Monaco joga abaixo do esperado, empata com Dijon e vê liderança ameaçada

Apesar de ficar a frente do placar quase o jogo todo, sofreu o gol de empate já no finalzinho, deixando a liderança ameaçada por Nice e PSG; vítimas da delegação da Chapecoense foram homenageados

Monaco joga abaixo do esperado, empata com Dijon e vê liderança ameaçada
Foto: Vincent Poyer/Dijon
Dijon
1 1
Monaco
Dijon: Reynet; Bernard, Abdelhamid, Lotiès, Lang, Rüfli (Marié); Sammaritano, Gastien, Amalfitano, Bela (Júlio Tavares); Rivière (Dioney). Técnico: Olivier Dall'Oglio
Monaco: Subasic; Sidibé, Glik, Diallo, Raggi; Bernardo Silva, Fabinho, João Moutinho, Lemar (Lottin); Carrillo (Falcão Garcia), Germain (Bakayoko). Técnico: Leonardo Jardim.
Placar: 0-1, min. 17, Carrillo. 1-1, min. 87, Sammaritano
ÁRBITRO: Tony Chapron (FRA). Amarelos: Sammaritano e Rivière
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 15ª rodada da Ligue 1 2016/17, realizado no estádio Gaston Gérard, em Dijon, França

Nesta terça-feira (29), em partida válida pela 15ª rodada da Ligue 1, o Monaco não realizou um bom jogo e apenas empatou por 1 a 1 contra o Dijon, no estádio Gaston Gérard. A equipe do principado abriu o placar aos 17 minutos, com Guido Carrillo, porém, aos 87, Frederic Sammaritano conseguiu igualar o resultado.

Mesmo com o empate, a equipe Monegasca chegou aos mesmos 33 pontos do Nice e assumiu a liderança da Ligue 1 pelo saldo de gols. Em contrapartida, a equipe alvinegra e o Paris Saint-Germain ainda não entraram em campo pela rodada, podendo se distanciar ainda mais do Monaco caso vençam seus respectivos jogos. Já o Dijon conseguiu respirar na tabela, ocupando a 14ª posição com 15 pontos, mas mesmo assim tem chances de entrar na zona de rebaixamento ao final da rodada.

Na próxima rodada, o Monaco irá encarar o Bastia, dentro de casa, neste sábado (03). Por outro lado, na sexta-feira (02), o Dijon visita a equipe do Caen, que também briga para se afastar da zona perigosa.

Foto: Vincent Poyer/Dijon

Monaco domina primeiro tempo, abre o placar mas abusa das chances perdidas

Antes do apito inicial do juiz foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem as vítimas do acidente aéreo da Chapecoense. Já com a bola rolando, o Monaco se demonstrou superior ao seu adversário desde o primeiro minuto de jogo. Tanto que após as oportunidades de gol perdidas por Kamil Glik e Djibril Sidibé, o atacante argentino Guido Carrillo contou com uma ajuda do goleiro do Dijon e deixou sua marca.

Aos 17 minutos, Djibril Sidibé limpou bem a jogada pela direita e finalizou fraco, o goleiro Baptiste Reynet foi segurar a bola e deixou escapar nos pé de Carrillo, que só empurrou para o fundo das redes. Após o placar inaugurado, o Dijon deu uma crescida no jogo, conseguiu ter umas boas investidas de ataque, principalmente com Yohann Rivière e Frederic Sammaritano, que corria, dava passes, aparecia para receber a bola e tentava chutar no gol, era o motorzinho da equipe da casa.

Aos 32 minutos com Valere Germain e aos 45 com Djibril Sidibé, o Monaco perdeu duas ótimas chances de ampliar o resultado, indo ao intervalo somente com um gol a frente. O máximo que o Dijon chegou perto de empatar foi no minuto 37, com Vincent Rüfli, chutando para fora após receber o passe de Frederic Sammaritano.

Dijon aproveita as falhas do Monaco e busca empate no final com Sammaritano

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, com a equipe monegasca no ataque. Guido Carrillo perdeu uma ótima oportunidade de cabeça, ao receber um cruzamento açucarado de Andrea Raggi. Por outro lado, já que o Dijon não conseguia penetrar na defesa adversária, resolveu testar o goleiro Danijel Subasic de fora da área. A primeira tentativa passou muito perto, com Romain Amalfitano. Logo depois, a equipe da casa perdeu outra boa chance com Yunis Abdelhamid, chutando com a canhota e passando a esquerda do gol monegasco.

Temendo o gol de empate, Leonardo Jardim tirou Valere Germain, um atacante, e colocou o meio-campista Tiemoue Bakayoko, passando a jogar no 4-5-1. Já Olivier Dall'Oglio confiava na sua equipe para o empate, colocando homens de frente em busca do gol. Aos 66 minutos, Falcão Garcia entrou para ver se resolvia o problema do ataque do Monaco, mas nem o colombiano deu jeito.

As modificações de Dall'Oglio surtiram efeito e o Dijon passou a jogar tudo que não jogou a partida inteira nos 15 minutos finais. Danijel Subasic precisou trabalhar pelo menos duas vezes para evitar o gol de empate. Porém, aos 87 minutos, não teve jeito, o que parecia uma vitória certa veio por água abaixo. O gol nasceu de um levantamento na área pelo lado direito, a bola passou por todo mundo e sobrou no lado esquerdo para Lois Diony, que sem ângulo para chutar, tocou para o meio da pequena área encontrar os pés de Frederic Sammaritano, que se jogou para conseguir resvalar na bola e mandar para o fundo da rede.