Com gols de Lucas e Cavani, PSG sofre para vencer Nancy e assume a vice-liderança da Ligue 1

Dupla contou com erros individuais do goleiro e do zagueiro para marcarem seus gols no início da partida; Nancy cresceu na metade do primeiro tempo e dificultou a vida do atual tetracampeão

Com gols de Lucas e Cavani, PSG sofre para vencer Nancy e assume a vice-liderança da Ligue 1
Foto: Jean-Christophe Verhaegen/AFP/Getty Images
Nancy
Paris Saint-Germain
Nancy: Ndy Assembé; M.Diagne, Cabaco, Chrétien, Cuffaut, Muratori; Alou Diarra, Guidileye (Mandanne, min. 80), Pedretti (Ait Bennasser, min. 80); Dalé, Koura (Dia, min. 62).
Paris Saint-Germain: Areola; Meunier, Marquinhos, Thiago Silva, Kimpembe; Verratti, Krychowiak, Matuidi; Lucas (Ban Arfa, min. 77), Cavani (Augustin, min. 87), Ikoné (Rabiot, min. 62).
Placar: 0 a 1, Lucas (min. 12); 0 a 2, Cavani (min. 18) e 1 a 2, Diarra (min. 55)
ÁRBITRO: Mikael Lesage (FRA). CArtões Amarelos: Cuffaut (min. 70) e Kimpembe (min. 84)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 9ª rodada da Ligue 1, temporada 2016/17. Realizada no Stade Marcel Picot, em Tomblaine.

Em partida válida pela nona rodada da Ligue 1, o Paris Saint-Germain sofreu muito para vencer o Nancy fora de casa. Neste sábado (15), no Stade Marcel Picot, a equipe da capital francesa bateu o lanterna da competição por 2 a 1. Após bom inicio facilitado por erros individuais, os comandados de Unai Emery passaram sufoco com um adversário arrumado, que pressionou até o apito final.

Com o resultado, o Paris assume a vice-liderança da Ligue 1 com 19 pontos. A posição foi alcançada graças a derrota do Monaco, que perdeu de virada para o Toulouse. O Nancy segue na última colocação do campeonato com apenas cinco pontos em nove jogos. Porém, essa derrota para o atual tetracampeão pode significar um aumento da moral, pois bateram de frente com o principal time do país durante boa parte do jogo.

Na quarta-feira (19), os parisienses enfrentarão o Basel pela terceira rodada do Grupo A da Uefa Champions League. Pela liga nacional, o adversário será o rival Olympique de Marseille no domingo (23). Um dia antes, os alvirrubros tentarão acabar com uma sequencia de cinco jogos sem vencer contra o Bordeaux, fora de casa. O atual líder da L1 é o Nice, de Balotelli, que venceu o Lyon.

Início dominante do PSG, mas sustos na parte final

Os primeiros 12 minutos foram de domínio do time da capital. O Paris Saint-Germain colocou o Nancy contra a parede, pressionou, e, como tradicionalmente, manteve a posse de bola e ditou o ritmo. Os parisienses abriram o placar com Lucas. Em cobrança de falta pela faixa lateral esquerda, o brasileiro jogou no tumulto, Cavani e Krychowiak não desviaram. Assembé ficou só olhando e a bola entrou.

Pouco depois, o PSG ampliou a vantagem. Areola deu um chutão para frente, o capitão Chrétien recuou mal de cabeça e a sobra ficou limpa para Cavani. O uruguaio teve tranquilidade na frente do gol e tocou por cobertura, sem chances para o goleiro. Logo depois, Verratti lançou Cavani que cabeceou e Assembé encaixou.

Após um inicio avassalador, os visitantes começaram a encontrar dificuldades. O Nancy assustou com Koura, que chutou de fora da área e Areola espalmou para escanteio. Muratori também deu trabalho ao goleiro do PSG, que defendeu o arremate do camisa 26. Na reta final do primeiro tempo, os mandantes cresceram e deram trabalho à defesa do atual tetracampeão.

Nancy cresce, dificulta o jogo, mas PSG mantém a vitória

Foto: Patrick Hertzog/AFP/Getty Images

Na volta do intervalo, Cavani fez boa jogada pela ponta direita e bateu de canhota na rede pelo lado de fora. A equipe da casa voltou com a mesma postura do fim da etapa inicial. Dava a entender que o Nancy achou a formula de conter o poderoso Paris Saint-Germain, que nesta temporada não demonstra tanta onipotência. Pedretti cobrou escanteio, o experiente Alou Diarra subiu no terceiro andar e testou firme, vencendo Areola e empatando o jogo.

O PSG passou dificuldades em alguns momentos do segundo tempo, o Nancy adiantava a linha de marcação, cercava e obrigava o adversário a recuar ou dar um chutão. Unai Emery estava bastante agitado na beira do campo. Cavani era um dos poucos que tentava resolver individualmente. O técnico sacou o brasileiro Lucas e colocou Ben Arfa no campo.

A entrada do atacante não mudou o panorama do jogo, o ASNL continuava a martelar e dificultar a saída do time da capital. A equipe da casa tentava aproveitar as faltas, apostando muito nas bolas aéreas. Nos minutos finais, o alvirrubro tentou no tudo ou nada, no abafa, o PSG manteve uma postura defensiva e tentou sair no contra-ataque. O apito final sacramentou a vitória do atual campeão, que sofreu para garantir os três pontos.