Saint-Étienne aproveita vantagem numérica, vence e empurra Lille para a lanterna da Ligue 1

Em partida válida pela sétima rodada do Francês, Sainté teve dificuldades no primeiro tempo, mas fez o resultado na etapa final; Lille perde a quarta seguida

Saint-Étienne aproveita vantagem numérica, vence e empurra Lille para a lanterna da Ligue 1
Foto: Jeff Pachoud/AFP/Getty Images
Saint-Étienne
3 1
Lille
Saint-Étienne: Ruffier; Pierre-Gabriel (Nordin, min. 32), Dabo (Clement, min. 68), Selnaes, Lacroix, Monnet-Paquet; Pajot, Veretout, Tannane, Roux; Beric (Hamouma, min. 76).
Lille: Enyeama; Corchia, Civelli, Basa, Béria; Sankharé, Bautheac (De Préville, min. 73), Mavuba, Lopes (Palmieri, intervalo), Mendes (Amalfitano, min. 73); Éder.
Placar: 1 a 0, Beric (min. 63); 2 a 0, Nordin (min. 72); 2 a 1, civelli (min. 80) e 3 a 1 (Roux, min. 90+3).
ÁRBITRO: Benoit Millot (FRA). Cartões Amarelos: Béria (min. 38 e min. 42), Dabo (min. 40), Lacroix (min. 78), Civelli (min. 84) e Roux (min. 85). Cartão Vermelho: Béria (min. 43).
INCIDENCIAS: Partida válida pela sétima rodada da Ligue 1, temporada 2016/17. Realizada no Stade Geoffroy-Guichard, em Saint-Ètienne.

Jogando diante do seu tocedor, o Saint-Étienne fez o dever de casa e bateu o Lille por 3 a 1, em partida válida pela sétima rodada da Ligue 1, realizada neste domingo (25), no Stade Geoffroy-Guichard. Os gols da partida foram marcados por Robert Beric, Arnaud Nordin e Nolan Roux para os verts. Renato Civelli descontou para os Dogues.

Com o resultado, o Lille termina a rodada na lanterna do Campeonato Francês. A equipe possui quatro pontos, perdeu a quarta partida seguida e ainda sofreu com a “Lei do Ex” no final do jogo com o tento de Roux. O LOSC terá a chance de recuperação contra o penúltimo colocado Nancy, no sábado (1º).

Mesmo com vários desfalques, o ASSE a vitória e subiu para a sétima colocação da Ligue 1 com 12 pontos. O próximo compromisso será contra Anderlecht, na quinta-feira (29), pela Uefa Europa League. No domingo (2), o adversário será o rival Lyon no maior clássico da França.

Lille cria boas oportunidades, mas termina etapa com um a menos

Necessitando da vitória, o Lille criou a primeira boa chance aos dois minutos: Éder dominou pelo meio e tocou em profundidade para Ryan Mendes, que apareceu por trás da defesa, o atacante chutou cruzado à esquerda da meta. Pouco depois, Béria acionou Rony Lopes, o brasileiro naturalizado português bateu colocado e acertou o travessão, assustando Ruffier.

Com o decorrer da partida, o Saint-Étienne passou a ter mais controle da bola, mantendo a posse. Porém, o Lille seguiu assustando em contra-ataques. Bauthéac cruzou e Éder cabeceou para baixo, Ruffier saltou e espalmou para escanteio. Apenas aos 27 minutos, o time da casa criou uma boa oportunidade: Tannane passou para Beric, que fez o corta-luz, Vincent Pajot dominou e chutou, mas foi travado pelo lateral Béria. Pierre-Gabriel, do Sainté, sofreu uma lesão na coxa e deixou o gramado.

Em cobrança de falta, Corchia bateu com categoria e a bola quicou na frente do goleiro, que bateu roupa. Éder correu para o rebote, mas Monnet-Paquet segurou o atacante. O árbitro não marcou pênalti. O Lille estava bem na partida, mas Béria conseguiu ser expulso com dois cartões em cinco minutos. No primeiro lance ele fez falta em Beric. Depois, meteu a mão na bola em um lançamento pela faixa lateral. No último lance, Beric se chocou com Enyeama. O goleiro levou a melhor.

Foto: Divulgação/Lille

Sainté aproveita superioridade numérica, mas quase se complica no final

Na volta para o segundo tempo, o técnico Frederic Antonetti sacou o meio-campista Rony Lopes e colocou o lateral esquerdo Palmieri, para recompor sua defesa. O Saint-Étienne demonstrava pressa, o time parecia impaciente em certos momentos tentando resolver as jogadas rapidamente. Enquanto isso, a chuva aumentava no Stade Geoffroy-Guichard. Mesmo com um a menos, o LOSC tentava aproveitar os erros do ASSE.

Mas no momento mais difícil e complicado do jogo, o maior campeão da primeira divisão francesa abriu o placar. Dabo achou Beric na área, o camisa 27 ganhou no corpo de Civelli, girou e tocou por cobertura, com muita categoria, sem chances para Enyeama. A bola foi no ângulo, golaço do Saint-Étienne. O esloveno quase marcou o segundo, ele aproveitou cruzamento e cabeceou pela linha de fundo.

O gol mudou a cara da partida. O Saint-Étienne aproveitou a fragilidade do Lille e anotou mais um. Monnet-Paquet começou a jogada pela direita e tocou para o meio, Pajot fez o corta-luz e Beric – impedido – devolveu para Monnet-Paquet. O camisa 22 apenas rolou para Nordin, o jovem bateu colocado e mandou no ângulo oposto de Enyeama.

Os visitantes apimentaram o jogo diminuindo o placar faltando dez minutos para o fim. Após cobrança de escanteio, Éder cabeceou para o meio, Civelli dominou na coxa e conseguiu chutar prensado. A bola desviou em Lacroix e foi no canto da trave. Faltando cinco minutos, Civelli deixou o braço no rosto de Roux, ex-Lille, o atacante ficou com o rosto cortado e a camisa sangrando, além disso tomou amarelo por reclamação.

A partida seguiu animada na reta final. O Lille assustou com Amalfitano, que chutou de bico à esquerda da meta. Em contra-ataque, tão usado pelos visitantes, os verts mataram o jogo. Três contra um, Roux tabelou com Hamouma e recebeu na frente, apenas deslocando o goleiro e fazendo 3 a 1 e liquidando a fatura com a “Lei do Ex”.