Olivier Echouafni é o novo treinador da seleção de futebol feminino da França

Após 3 anos no cargo e nenhum resultado expressivo, Philippe Bergeroo deixa o cargo.

Olivier Echouafni é o novo treinador da seleção de futebol feminino da França
Echouafni foi meio-campista, com passagens por times como Marseille e Nice. Seu último trabalho como treinador foi pelo Sochaux. (FOTO: fff.fr)

Após resultados insatisfatórios na última edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino, em 2015 no Canadá, onde foram eliminadas pela Alemanha e no Torneio de Futebol Feminino dos Jogos Olímpicos do Rio, na qual a seleção francesa foi eliminada pelo Canadá, a Federação Francesa de Futebol (FFF) anunciou a demissão do treinador Philippe Bergeroo, que estava no cargo desde 2013. Para o seu lugar, Olivier Echouafni assumirá o cargo.

Bergeroo: Evolução, mas sem grandes mudanças

Claire Lavogez errou a cobrança da penalidade diante da Alemanha na Copa do Mundo em 2015. (Foto: rtl.fr)
Claire Lavogez errou a cobrança da penalidade decisiva diante da Alemanha, na Copa do Mundo em 2015. (Foto: rtl.fr)

Após a eliminação para a Dinamarca nas quartas de final da Eurocopa Feminina em 2013, na Suécia, Bruno Bini deixou o cargo de treinador da equipe francesa após seis anos. Nesse período, Bini levou a seleção a duas quartas colocações, na Copa do Mundo da Alemanha em 2011 e na Olimpíada de 2012 em Londres.

Philippe Bergeroo, ex-goleiro da seleção francesa na Eurocopa de 1984 e na Copa do Mundo de 1986, com passagens por clubes como Bordeaux e Toulouse, além de ter trabalhado como treinador do Paris Saint Germain e Rennes, assumiu a seleção com a principal missão de levar a equipe a vôos mais altos no cenário do futebol feminino internacional. Com uma geração repleta de jogadoras com muita qualidade, campanha quase perfeita nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2015 e vitórias expressivas diante de rivais tradicionais como Alemanha e EUA, mostraram que o trabalho vinha sendo feito com compromisso e que os resultados seriam colhidos em breve. 

Porém, o fator emocional foi fator chave para os insucessos franceses nas últimas duas grandes competições que disputou. Na Copa do Mundo em 2015, derrota nos pênaltis diante da Alemanha, mesmo tendo sido superior durante os 120 minutos. Nas Olimpíadas, derrota para o Canadá nas quartas de final do torneio. Mesmo com a evolução de diversas jogadoras e conseguindo firmar a França entre as quatro melhores seleções no ranking da FIFA, Philippe Bergeroo deixou o cargo sem ter nem mesmo conquistado um pódio nas competições disputadas. 

Echouafni: Orgulhoso com novo desafio e visando a Euro 2017

Sochaux foi o último trabalho do treinador, na Ligue 2 na temporada 2014/15. (Foto: fcsochaux.fr)
Sochaux foi o último trabalho do treinador, na Ligue 2 na temporada 2014/15. (Foto: fcsochaux.fr)

Descendente de marroquinos, Olivier Echouafni foi um jogador de meio-campo que fez sua carreira no futebol francês. Com passagens por Monaco, Marseille, Rennes e Nice, se aposentou do futebol em 2010 aos 38 anos e três anos depois teve seu primeiro trabalho como treinador na equipe do Amiens SC, que atualmente disputa a Ligue 2. Na temporada 2014/15, Echouafni assumiu a equipe do Sochaux após a saída de Herve Renard em maio de 2014 e deixou a equipe após maus resultados em setembro de 2015. 

Mesmo sendo seu primeiro desafio treinando uma equipe feminina, Echouafni falou estar orgulhoso da confiança depositada nele nesse desafio e que o foco da equipe será a Eurocopa ano que vem, disputada na Holanda, na qual a França já garantiu qualificação. O primeiro desafio do novo treinador no comando da seleção francesa, será em amistoso contra a seleção do Brasil no dia 16 de outubro e dia 20 diante da Albânia em jogo válido pelas Eliminatórias e o anúncio de sua primeira lista oficial será no domingo, após os jogos da rodada da D1 Fèmenine.