Buscando primeira vitória, França recebe Bulgária pelo Grupo A das Eliminatórias

Após empate na estreia contra Belarus, a atual vice-campeã europeia tentará o primeiro triunfo nas Eliminatórias para a Copa do Mundo; Sem Benzema e vários outros desfalques, Deschamps terá vários jovens à disposição.

Buscando primeira vitória, França recebe Bulgária pelo Grupo A das Eliminatórias
Fotomontagem: VAVEL
França
Bulgária
França: Lloris; Sagna, Varane, Koscielny, Kurzawa; Sissoko, Pogba, Matuidi, Payet; Griezmann, Gameiro.
Bulgária: Stoyanov; S.Popov, Bozhikov, Chorbadzhiyski, Nedyalkov; Dyakov, Marcelinho; Milanov, I.Popov, Alexandrov; Rangelov.
ÁRBITRO: Luca Banti (ITA). Assistentes: Fabiano Preti (ITA) e Alessandro Giallatini (ITA). Quarto árbitro: Paolo Valeri (ITA).
INCIDENCIAS: Partida válida pela segunda rodada do Grupo A das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018. A ser realizada no Stade de France, em Saint-Denis.

A Seleção da França buscará a primeira vitória nas Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018 nesta sexta-feira (7). Os franceses recebem a Bulgária em partida válida pela segunda rodada do Grupo A. O duelo marca o encontro entre o vice-campeão da Eurocopa e oúnico país que venceu na estreia desse grupo. O Stade de France será o palco do jogo que terá seu inicio às 15h45.

França e Bulgária já se enfrentaram 30 vezes. O histórico de confronto é muito equilibrado. Foram 12 vitórias dos Bleus, 13 triunfos dos búlgaros e outros cinco empates. Cada Seleção leva vantagem em casa. Essas seleções não disputam uma partida há 20 anos, o último encontro foi na Eurocopa 1996, quando os franceses venceram por 3 a 1.

Na primeira rodada das Eliminatórias para a Copa, a França empatou em 0 a 0 com a modesta Bielorrússia. A Bulgária fez 4 a 3 em Luxemburgo. Os búlgaros ocupam a primeira colocação do Grupo A com três pontos. Os franceses estão em quinto com um ponto ganho. A briga por uma vaga direta e uma para a repescagem será grande, pois Holanda e Suécia também estão nesse grupo.

Após empate sem gols na última rodada, França quer vitória em casa mesmo com desfalques

O goleiro titular, Hugo Lloris, que não foi convocado na última lista por uma lesão, concedeu entrevista coletiva e falou sobre a situação da França no grupo: “Não era a melhor maneira de começar esta fase. Temos que somar os pontos para não ficarmos em apuros. Devemos fazer isso imediatamente, não cochilar. Perdemos este hábito, mas as competições estavam faltando. Esta é a essência do nosso esporte”, disse o capitão lembrando-se do longo período de amistosos antes da Eurocopa, pois já estavam classificados e não disputaram as Eliminatórias para aquele torneio.

Um repórter perguntou ao técnico qual dupla seria melhor para inciar a partida, Feki/Griezmann ou Gameiro/Griezmann. Deschamps foi curto na resposta e gerou uma situação tensa: “E o Gignac? Você vai colocar ele no lixo? Eu que escolho, todos podem jogar.

Não podemos compensar pontos perdidos. No grupo em que estamos, teremos que fazer muitos pontos para conseguir a classificação. O caminho ainda é longo, com nove jogos no total. Este é apenas o segundo. Nós estávamos desapontados por não conseguir os três pontos no primeiro jogo. Mas se tivéssemos vencido, ainda teríamos de enfrentar a mesma obrigação de vencer contra a Bulgária”, afirmou Didier Deschamps.

Mais uma vez, a Seleção Francesa sofreu com lesões. Eliaquim Mangala foi chamado para a vaga de Jérémy Mathieu, que se machucou após a convocação oficial. O zagueiro do Valencia lesionou a coxa direita e também foi cortado; Kimpembe, do PSG, herdou a vaga. Alexandre Lacazette também está ausente do time nacional por conta de lesão muscular. Samuel Umtiti e Adil Rami nem foram chamados, pois também estão machucados.

Bulgária retorna ao palco de 1993

Eliminatórias para a Copa dos EUA, novembro de 1993; Cantona com a camisa da França (Foto: Getty Images)

Em 17 de novembro de 1993, a Bulgária venceu a França por 2 a 1 e assegurou a classificação para a Copa do Mundo dos Estados Unidos, eliminando os franceses em casa. Após Cantona abrir o placar, Kostadinov virou o jogo com dois gols, sendo um deles no final da partida. O atual técnico da Bulgária, Petr Hubchev, que estava naquele jogo, falou sobre as comparações:

Não é nem o momento nem o lugar para fazer comparações com 1993. Tudo é diferente. A coisa mais importante é mostrar que não há medo. Tudo é possível no futebol e temos de jogar com a cabeça erguida. Estou certo de que a França não irá nos subestimar. Eu vi o fogo nos olhos dos meus jogadores. Há esperança, mas eu permaneço realista”, disse Hubchev.

Ivaylo Petev era o treinador da Bulgária até o dia 29, quando acertou com o Dínamo de Zagreb. Uma semana depois, Hubchev analisa o momento da seleção: “O momento da mudança vem no pior momento possível, porque são jogos muito importantes contra a França e a Suécia. Quero que os jogadores ajudem uns aos outros e deem o seu melhor em campo. Eles devem entender que é uma honra vestir a camisa nacional.

O clima na equipe é bom. Espero sair com um resultado positivo amanhã no futebol tudo é possível. Com ambição e desejo, nós podemos conseguir alguma coisa”, disse o capitão Svetoslav Dyakov em entrevista.