apresentou sua melhor temporada da carreira, o Nice bem que tentou mantê-lo para ficar sob comando do novo técnico suíço Lucien Favre, mas não deu certo. Seus voos eram mais altos que até ele próprio imaginava.

Com toda a moral que veio, e ainda mais de graça, ninguém discorda de sua contratação. Muito pelo contrário, como disse anteriormente, já é visto como ídolo para muitos.

Tem a chance de provar que pode jogar em alto nível em um clube com exigências maiores

Em seu currículo tem o Olympique Lyonnais, Olympique de Marselha, Newcastle, Hull City Nice e agora Paris Saint-Germain. Apesar dos dois primeiros serem os dois maiores times do país, os outros não são tão vitoriosos. Atualmente, as exigências do PSG superam as de Lyon e Marselha, a Champions é a grande obsessão, ganhar o título de campeão francês é quase digerido como ‘normal’.

E essa insaciável exigência em ganhar a orelhuda e se igualar ao OM como os únicos times franceses a conquistar o título europeu é tão grande que demitiram Laurent Blanc, que ganhou tudo na França. Ele terá de ser decisivo nos momentos de mata-mata para suprir o que é necessário. Ibrahimovic, que é considerado por muitos o maior ídolo, não conseguiu. Ele tem o dever e o peso de ser visto como a esperança que conduzirá á ganhar a europa.

É claro que as credenciais são muitas para ele ser bem visto: vai jogar na sua cidade, no seu clube de coração, com aval do técnico, torcida, presidente. Muitos sonham com um quarteto: Ben Arfa, Pastore, Di Maria e Cavani para encantar o público do Parque dos Princípes. Que a contratação dê tão certo dentro de campo, como já é fora dele.